O afastamento de Dilma em capas de jornal: qual cobertura foi a mais correta?

capasjornalgrade

Dois temas são muito caros a este blog: política e jornalismo. E, me desculpem os leitores que preferem os posts sobre cinema e música, mas, neste momento em que estamos vivendo, acaba sendo difícil abordar qualquer outro assunto mais ameno.

A forma como a chamada “grande mídia” tem feito suas coberturas da atual crise política vem sendo muito criticada pelos leitores, que hoje têm acesso a muito mais informações, via internet, do que há, digamos, 24 anos atrás, quando ocorreu o último processo de impeachment no Brasil. Os leitores mais bem informados olham tudo com lupa e não perdoam nenhum deslize, mesmo não intencional. Tampouco têm perdoado vieses e tomada de partido de uma imprensa que, ao contrário do que já acontece em outros países, não se assume parcial. É vendida sempre como imparcial, isenta, equilibrada — mesmo que a balança penda, claramente, para um dos lados do jogo político.

Como alguém que está dos dois lados da bancada — jornalista e leitora crítica, ao mesmo tempo –, tenho grande interesse pelas coberturas, especialmente em dias historicamente importantes, como foi a última quinta-feira, 12 de maio. Gosto de ver as primeiras páginas dos jornais e compará-las: qual exagerou na dose? Qual foi mais inteligente? Qual descambou pro mau gosto? Qual virou um panfletão descarado e nada jornalístico?

Com a ajuda do excelente site Newseum, selecionei 20 primeiras páginas dos principais jornais de 11 Estados do Brasil, mais Distrito Federal, das edições de quinta-feira (12). Montei a galeria abaixo e agora pergunto a você, caro leitor crítico:

qual destes jornais foi, em sua opinião, o mais correto em sua primeira página — e por quê?

Veja a galeria em tamanho maior clicando sobre qualquer foto (as capas aparecem em modo aleatório):

 

PELO MUNDO

Também dei uma olhada nos principais jornais estrangeiros de quinta-feira. Alguns nem citaram o Brasil em suas capas, como o britânico “The Guardian”. Estes abaixo deram algum espaço para nossa crise, maior ou menor, e compartilho mais como uma curiosidade:

 

Leia também:

faceblogttblog
Pague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

Anúncios

4 comentários sobre “O afastamento de Dilma em capas de jornal: qual cobertura foi a mais correta?

  1. O mais correto eu não sei, mas a pior capa, para mim, foi a do Tempo.
    “Era PT” é uma expressão que deve ser definitivamente banida de qualquer veículo de comunicação, na minha opinião. É uma expressão que se tornou carregada de preconceitos e só desinforma.
    Além disso, ainda que se entenda “era PT” como uma expressão neutra, não foi isso que o Senado votou…
    Foi uma capa muito ruim, mesmo. Fiquei assustada quando a vi nas bancas.
    Peço desculpas porque eu sei que você trabalha no Tempo, mas tomei a liberdade de escrever esse comentário porque sei que, definitivamente, não você quem redigiu a chamada.
    E a cobertura do blog – sua e de seu pai – para o atual momento político é excelente. Você realmente é jornalista até o “último dedinho” como escreveu um dia, rs. Voltar da licença maternidade com essa energia toda não é para qualquer um…
    Abraços!

    Curtir

    • Obrigada, Elisa! Eu estava com saudades dos seus comentários 😀
      Não tem problema fazer críticas ao jornal em que trabalho: acho que todos os veículos teriam muito a ganhar se recebessem mais críticas construtivas e tivessem mais ombudsmen para ajudar nesta árdua tarefa de tentar acertar 🙂
      Abração!

      Curtir

Deixe aqui seu comentário! ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s