Torço apenas para que não haja retrocesso no Brasil

Charge do Duke no jornal "O Tempo" de 10.5.2016

Charge do Duke no jornal “O Tempo” de 10.5.2016

É difícil arriscar qualquer cenário nesses dias de noticiário político surtado, mas o mais provável é que, nas próximas horas, Dilma Rousseff, reeleita por 54,5 milhões de brasileiros, seja afastada por seis meses de seu cargo e dê lugar ao presidente ~interino~ Michel Temer. No momento em que escrevo este post, o governo entrou com mandado de segurança no STF — sua última cartada, após manobras fracassadas no Congresso e vários protestos nas ruas. Mas acho improvável que o Supremo interfira no processo do Legislativo.

Enfim, mesmo que interfira, agora ou no futuro, ou ocorra um milagre e o Senado não aprove a continuidade do processo de impeachment, vamos ser realistas: o segundo mandato de Dilma, que nem pôde começar, porque não deixaram ela governar até hoje, já acabou. Se esse processo de impeachment não passar, qualquer que seja a razão, entrarão com outros. E assim farão até que Dilma caia ou renuncie. É isso: vitória da oposição na base do tapetão. Continuar lendo

Anúncios