Finalmente! Beagá volta a ter uma rádio do rock!

registrei por aqui meu protesto contra as rádios de Beagá, especialmente contra a ausência quase completa do rock nelas.

A CDL tem um programa bem bom na manhã de sábado chamado “Café com Rock”, mas fora isso é bem pop. Inconfidência tem “Esse Tal de Rock ‘n Roll”, com o Márcio Ronei, na noite de sábado, dedicado ao rock nacional. Mas, olha, difícil ver um “rock’n’roll” por ali de verdade, viu. UFMG Educativa tem alguns programas de rock e até pílulas de blues, ao estilo das barbearias que eu fiz por um tempinho, mas não são o forte da rádio.

Então fiquei feliz demais quando a 98FM anunciou que voltaria a suas raízes longínquas e tocaria exclusivamente rock em seus programas de música. Excelente iniciativa!

Na última vez que sintonizei, só ouvi monstros do rock, um atrás do outro: Lynyrd Skynyrd, Beatles, Stones, Sabbath, Springsteen, Pink Floyd, Led, U2, The Who… Só clássicos!

A galera do rock de Beagá curtiu tanto que fizeram até um vídeo agradecendo à rádio: Continuar lendo

Anúncios

5 ideias para ensinar musicalização ao seu bebê dentro de casa

Eu adoro música e quero muito que o Luiz também cresça cercado pelas maravilhas proporcionadas pela música. Acho que toda escola deveria ter aulas de música e acho muito bacanas os cursos de musicalização infantil. Este, da UFMG, por exemplo, é para bebês a partir dos 6 meses de idade. Há outros cursos para bebês de 8 meses ou crianças a partir dos 4 ou 5 anos. Não são baratos: somam de R$ 108 a R$ 259 às despesas mensais com a educação do seu filho.

Se você, assim como eu, ainda não tem ou não está disposta a gastar esse dinheiro, talvez goste de algumas ideias que a gente aplica aqui em casa com nosso Luiz desde que ele era bem pequeno e até hoje, aos 16 meses de vida:

1. Ambiente musical

O rádio fica sempre ligado aqui em casa. Ou CD, ou vinil na vitrola, ou spotify. É muito difícil estarmos totalmente em silêncio, pelo menos durante o dia. E, desde pequenininho, Luiz adora brinca de tirar os CDs do encaixe e esparramá-los pelo chão. Agora que ele está mais crescidinho, transformo essa brincadeira em um teste sonoro: “Escolhe um CD para a mamãe colocar no som, filho”. Ele me estende um CD e eu mostro a ele que aquela escolha gera um resultado que a gente pode escutar na hora. O mesmo com os vinis…

2. Cantar e dançar

Desde quando ele era pequetito, sempre cantei muitas musiquinhas para o Luiz, para quase tudo. A maioria delas inventadas por mim (depois transformadas em álbum, lembram?). Mas também cantamos bastante o “parabéns” e “pintinho amarelinho”, que ele aprendeu a dançar e acompanhar com as palminhas. Luiz adora dançar, e acho que muito por ver a felicidade com que reagimos quando ele começa. Hoje é só tocar uma musiquinha, mesmo que seja só uma vinheta na televisão, e ele já começa a dançar. Ou dança logo que pedimos: “Dança, filho!”. Com a dança e as palmas, ele treina o ritmo.

Luiz e o livrinho dos 45 instrumentos musicais.

3. Conhecer os instrumentos

Luiz tem um livro muito legal que chama “No ritmo da bicharada“, que reúne 45 sons de instrumentos musicais (foto). Como este, há diversos outros livros que exploram os sons de instrumentos musicais. Há também alguns programas musicais. Da minha infância, guardo com carinho os episódios de “Castelo Rá-Tim-Bum” em que o passarinho respondia “que som é esse?”…

4. Experimentar os instrumentos

Se for possível, compre instrumentos de brinquedo para seu filho experimentar os sons também.

Você vai se surpreender com o que ele é capaz de fazer, muitas vezes de primeira! Eu fiquei de queixo caído quando Luiz tocou um xilofone e uma gaita pela primeira vez, como registrei neste vídeo:

5. Ver alguém (que sabe) tocar algum instrumento

Eu adoro música, como já disse, mas sou uma negação na hora de tentar tocar algum instrumento. Já meu marido e papai do Luiz sabe tocar violão. E acho que uma das maneiras de deixar a criança mais entretida com a música é tocar o instrumento para ela ver de pertinho e acompanhar com as palminhas etc, assim como faz quando cantamos. Não tem nenhum instrumentista em casa? Vale colocar um DVD de show ao vivo 😉

***

Quando Luiz for um pouco mais velho, e der para perceber alguma preferência mais clara, vamos colocá-lo em alguma aulinha para aprender a tocar um instrumento de verdade. Tomara que ele goste tanto de música quanto nós gostamos aqui em casa!

Leia também:

faceblogttblogPague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

Moro e o blogueiro Eduardo Guimarães: quem cometeu crime?

Eduardo Guimarães fala a Laura Capriglione, do Jornalistas Livres, sobre condução coercitiva. Foto: Reprodução

Texto escrito por José de Souza Castro:

O blogueiro Eduardo Guimarães foi acordado na manhã desta terça-feira em sua residência em São Paulo por agentes da Polícia Federal que receberam do juiz Sérgio Moro a ordem para que fizessem condução coercitiva dele à delegacia e a apreensão de seu computador, notebook e celular – inclusive o de sua mulher. O juiz da Lava Jato, que já abrira um processo contra o blogueiro por se sentir ameaçado por ele, queria a confirmação do nome da fonte do Blog da Cidadania que há um ano deu o furo sobre a condução coercitiva de Lula.

Ao ser liberado, depois de prestar depoimento, sem confirmar ou negar o nome da fonte já identificada pela Lava Jato, Eduardo Guimarães estava acompanhado por seu advogado, Felipe Hideo, para quem a iniciativa buscava ilegalmente “violar o sigilo da fonte”. Eles foram entrevistados ali pelo site Jornalistas Livres, que divulgou um vídeo que se espalhou rapidamente pela blogosfera [nota da Kika: o Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas também emitiu nota oficial se posicionando. Leia AQUI. Mais tarde, a jornalista Laura Capriglione também gravou vídeo de Eduardo Guimarães sobre o ocorrido. Assista AQUI].

O deputado Paulo Teixeira (PT-S) perguntou a Sérgio Moro sobre a legalidade de exigir do blogueiro o nome da fonte e ouviu do juiz o seguinte: “Ele não é jornalista”. O juiz parece desconhecer que no Brasil não se exige o diploma de jornalista e que Eduardo Guimarães, formado em Direito, criou o blog há 12 anos, onde faz jornalismo.

O comportamento do juiz foi muito criticado por blogueiros, aos quais me alio, e seu gesto interpretado como uma tentativa de calar os críticos da Lava Jato na Internet. Como exemplo, Continuar lendo