Guia de 21 dicas especiais para curtir Porto de Galinhas com filho pequeno

Viva Porto de Galinhas! Lindo lugar! Todas as fotos deste post são minhas (CMC) ou do Beto Trajano, exceto pelas fotos de Divulgação do artesanato Palmeiral e pela foto do Marcelo, identificadas mais abaixo.

 

Como já fiz outras vezes aqui no blog, vou compartilhar minha experiência na viagem para Porto de Galinhas (PE) e trazer o máximo possível de dicas que possam ser aproveitáveis a quem pretende passear por lá — e curtir bastante sem gastar muito dinheiro. Vou tentar detalhar tanto quanto fiz nos posts sobre Ilha Grande (RJ) e Itacaré (BA), mas, desta vez, com um diferencial: meu foco será nos leitores que pretendem viajar com crianças, já que nossa experiência foi com nosso filhote Luiz, de 1 ano e 10 meses de idade.

Vamos lá: Continuar lendo

Anúncios

Como é bom passear com o filhote no Parque Municipal!

Alguns dias atrás, fomos com o Luiz, de 1 ano e meio, passear no Parque Municipal de Belo Horizonte.

Ele se esbaldou.

Brincou no carrossel, nos barquinhos, no parquinho, andou de trenzinho, desceu de escorrega, correu pela terra, correu atrás dos pombos e demais passarinhos (ele adora!), comeu pipoca, tomou água de coco, viu os burrinhos… Gastamos, todos, um punhado de energia. E gastamos, no máximo, uns R$ 10.

Era um sábado de sol, agradável, mas um pouquinho frio, o que deixou o parque mais vazio, embora ainda alegre.

FOTOS DAQUELE DIA: Continuar lendo

Imperdível! Últimos dias de Los Carpinteros em Beagá

De cara, já confesso minha ignorância: nunca tinha ouvido falar do coletivo cubano Los Carpinteros.

Nem mesmo tinha lido na imprensa sobre a exposição que está no CCBB desde o início de fevereiro.

Foi por acaso, ao decidir mostrar o lado turístico de Beagá para a amiga carioca que estava hospedada em casa, que fui parar nesta exposição interessantíssima que mistura carpintaria, arquitetura e design.

Lá, vi violões simulando as fases da lua, vi outros instrumentos musicais derretendo, vi referências políticas, frases bem-humoradas, duas camas de solteiro entrelaçadas como se fossem um viaduto, e mais uma porção de objetos reinventados de maneira, acima de tudo, irreverente. Mas também imaginativa e instigante. Em tempos de tanto mau humor, achei essa exposição cheia de um frescor muito bem-vindo.

Aí estão algumas poucas fotos que fizemos durante o percurso de uma hora: Continuar lendo