Os 100 melhores livros que li nos últimos 20 anos

Depois de muito tempo sem entrar direito no GoodReads, a rede social de leitores, sobre a qual já falei aqui em 2015, resolvi atualizar a listinha que mantenho lá, minha “estante”, acrescentando os melhores livros que eu li nos últimos dois anos, quando havia ficado um vácuo.

Acabei chegando, até agora, a 100 livros, lidos entre 1997 e hoje. Só registrei ali meus favoritos, com 4 ou 5 estrelinhas.

Recomendo todos eles, mas é importante ver o campo “data em que foi lido”, já que os livros aparecem na ordem em que foram acrescentados à estante e não quando foram realmente lidos. Afinal, o gosto para literatura que eu tinha aos 12 anos de idade é um bocado diferente do que tenho hoje, aos 33…

Mas ficam como sugestão para todos que passarem aqui no blog, em várias faixas etárias 😉 Tem pra todos os gostos e gêneros! Clique na imagem para acessar os detalhes de todos os livros: Continuar lendo

Anúncios

Livro de um aposentado feliz

 

Texto escrito por José de Souza Castro:

Conheço um brasileiro de 73 anos de idade feliz com sua aposentadoria. Ele se chama Wellington Abranches de Oliveira Barros. A felicidade transparece em seu 17º livro, “Dúvidas e Dívidas”. Pelo menos 12 desses livros foram escritos depois que se aposentou aos 60 anos e aprendeu que “o importante é saber aproveitar bem cada etapa da vida, de preferência, sem dívidas”.

Sem dívidas, talvez, porque não se aposentou pelo INSS, e sim por algum dos empregos públicos que teve, incluindo o de professor da Universidade Federal de Viçosa, onde se formou engenheiro agrônomo.

Eu o conheci em 1975 na Secretaria de Agricultura de Minas, onde ele era chefe de gabinete e eu assessor de imprensa, por nove meses, antes de ser chamado de volta ao Jornal do Brasil. Na época, eu me deliciava com os casos contados por Wellington – um contista nato, nascido numa pequena fazenda próxima de Viçosa, na Zona da Mata mineira.

Não conhecia seu dom de escritor, que fui descobrindo na medida em que ele publicava seus livros para dar de presente aos amigos. O último, eu o recebi há alguns dias pelo correio. Em poucas horas, li suas 70 crônicas e artigos. Todos bem escritos e concisos. Quase sempre, finalizados com singela trova ou quadrinha. O autor parece ter aprendido a arte de trovador com Fernando Sabino. A última: Continuar lendo