O afastamento de Dilma em capas de jornal: qual cobertura foi a mais correta?

capasjornalgrade

Dois temas são muito caros a este blog: política e jornalismo. E, me desculpem os leitores que preferem os posts sobre cinema e música, mas, neste momento em que estamos vivendo, acaba sendo difícil abordar qualquer outro assunto mais ameno.

A forma como a chamada “grande mídia” tem feito suas coberturas da atual crise política vem sendo muito criticada pelos leitores, que hoje têm acesso a muito mais informações, via internet, do que há, digamos, 24 anos atrás, quando ocorreu o último processo de impeachment no Brasil. Os leitores mais bem informados olham tudo com lupa e não perdoam nenhum deslize, mesmo não intencional. Tampouco têm perdoado vieses e tomada de partido de uma imprensa que, ao contrário do que já acontece em outros países, não se assume parcial. É vendida sempre como imparcial, isenta, equilibrada — mesmo que a balança penda, claramente, para um dos lados do jogo político.

Como alguém que está dos dois lados da bancada — jornalista e leitora crítica, ao mesmo tempo –, tenho grande interesse pelas coberturas, especialmente em dias historicamente importantes, como foi a última quinta-feira, 12 de maio. Gosto de ver as primeiras páginas dos jornais e compará-las: qual exagerou na dose? Qual foi mais inteligente? Qual descambou pro mau gosto? Qual virou um panfletão descarado e nada jornalístico?

Com a ajuda do excelente site Newseum, selecionei 20 primeiras páginas dos principais jornais de 11 Estados do Brasil, mais Distrito Federal, das edições de quinta-feira (12). Montei a galeria abaixo e agora pergunto a você, caro leitor crítico:

qual destes jornais foi, em sua opinião, o mais correto em sua primeira página — e por quê?

Veja a galeria em tamanho maior clicando sobre qualquer foto (as capas aparecem em modo aleatório): Continuar lendo

Anúncios