Salário milionário de empresário brasileiro provoca polêmica. Na França

Carrão da Renault, que lucrou uma fortuna no Brasil, com incentivos do governo. Foto: Boris Loeffert/ IAA

Carrão da Renault, que lucrou uma fortuna no Brasil, com incentivos do governo. Foto: Boris Loeffert/ IAA

Texto escrito por José de Souza Castro:

Não se pode esperar democracia no mundo corporativo. Essa história de responsabilidade social das empresas é conversa para boi (outro nome de povo) dormir. Isso nunca ficou tão claro como nesta queda de braço que se vê na francesa Renault, relatado pela Rádio França Internacional (RFI) sob o título “Salário milionário de diretor brasileiro da Renault provoca polêmica”.

Resumindo:

A maioria dos acionistas rejeitou em assembleia, no último dia 29 de abril, a manutenção da remuneração obtida no ano passado pelo diretor-presidente da Renault, Carlos Ghosn. Minutos depois de conhecido o resultado da votação, o Conselho de Administração decidiu manter o salário anual de 7,2 milhões de euros. Somados aos que Ghosn recebe da japonesa Nissan, também presidida por ele (as duas montadoras estão associadas desde 1999), o salário desse brasileiro nascido em Porto Velho (Rondônia) – mas que desde menino mora no Líbano e na França – chegaria aos 15 milhões de euros. Continuar lendo

Anúncios