Ir para conteúdo

Felicidadezinhas despretensiosas na hora certa

(Foto: CMC)

Felicidade é sair do cinema (um filme muito melhor do que o nada que era esperado, prova de que Harrison Ford e Diane Keaton ainda têm muito charme e que jornalismo ainda é bom tema para filmes), pedir um sundae de Chokito e ganhar o triplo da calda de chocolate (quase metade do copinho) porque a lanchonete está fechando e não querem desperdiçar — e, claro, porque a atendente é gente fina e adivinhou que hoje foi um mau dia.

O curioso, e até mágico, é que essas felicidadezinhas singelas, despretensiosas, costumam nos acontecer justo nos dias ruins. Como um lembrete amigo, um sopro de sax, um acordeonista alegre, a nos recordar que somos seres otimistas — e assim devemos permanecer (mesmo aos domingos).

Cristina Moreno de Castro Ver tudo

Mineira de Beagá, jornalista, blogueira, poeta, blueseira, atleticana, otimista, aprendendo a ser mãe. Redes: www.facebook.com/blogdakikacastro, twitter.com/kikacastro www.goodreads.com/kikacastro. Mais blog: http://www.otempo.com.br/blogs/19.180341 e http://www.brasilpost.com.br/cristina-moreno-de-castro

10 comentários em “Felicidadezinhas despretensiosas na hora certa Deixe um comentário

  1. Felicidade despretensiosa é ligar o rádio e estar começando uma de suas músicas preferidas. É muito diferente de colocar o CD ou o MP3 para tocar. E, quando é exatamente a música que você estava pensando em ouvir, então…

    Curtir

      • Uai, pois deveria! Eu ouço direto. Ontem mesmo fiz faxina na minha casa, durante três horas, ouvindo rádio. E quando eu tinha carro gostava também. Agora ouço muito nos carros do jornal, mas geralmente os motoristas escolhem a estação, e muitas vezes é de sertanejo ou bate-estaca ou outras coisas que detesto… Mas alguns têm muito bom gosto.

        Curtir

    • Antigamente havia quatro rádios boas/aceitáveis aqui em São Paulo; agora sobrou apenas uma, a Kiss. Ou seja, se começa uma música ruim ou um programa ruim, não sobra opção. Eu sempre ouvi rádio apenas no carro, e agora geralmente o Willi está junto, e só quer saber de ouvir as mesmas músicas, das quais não posso reclamar (“Back in Black” e “Dirty Deeds Done Dirt Cheap”, do AC/DC, “Echo”, do Joe Satriani, “Jeremy”, do Pearl Jam, “Histeria”, do Muse, “Supersonic”, do Oasis, e “Lesson Learned”, do Alice In Chains).

      Curtir

      • ah, mas tem que aumentar o repertório dele, né? Ficar sempre ouvindo só sete músicas é foda!
        Ontem saiu na Folhinha as crianças, de 6, 9, anos, que fazem de tudo para irem ao show do Ozzy. Pensei no Willi, que vai estar igualzinho daqui a uns anos heheheheh

        Curtir

  2. Felicidade é ver que até o acaso conspira pela felicidade de seus amigos….obrigado sorveteira, obrigado acordeonista, obrigado São Paulo…Abraços. rsrs

    Curtir

Deixe uma resposta para Cristina Moreno de CastroCancelar Resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: