A Paris de todas as belas épocas

Para ver no cinema: MEIA-NOITE EM PARIS (Midnight in Paris)

Nota 9

Eu sempre disse que queria ter sido jovem nos anos 60 ou 70. Seriam meus anos de ouro. Depois, comecei a achar que outras épocas poderiam ser ainda mais interessantes, como os anos 20.

Essa é a época de ouro do protagonista deste filme, o simpático Gil (Owen Wilson). Anos 20, e em Paris, mais especificamente. Época de Cole Porter, Pablo Picasso, Hemingway, Fitzgerald, Salvador Dalí, T.S. Eliot, Luis Buñuel e tantos outros gênios e loucos, que rendem belas piadas.

Acontece que, para quem vivia naquela época, o fascinante mesmo eram os anos dourados de 1890, com Gauguin, Degas e Lautrec. A Belle Époque, como se diz.

Acontece que, para os afortunados daquele tempo, o ideal mesmo era a Renascença. A idade da luz. E assim por diante.

Dá-se um apelido encantador para cada uma dessas épocas — de ouro, da luz, bela etc — porque só o passado merece tantos adjetivos belos. Aos nostálgicos, o presente parece cinza e opaco.

Sábio é quem consegue perceber a beleza dos anos dourados de décadas atrás — e aproveitar o que deixaram de melhor, através de livros e discos e pensamentos –, sem perder a beleza do presente, já que Paris, dizem por aí, continua linda até hoje.

Mais sábio ainda é quem consegue discernir as boas e más coisas deste presente. Ficar com as primeiras e usá-las para viver cada vez melhor esta “vida misteriosa”, dia após dia, e descartar as segundas, que só nos causam dor ou amolação. Como o amigo pedante e arrogante da noiva (e outros personagens irritantes, que só Woody Allen consegue criar, mas não vou detalhar aqui, pra não estragar o filme).

De resto, “Meia-noite em Paris” nos faz querer pegar o primeiro barco para aquela cidade e desejar que caia uma chuva e que possamos apreciá-la até debaixo d’água. E nos faz desejar viver intensamente o presente, sugando tudo o que o passado nos oferece — como a linda Let’s Do It, verdadeiro hino ao amor.

Este novo filme de Woody Allen é, surpreendentemente, fantástico (no sentido da fantasia mesmo). Mágico. E até agora estou sob efeito de seu encantamento. Que dure!

Anúncios

4 comentários sobre “A Paris de todas as belas épocas

  1. Definitivamente um filme maravilhoso,me fez sonhar e imaginar que poderia acontecer com todos nós………voltarmos a Belle Epoque ……………já pensaram que luxo ……………

    Curtir

Deixe aqui seu comentário! ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s