Desenhos musicais

Estão vendo este livro aí? É sensacional.

Robert Crumb é um dos melhores desenhistas que tem por aí. O sujeito consegue fazer detalhes de expressões faciais, contrastes e sombras só com o preto e branco, sem nenhuma gradaçãozinha de cinza pra ajudar. Consegue fazer tanto o retrato perfeito de uma figura quanto a caricatura mais infantilizada de alguém. É ótimo no traço, enfim.

Pra melhorar, o cara é um pesquisador. Fuça em livros, em notícias e mergulha nos assuntos que lhe interessa como um verdadeiro historiador. Isso se traduz na redação das histórias.

Pra melhorar mais ainda, seu tema de paixão é o blues. Ele simplesmente adora aquela música negra dos anos 30 pra antes. O blues elétrico não serve, tem que ser aquele rural, acústico, só na base do violão e da gaitinha e da voz ritmada de algum negão do sul dos Estados Unidos, ou de Chicago.

E o resultado é esse livro maravilhoso, que ganhei de presente da turminha de amigos que fiz aqui em São Paulo que eu intitulo como “turma do blues”, reproduzindo o nome que dava ao grupo de Beagá que serviu de ponte para conhecer o grupo daqui, num festival de gaita de Campinas, em 2008.

Se você gosta de blues e de desenhos, sirva-se com gosto. Ao som do Charley Patton.

Por falar nele, terminemos esta segunda-feira braba assim:

(O desenho que aparece no vídeo é o retrato perfeito de Patton, feito pelo Crumb.)

Anúncios