Marchinha vencedora do concurso de 2018 fala sobre piada que é metrô de BH; ouça

“Há tempos tou esperando, esperando o metrô! Eu era criancinha, hoje sou avô!”

Quem mora em Belo Horizonte vai se identificar imediatamente com esta marchinha, de autoria de João Batera e Dimas Lamounier, que venceu o Concurso de Marchinhas Mestre Jonas neste ano. A final foi no último domingo (4).

Beagá só tem uma linha em operação, de 28,1 km, apenas em trechos de superfície, que liga o Eldorado, em Contagem, a Vilarinho, em Venda Nova. O tempo de viagem é de 44 minutos. Passa por uma pequena porção da região central da cidade. Não tem nenhuma estação na região da Savassi, por exemplo, que é extremamente movimentada e com grande concentração de prédios comerciais. Nada também na Pampulha ou no Barreiro:

São 25 trens, mas só 21 em operação, cada um com capacidade para atender 1026 passageiros. Eles atingem velocidade máxima de 80 km/h. O intervalo entre as viagens chega a 7 minutos em horário de pico e 12 minutos nos demais horários (ou até 15, nos sábados). Estas informações estão AQUI.

Uma linha, minha gente!

E não é por falta de promessas: leia AQUI, AQUI e AQUI três boas reportagens sobre o assunto, em ordem cronológica de publicação.

Pra piorar, o noticiário da semana informa que o metrô de BH corre o risco de ter o funcionamento reduzido ou até parar, por falta de recursos. Ou seja, o que já era insuficiente e ineficaz vai ficar ainda pior. E dá-lhe carros nas ruas!

Por tudo isso, a marchinha vencedora do concurso carnavalesco mais politizado do Brasil mereceu o prêmio. Estava atualíssima!

OUÇA ABAIXO: Continuar lendo

Anúncios

Vazou o 1º hit do Carnaval de 2017! Ouça a marchinha ‘Solta o cano’

Todo ano a gente compartilha aqui as SENSACIONAIS marchinhas do Carnaval de BH, principalmente aquelas mais politizadas, mais irônicas, as mais inteligentes com seus jogos de palavras.

E a marchinha que promete ser o hit do Carnaval 2017 já vazou! “Solta o cano” já está bombando na web, com milhares de visualizações (só este único vídeo abaixo já teve 98 mil views).

Ouça para já ir aprendendo a letra e fazer bonito nos bloquinhos pelo país afora:

soltaocano

Os compositores de “Solta o cano” são Vitor Velloso e Marcos Frederico, os mesmos que compuseram “Não enche o saco do Chico“, que foi a marchinha vencedora da edição 2016 do Concurso de Marchinhas Mestre Jonas.

Relembre todas marchinhas vencedoras dos últimos anos: Continuar lendo

Já está em clima de Carnaval? Aprenda o hit deste ano e escolha sua fantasia!

As melhores fantasias do Carnaval de Belo Horizonte em 2015 :D Fotos: CMC

As melhores fantasias do Carnaval de Belo Horizonte em 2015 😀 Fotos: CMC

Faltam ainda três semanas para o início do Carnaval e já reparei que tem muita gente no clima, pelo menos aqui em Belo Horizonte, cidade que promete ter recorde de foliões mais uma vez.

Adivinhem qual o post do blog que está entre os mais lidos nos últimos dias? Ele mesmo: “As Melhores Fantasias do Carnaval de BH“. Esse post reuniu, em uma galeria, dezenas de fotos de fantasias muito criativas usadas nos bloquinhos do ano passado, clicadas por mim. Quer se inspirar para sair às ruas caprichado neste ano? CLIQUE AQUI e veja as ideias inusitadas que o pessoal teve em 2015 😉

MARCHINHAS DE CARNAVAL

Já acabaram as inscrições para o tradicional Concurso de Marchinhas Mestre Jonas e os finalistas serão anunciados em breve. Mas uma marchinha com pinta de vencedora já está bombando na internet. “Prefeito, libera o cooler”, do coletivo Canto da Lagoa, faz uma crítica ao decreto polêmico (pra dizer o mínimo) do prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda, que proíbe a instalação de churrasqueiras, coolers ou similares nas ruas ou em carros estacionados na cidade. Pra saber mais sobre o decreto, CLIQUE AQUI.

Quer aprender a letra da marchinha? Veja o vídeo abaixo! 😀

Relembre aí os vencedores das edições anteriores do concurso de marchinhas:

Atualização em 18/1: As 15 melhores marchinhas pré-selecionadas pelo concurso foram divulgadas hoje! CLIQUE AQUI para ouvir todas elas e escolher suas favoritas 😉

PROGRAMAÇÃO DE BLOQUINHOS

Vocês acham que só porque tenho um bebezinho pequeno não vou pular o Carnaval? Estão muito enganados! Estou em dúvida se me fantasio de grávida (tá fácil, hahahaha), de mamadeira ambulante ou de supermãe maravilha 😉

Você também tem criança em casa? Saiba que, como todo ano, também deve ter bloquinho para os pequenos. A programação completa ainda não foi divulgada pela Belotur, mas logo poderá ser vista AQUI. Por enquanto, dá pra ver AQUI a programação de ensaios e pré-Carnaval na cidade, que já começam nesta sexta-feira.

Leia também:

faceblogttblogPague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

tarja_licenca

Pausa para o Carnaval :)

carnaval2

Neste ano terei folga de Carnaval! E, claro, vou ficar quietinha aqui na minha Beagá, que está bombando na folia deste ano. Vou descansar bastaaaaante, acabar de ver alguns filmes do Oscar e também pular e sambar, lógico!

Hoje os finalistas do Concurso de Marchinhas Mestre Jonas serão anunciados e alguns deles deverão ser ouvidos nos blocos da capital mineira. Mas a música do Carnaval 2015, para mim, é “Hoje Ninguém vai ser Censurado”, do Bloco do Pescoção, que tem o apoio do Sindicato dos Jornalistas de Minas. O bloco vai sair na próxima terça-feira, em frente à Casa do Jornalista (saiba mais AQUI).

Esse samba-enredo, que ficou em segundo lugar no Concurso Mineiro de Marchinhas, foi escrito pelo meu colega Ricardo Corrêa, o competente titular da coluna Aparte, do jornal “O Tempo”. E acho que jornalistas do Brasil inteiro vão se identificar com a letra 😉

Aprendam aí:

Hoje ninguém vai ser censurado
Letra e música: Ricardo Corrêa e Rodrigo Rodrigues

Sou jornalista
Eu ganho mal
Mas vim pular meu carnaval
Eu tô de plantão, vou pro Pescoção
Mas da folia eu não abro mão! (2x)

(A pauta)
A pauta caiu
O vivo falhou
A voz tá rouca no rádio
Das cervejas que eu bebi
Mas hoje, mas hoje não saio daqui

(A fonte)
A fonte sumiu
Eu sou assessor
Reunião não acaba
Telefone já tocou, ferrou
Sua demanda já me estressou

(Eu sou)
Eu sou repórter, mas o editor é que me enche de perguntas
Se a fonte é boa, se eu vou bancar
Pré-checa pra poder soltar

Eu sou repórter, mas lá de cima já mandaram questionar
Se o envolvido for um amigo
Pré-checa pra não magoar
Se o envolvido for um amigo
Pré-checa pra não magoar

(Mas hoje)
Hoje ninguém vai ser censurado
O passaralho, só pra quem ficar calado
O gravador ficou em casa, a notícia somos nós
O microfone é pra soltar a voz.

***

Agora só volto ao blog na semana que vem, na Quarta-Feira de Cinzas, dia nacional da ressaca. Até lá! 😉

Abaixo a gourmetização do mundo!

gourmetizacao-blog

Apesar de não ter sido selecionada entre as finalistas do Concurso de Marchinhas, a música “Explosão Gourmet”, de Alexandre Pimentel e Guilherme Freitas, tem, para mim, uma das melhores letras entre os candidatos deste ano.

Já faz tempo que quero escrever um post sobre isso, mas eles, de forma irônica e divertida, disseram quase tudo o que eu penso dessa gourmetização que vivemos hoje em dia. Vocês podem ouvir abaixo:

Outro dia tive que ir a um salão de beleza (uma das coisas que só faço a cada seis meses, e olhe lá; toda vez que invento de fazer a unha com manicures profissionais, elas me arrancam um bife e saem se justificando: “Nossa, mas como sua cutícula é fininha, né! Parece de um bebê”. Eu fico com cara de já-sabia-que-iam-fazer-isso-então-deixa-pra-lá-mas-nunca-mais-volto-aqui). Como eu ia dizendo, tive que ir a um salão, mas este era tão metido a besta que o nome era “estúdio” (ou studio?) não sei das quantas. E aí percebi que: se o salão é normal, chama salão. Se é gourmetizado, virou instituto, estúdio ou ateliê de beleza.

Padaria gourmetizada é ateliê de pão. Cafeteria gourmetizada é laboratório de café. Lanchonete gourmetizada é poãodequeijaria. Os prédios de luxo não vêm mais com churrasqueira coletiva, vêm com “espaço gourmet”. E, é claro, se alguma coisa ganha este adjetivo pendurado no nome, o preço dobra ou triplica.

Gourmetizar é tipo o tucanizar, cunhado pelo brilhante Zé Simão, mas muito piorado. Porque não é raro que qualquer feijão com arroz da vovó seja tachado de gourmet – e aí, meu amigo, prepare para pagar o preço de um caviar. É tipo a galinhada do Alex Atala: é a galinhada da vovó, idêntica, mas com grife. Galinhada gourmet.

Já inventaram picolé gourmet, sorvete gourmet, brigadeiro gourmet, vinho, cerveja, praticamente tudo. Falta o torresmo gourmet, pra acompanhar a cachaça, já gourmetizada há tempos (outro dia fui a um restaurante que tinha “cachaçaer”, o sommelier da cachaça).

Fica a ideia: quem lançar o torresmo gourmet vai ganhar o meu respeito e admiração! O paradoxo que junta a sofisticação com a tosqueria, praticamente uma versão culinária da marchinha zoada que ficou de fora do concurso de Carnaval.

20141212-20141212-b4u4qj2iqaaduuf

Leia também: