Há um Jair Bolsonaro entre meus vizinhos?

Muito se tem falado da resposta que o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) deu a Preta Gil no bloco O Povo Quer Saber, do CQC.

Ela perguntou: “Se seu filho se apaixonasse por uma negra, o que você faria?”

E ele respondeu: “Ô, Preta, eu não vou discutir promiscuidade com quem quer que seja. Eu não corro esse risco e meus filhos foram muito bem educados. E não viveram em ambiente como lamentavelmente é o teu.”

Depois, para corrigir a resposta, ele disse que tinha entendido Preta perguntar como ele reagiria se tivesse um filho gay.

Quer dizer, tudo bem chamar um gay de promíscuo.

A briga dele com os gays é antiga, com os negros é que era novidade. Vale a pena ler outros trechos da entrevista que ele deu, e não apenas a última frase:

Quem é seu guru na política?
Eram os militares, que foram presidentes do nosso país.
O que você acha da Dilma?
Pelo passado dela, sequestros, roubos, por mim não seria jamais presidente da República.
Você está com saudades do Lula?
De jeito nenhum, né. Eu tenho saudade de pessoa séria. Do Médici, do Geisel, Figueiredo…
Do que você tem mais saudade na ditadura?
Do respeito, da família, da segurança, da ordem pública, das autoridades que exerciam autoridade sem enriquecer.
O sr. é a favor que o Brasil tenha a bomba atômica?
Olha, só é respeitado quem tem o poder de intimidar. Se o Irã pode ter segundo o Lula, né, nós até poderíamos marchar para isso.
Continua achando que o FHC deveria ser fuzilado?
Foi uma força de expressão na época, né, mas, realmente, no tocante à privatização da Vale do Rio Doce, ele se comportou como um traidor da pátria.
O que você faria se pegasse seu filho fumando “unzinho”?
Eu daria uma porrada nele, pode ter certeza disso.
Torturaria ele?
Agir com energia é torturar? Então vai ser “torturado”.
O que você faria se tivesse um filho gay?
Isso nem passa pela minha cabeça porque tiveram uma boa educação. Fui um pai presente, então não corro esse risco.
No exército tinha muita viadagem?
No nosso meio o percentual é muito pequeno, mas são tolerados e respeitados. Logicamente aquele que aparecer tem o tratamento devido de acordo com a legislação militar.
Se te convidarem pra sair num desfile gay, você iria?
Eu não iria porque eu não participo de promover os maus costumes. Até porque acredito em deus, tenho uma família, e a família tem que ser preservada a qualquer custo. Se não uma nação simplesmente ruirá.
Porque o sr. é contra as cotas raciais?
Porque todos nós somos iguais perante a lei. Eu não entraria num avião pilotado por um cotista. E nem aceitaria ser operado por um médico cotista.
Quantos chefes negros você já teve?
Eu nem conto, né, não dou bola pra isso.

A mim não me parece espantoso que um homem tenha todo esse discurso a favor da ditadura, da bomba atômica e radicalmente contrário aos gays.

O que me espanta, de verdade, é que ele esteja sendo conduzido ao poder sistematicamente, desde 1991. Na última eleição, com mais de 120 mil votos.

Quer dizer, ele encontra eco em uma parte grande da sociedade brasileira. Assim como o Ku Klux Kan ainda encontra espaço nos Estados Unidos. Ou o Tea Party, que é mais forte e atual. E o extremismo de direita ainda encontra espaço na Europa, inclusive na Alemanha, mesmo depois de tudo o que a história lhes ensinou (nessas horas vale rever o excelente filme “A Onda”). Ainda existe, afinal de contas, a TFP no Brasil.

Quem são as 120 mil pessoas? Estarão entre os meus vizinhos? É isso que eu queria saber.

Anúncios

25 comentários sobre “Há um Jair Bolsonaro entre meus vizinhos?

  1. Um cidadão (?) desse só está no poder todo esse tempo porque esse tipo de mentalidade está empreguinada em nosso país.
    O sujeito é tão ridículo que diz que sendo um pai presente certas coisas não vão aocntecer na família dele.
    Então entendi: ele sai para a faculdade, shoping e balada seguindo o filho para saber o que realmente ele faz ?
    Então alguém precisa avisá-lo que fazendo isso que ele corre o risco de que o filho seja um fraco perante a sociedade e não saiba se defender, sendo gay ou não.
    Ahhhh…políticos de nossa Pátria Amada !

    Fui!
    bjs

    Curtir

  2. Não se espante, prezada Cristina, O Bolsonaro, assim como todos os demais, saíram da sociedade. Nossa sociedade é isso, também. Lamentavelmente.
    Abraços.

    Curtir

  3. Cris, foi justamente isso que eu comentei ontem no twitter e até no facebook: não me surpreende o Bolsonaro. O que me surpreende é que ainda existam (muitos) eleitores e, pior, muita gente que concorda e apoia este tipo de pensamento do “nobre” deputado.

    Agora vejo um “movimento” de alguns deputados querendo expulsar o Bolsonaro da Comissão de Direitos Humanos da Câmara. Ué, foram descobrir quem é o sujeito agora??? É curioso, estranho e até bizarro – pode ser que eu esteja falando uma bobagem, não sei como funcionam estas indicações para certas comissões. (como Tiririca na Educação & Cultura)

    E a extrema direita e conservadores estão aí, “firmes e fortes”. Vimos alguns exemplos bem feios na última eleição.

    Bj

    Curtir

  4. Vergonha e medo, Cris. Como 120 mil pessoas colocam um homem assim no poder?

    Se estão entre os seus vizinhos? deve ter, mas entre os meus com certeza… fui pesquisar e descobri que aqui em Três Rios 126 pessoas votaram nele. Fico na dúvida se saio perguntando ou se prefiro nem saber.

    Você sabe se consigo ver no site do TSE o resultado por seção eleitoral? Tentei achar e não consegui por nada.

    Bjus
    Sabrina

    Curtir

  5. democracia é isso.
    se o cara pisou na bola q responda por suas ações.

    agora, crucificar alguém por falar oq pensa, por mais absurdo q seja, é apenas se rebaixar ao nível dele.

    democracia não é um conto de fadas onde todos são felizes dançando a conga.
    democracia é tolerância, e tolerância não tem nada a ver com simpatizar.

    a pessoas q votaram nele devem ser exterminadas? são pessoas de segunda classe? são piores do q eu ou vc?

    preconceito e hipocrisia estão dos dois lados da discussão.

    Curtir

    • Ele não apenas pisou na bola. Ele usou um discurso, a priori, em desacordo com a legislação brasileira. Por isso está sendo processado em todas as instâncias, por vários grupos de pessoas e espera-se que responda, mesmo, por suas ações.
      Acho que é, sim, o caso de criticar alguém que tem um discurso racista ou homofóbico, porque estamos falando de direitos humanos universais. Democracia não é tolerância com discursos intolerantes. Tanto é assim que nossa Constituição proíbe apologia ao racismo, proíbe o nazismo etc. Se tudo fosse permitido só pelo direito da liberdade de expressão, não haveria delegacias especializadas em crime de racismo, que vivem às voltas com grupos de skinheads e afins, pelo Brasil afora. Esse tipo de discurso não é tolerável. As pessoas que o defendem não devem ser “exterminadas”, mas seu discurso deve, sim, ser punido, nas formas da lei.
      bjos

      Curtir

  6. Alguém ainda se lembra do escândalo do mensalão? Para resfrecar a nossa mente ocupada em malhar o Judas ou o Jair Bolsonaro, segue abaixo uma lista com alguns dos principais personagens.
    Isso sim é grande uma vergonha e essas pessoas, segundo a lógica a priori de que todos aqueles que estão em desacordo com a legislação brasileira, devem ser punidos.
    alguém sabe de alguma punição…
    E esse pessoal teve mais voto do que 120 mil do Jair Bolsonaro. E com certeza uns dos eleitores é meu vizinho . E já sabemos que no Brasil os corruptos e preconceituosos tem a mania de dizer que não falaram o que dizem que eles falaram ou não sei de nada, isso é uma conspiração, não foi bem assim… e assim vamos caminhado.
    Para nos confortar, nada melhor que achamos um Judas para malhar.
    Segue a lista em ordem alfabética.
    •Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT, assumiu para si toda a responsabilidade de arquitetar e executar o esquema de financiamento ilegal do PT e de outros partidos aliados com a ajuda de Marcos Valério. Delúbio disse que nem a direção do PT, nem o ministro José Dirceu conheciam a origem dos recursos obtidos com Marcos Valério. Ele alega que estes recursos seriam pagos e que serviram para o pagamento de despesas “não contabilizadas” das campanhas eleitorais de 2002 e 2004 do PT e dos partidos aliados. A versão foi endossada por Valério. Afastou-se do cargo após as denúncias.
    •Gilberto Carvalho, chefe de gabinete do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Os irmãos do Prefeito Celso Daniel dizem que Carvalho transportava malas de dinheiro do esquema de corrupção montado na Prefeitura de Santo André para o então presidente do PT José Dirceu.
    •João Magno (PT-MG), Disse que recebeu dinheiro das contas de Marcos Valério, seguindo a orientação do tesoureiro Delúbio Soares.
    •João Paulo Cunha (PT-SP), deputado federal, ex-presidente da Câmara. Dois assessores do deputado mais a sua esposa visitaram o Banco Rural no Brasília Shopping. O deputado disse à CPI dos Correios que sua mulher foi ao banco pagar uma prestação de TV a cabo. A diretora financeira da SMPB (empresa de Marcos Valério), Simone Vasconcelos, disse para a Polícia Federal que João Paulo Cunha recebeu R$ 200 mil de ajuda do empresário. Em seguida, documentos enviados pelo Banco Rural mostraram que a esposa de Paulo Cunha sacou R$ 50 mil. Marcos Valério retificou a lista de Simone Vasconcelos e disse que Paulo Cunha recebeu só R$ 50 mil. Porém, Valério não explicou onde foram parar os outros R$ 150 mil. [1]
    •José Adalberto Vieira da Silva (PT-CE), preso pela Polícia Federal com US$ 100.000,00 na cueca, assessor do deputado José Nobre Guimarães.
    •José Dirceu, acusado por Jefferson de ser o “mandante” e o “cérebro do maior sistema de corrupção da história da República”, nega categoricamente as acusações, afirmando desconhecer totalmente o esquema de empréstimos e pagamento a deputados. Demitiu-se do cargo de Ministro Chefe da Casa Civil, reocupando seu mandato de Deputado Federal e passando a dedicar-se totalmente à sua defesa no processo de cassação por quebra de decoro parlamentar contra ele aberto na Comissão de Ética da Câmara dos Deputados. José Dirceu teve seu cargo cassado pela Câmara dos Deputados na noite do dia 30 de novembro de 2005 para a madrugada do dia 1º de dezembro de 2005. Os votos a favor da cassação foram 293.
    •José Genoíno, ex-presidente do PT. Denunciado por utilizar Marcos Valério como fiador de empréstimos ao PT junto aos bancos do Brasil, Banco Rural e BMG. Também paira sobre ele a suspeita dos doláres apreendidos na cueca do assessor de seu irmão, o deputado José Guimarães. Renunciou à presidência do PT após o escândalo.
    •José Mentor (PT-SP), teve atuação polêmica como relator da CPI do Banestado, quando fez sumir, inexplicavelmente, as menções ao Banco Rural no relatório final da CPI. Seu escritório de advocacia recebeu R$ 60 mil de uma conta no Rural de uma empresa de Marcos Valério.
    •José Nobre Guimarães (PT-CE), irmão de José Genoíno, teve seu assessor flagrado com US$ 100.000,00 na cueca, além de R$ 200.000,00 na mala. O deputado Guimarães também é acusado do recebimento de R$ 250.000,00 das contas de Marcos Valério.
    •Josias Gomes (PT – BA), suspeito de retirar, pessoalmente, a quantia de R$ 100 mil das contas de Marcos Valério.
    •Juscelino Dourado, chefe de gabinete do ministro da Fazenda, Antonio Palocci. Pediu demissão em setembro de 2005 em meio a denúncias de que teria participado ao lado de Rogério Buratti e Vladimir Poleto de operações de tráfico de influência no Ministério da Fazenda.
    •Luiz Gushiken, ex-dirigente da SECOM (Secretária de Comunicação, até então com status de ministério), que indicava dirigentes para os fundos de pensão. Acusado de favorecimento de uma corretora de seus ex-sócios ligada a fundos de pensão. Os bancos BMG e Rural são suspeitos de lucrar indevidamente com os fundos.
    •Luiz Inácio Lula da Silva(PT-SP) segundo Duda Mendonça em declaração a Veja Lula supostamente teria conhecimento do escândalo de caixa dois do PT, e não denunciou. Lula alegou durante muito tempo ser completamente ignorante sobre o esquema, tendo sido apenas em meados do fim do segundo mantato que admitiu estar ciente desde 2005.
    •Marcelo Sereno, ex-secretário de Comunicações do PT. Demitiu-se após o escândalo.
    •Paulo Rocha (PT-PA), deputado federal, ex-líder do PT na Câmara. Sua assessora foi ao Banco Rural onde fez saques das contas de Marcos Valério no valor de R$ 920 mil. Renunciou à liderança do partido e mais tarde ao cargo de deputado para fugir à cassação.
    •Professor Luizinho (PT-SP), deputado federal, ex-líder do governo na Câmara, teve um assessor que recebeu R$ 20 mil de Marcos Valério.
    •Raimundo Ferreira Silva Júnior, vice-presidente do PT no Distrito Federal. Trabalhava no gabinete do deputado Paulo Delgado (PT-MG). Também sacou dinheiro das contas de Marcos Valério.
    •Ralf Barquete, assessor de Antonio Palocci na prefeitura de Ribeirão Preto, morreu de câncer em 8 de Junho de 2004. Rogério Buratti disse que em 2002 Barquete consultou-o sobre como fazer para trazer dólares do exterior.
    •Rogério Buratti, trabalhou como secretário na prefeitura de Ribeirão Preto, durante a administração do prefeito Antonio Palocci (atual ministro da Fazenda). Foi também assessor do deputado José Dirceu na década de 1980. Foi preso em agosto acusado de lavagem de dinheiro. Em busca do benefício da delação premiada, Buratti começou a fazer várias acusações contra o ministro da Fazenda.
    •Sérgio Gomes da Silva, mais conhecido como o “Sombra”. Trabalhou na administração do prefeito Celso Daniel, assassinado em 2002. Segundo o Ministério Público ele é o principal suspeito de ser o mandante do crime.
    •Silvio Pereira, ex-secretário Geral do PT. Ao lado de Delúbio Soares e Marcelo Sereno, foi responsável pelo saque de R$ 4.932.467,12 das contas das empresas de Marcos Valério. Durante as investigações, foi acusado de corrupção por ter recebido de presente de uma empresa privada uma Land Rover, em troca de vantagens para na estatal Petrobrás.
    •Vladimir Poleto, economista e ex-assessor na Prefeitura de Ribeirão Preto do Ministro da Fazenda Antonio Palocci. Ao lado de Rogério Buratti, é acusado de fazer tráfico de influência. Em 31 de julho de 2002, ajudou a transportar caixas lacradas de bebida de Brasília até São Paulo. Segundo Buratti, dentro das caixas havia dólares doados por Cuba para a campanha de Lula.
    •Wilmar Lacerda, presidente do PT no Distrito Federal. Disse para a Polícia Federal que recebeu R$ 380.000,00 da empresa SMPB, do publicitário Marcos Valério. Justificou-se dizendo que apenas seguiu a orientação do tesoureiro do partido Delúbio Soares.
    •Waldomiro Diniz, assessor do ministro da Casa Civil José Dirceu. Waldomiro foi acusado de extorquir empresários do Jogo do Bicho e de Casas de Bingo para arrecadar fundos para campanhas políticas do PT.

    Curtir

  7. Cris, o Bolsonaro não entendeu direito a pergunta, prova que ele não é racista que é casado com uma mulata, isso de racismo no Brasil é balela, tanto é que o Joãozinho 30 fez teste de DNA e ficou provado que ele tem quase 80% de sangue Europeu, apesar de ser negro, cuidado, tem interesses escusos, tem gente querendo insuflar a população negra, é a famosa luta de classes que nunca existiu no Brasil, mas que é uma bandeira do socialismo ateu.
    Quanto ao homossexualismo é uma coisa abominada por Deus, é um pecado contra a natureza, é um pecado que “clama a Deus por vingança” , leia por favor na Bíblia a história de Sodoma e Gomorra, apesar de não concordar 100% com o Bolsonaro, nesse ponto ele foi muito bem e acho um absurdo querer impor a ele algum castigo, se tem coisas muito piores que são abafadas, e também essa de perseguir os de opinião contrária não é nada democrático, e esses movimentos gays querem impor à sociedade todo tipo de aberração, inclusive a pedofilia.
    Abraços! Paulo

    Curtir

    • Oi, Paulo.
      Não espero te converter à minha opinião, apenas que a respeite, como eu respeito a sua. Mas, respondendo em partes:
      1- Pode ser que ele não tenha entendido direito a pergunta, como afirmou.
      2- Acredito que exista, sim, racismo no Brasil. O fato de não haver diferenças significativas científicas entre as raças não exclui o caráter social do racismo. Tanto é assim que os pobres negros ganham menos que os pobres brancos. Há diversos estudos mostrando a diferença de tratamento entre os dois e outros posts do meu blog já trataram disso várias vezes.
      3- Se você for levar ao pé da letra tudo o que diz a Bíblia, acho que não dá nem para discutir. Sugiro que leia “Caim”, do Saramago, para levantar a possibilidade de aquelas parábolas serem sujeitas a diversas interpretações, mudadas ao longo da História pelos homens, que sempre tiveram interesses políticos (você não nega o imenso interesse político da Igreja Católica desde a Idade Média, né? E o interesse político atual das igrejas evangélicas, disputando poder com o Vaticano?).
      4- Acho engraçado pensar que uma entidade divina, criadora de todos os seres, abomine uma forma de sexualidade que existe não apenas entre os seres humanos, desde sempre, mas também entre várias outras espécies animais. Que tal tentar abrir a mente e respeitar o direito dos outros de serem felizes como querem?
      abraços,

      Curtir

  8. Meus e minhas, será tão difícil perceber que Bolsonaro quer apenas um palco iluminado, uma vez que vive de fazer graça? Ele sabe que certas “propostas” que defendeu ou defende, como a exigência de uma graduação em Letras para que alguém seja escritor, ou a separação do sangue gay do sangue não gay nos bancos de sangue, são ridículas e irrealizáveis.

    Mas agradam o seu público pagante, que retribui a diversão votando nele, inadvertidamente e para todo o sempre: parece que o poder de crítica dos “bolsonaristas” não é lá aquelas coisas, ainda que sejam pessoas contrárias a “tudo o que aí está”. E ainda pedem que o bufão se candidate à Presidência da República, como se ele quisesse isto, ou seja, como se tivesse algum interesse em perder a boquinha, garantida, de animador-mor no picadeiro do conservadorismo, fazendo as vezes de deputado.

    Haja uma reforma política de verdade por aqui, que acabe com a reeleição de parlamentares quantas vezes quiserem, e esse circo termina num instante.

    Então, Kika, os admiradores do Bolsonaro, que existem sem dúvida entre os seus vizinhos e não são necessariamente maus sujeitos, gostam do nosso Bozo da Reserva como quem admira o Datena, ou a Hebe Camargo, ou o inofensivo Luiz Carlos Prates, ou o espertíssimo Joaquim Barbosa, ou a cobra-criada Raquel Sheherazade; digo isso pelo que vejo por aí. Há salvadores da moral e dos bons costumes, como há salvadores da pátria. Mas há sobretudo salvadores do discurso segundo a dinâmica do entretenimento, daí a sua mediocridade ativa e o seu nivelamento por baixo, quanto a todos os assuntos e o tempo todo. A “esquerda” brasileira, lamentável e vergonhosamente, também embarcou nessa, a sua maneira e de modo muito mais danoso.

    Devemos tomar cuidado com tipos como Bolsonaro ou Sheherazade quanto ao que dizemos ou multiplicamos pela internet. Pessoas desse tipo são de um oportunismo de massa (inventei esse termo e vou fazer qualquer coisa como ele um dia desses): eles sabem que acaberemos trabalhando de graça para eles, não na mídia oficial, a dos jornalões se é que ainda existem jornalões, mas nesta coisa tão imensa e organicamente funcional que é a internet, falemos bem ou falemos mal, por meio das redes sociais e dos blogs.

    O barão Assis Chateaubriand teria ficado admirado.

    Curtir

    • Pois é! Quando aquele discurso da Sheherazade começou a pulular nas redes sociais, eu adverti os amigos: “Gente, quantos assistem ao Jornal do SBT? E quantos veem um discurso desses pelo Facebook? Pois é…” Eu mesma só fui tomar conhecimento pela repercussão que gerou, sendo divulgada por quem se sentia indignada. Por essas e outras, decidi há algum tempo que eu não compartilharia mais esse tipo de discurso idiota, pra dar ibope a quem não merece (e torce por isso).

      Curtir

      • É claro! Ou será que um homem como Sílvio Santos, marqueteiro de primeira hora e conhecedor do povo brasileiro, daria alguma ponto sem nó, tendo à mão aquele verdadeiro diamante chamado Sheherazade?

        Curtir

  9. Só um complementozinho aqui, Kika — a-ki-kika.

    Teremos aqui em São Paulo a menifestação de extrema-direita, a Marcha da Família com Deus pela Liberdade, o Retorno — é assim mesmo que se chama! Uns amigos vieram me convocar a dar enfrentamento à marcha deles, porque somos antifascistas e antifascista que é antifascista acombate o fascismo ali na rua. Eu respondi: Companheiros, não banquem os bobos; além de vocês estarem dispostos a fazer número em circo alheio, número em sentido literal mesmo, número de gente, ainda querem criar certos fatos políticos de que o inimigo necessita e aceitará de muito bom grado… É tão óbvio!

    Curtir

Deixe aqui seu comentário! ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s