Luto pelo email

tem gente anunciando o fim dos blogs (droga, justo agora que recém-criei o meu! :() e eu ainda nem assimilei o fim dos emails, dado como presunto há vários meses.

Minha ficha começou a cair há umas duas semanas. Sério, há coisa de suas semanas meus emails pessoais simplesmente pararam de ser atualizados. Parei de receber mensagens por email! Meu Gmail, que fica aberto o dia inteiro, na minha frente, parou de ter o esperado numerozinho de mensagens entre parêntesis me indicando que algum parente ou amigo quis gastar uns minutinhos pra me contar coisas da vida, ou perguntar da minha.

Os viões da história são as redes sociais, claro, que ainda não captei para que servem de verdade.

Porque, ao mesmo tempo, ocorreu um fenômeno curioso: eu, que nunca entro espontaneamente no Facebook, só alertada por emails, comecei a receber mensagens dos amigos só por lá.

Lembram da boa e velha troca de emails marcando um almoço ou um buteco de happy hour? Agora a combinação passou a ser toda feita pelo Facebook! =O

E como os emails são a coisa mais legal da internet, disparado, fico triste que seja assim. Já estou nostálgica antecipadamente, como ainda sou das fitas k7, vinis e tudo o mais (um dia ainda escrevo sobre minha resistência a esses tais de iPads, que já anunciam como assassinos de livros…).

E aguardo ansiosamente pelos comentários que me mostrem que eu não deveria ser essa dromedária tecnológica (até pra provarem que meu blog não está à beira da falência :D).

Anúncios