Um ano para ficar na memória

Este slideshow necessita de JavaScript.

Texto escrito por José de Souza Castro:

Há dois dias li na “Folha de S. Paulo” artigo de Jairo Marques, um jornalista cadeirante, que me fez pensar. “Por todos os lados”, diz ele, “tenho escutado em coro ‘Acaaaaba, 2015’, o ano mais terrível de todos, o ano das desgraceiras nas mais diversas áreas, o ano em que ficamos mais pobres, o ano em que políticos e empresários ficaram nus, o ano em que Minas chorou barro e o ano em que um bebê sírio deitado de morte na praia arrancou pedaços de corações em todo mundo”.

Apesar de tudo, ele gostaria que o ano continuasse. Porque foi em 2015 que nasceu, há sete meses, a filha Elis. Ele não queria perder um dia sequer de um ano que lhe trouxe, e à família, tanta felicidade elisiana.

“Minha filha me faz valorizar mais o tempo que tenho agora e projetar com mais calma e menos ansiedade o amanhã. Faz eu refletir sobre o que tenho e não sobre o que não tenho”, diz Marques – chefe da minha filha Cristina na Agência Folha, quando ela começava sua carreira em São Paulo.

Eu tenho mais motivos para pensar como ele. Foi em 2015 que nasceram Felipe, Luiz e Matheus – meus netos mais recentes. Só isso, para mim e todos em minha família, supera as dificuldades vividas por nós durante o ano.

É uma questão de foco, diriam. Sim, mas não só. Há muitas maneiras de se repensar o ano que terminou. Como eu venho de longe, como dizia Leonel Brizola, já vi muitas coisas misteriosas, muitas desgraceiras, em minha vida. Nascido em plena Segunda Guerra Mundial, cuja importância só vim a perceber uns 15 anos depois, vivi um tempo em que não faltou, no Brasil e no mundo, um ano que parecia o mais terrível de todos.

No entanto, sobrevivi a todos eles. Por isso, vivo dizendo à Cristina que precisamos ser otimistas. E, em 2015, quase me cansei de repetir isso ao jornalista Acílio Lara Resende, meu chefe durante 16 anos no “Jornal do Brasil” e que, nos últimos meses, tem-se revelado extremamente pessimista com a situação do país, em seus artigos no jornal “O Tempo”.

Na mesa dele, na sucursal do JB, havia uma plaquinha de acrílico sobre uma base de madeira, com uma frase – “Isso também passa” – para a qual apontava silenciosamente sempre que um de nós levava a ele um problema que no momento parecia insuperável, insuportável.

Passa sim, como passou a ditadura de Salazar em Portugal, derrubada por um golpe militar no mesmo dia em que nasceu meu filho mais velho, o Henrique. Como passou a última ditadura militar brasileira. E como passará, estou certo (sou um otimista), a armação da direita para implantar nova ditadura no Brasil, desesperançada que ela parece estar de ganhar o poder pelo voto.

Sim, 2015 não será esquecido tão cedo. Há muitas lições a se tirar desses 365 dias. Sobretudo para nós, jornalistas. Se eu tivesse que fazer uma retrospectiva da imprensa – como fez a Cristina com os livros e filmes lidos e assistidos por ela durante o ano – o resultado não seria otimista. Por isso, não faço, pois estou muito velho para me tornar pessimista. E acho que todos nós saberemos tirar proveito dessa lição. Quem de nós não sofreu na pele as consequências dos erros da imprensa que contribuíram para jogar o país na depressão? Mas, felizmente, ainda não na ditadura…

tarja_licenca

Leia também:

faceblogttblogPague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

 

Anúncios

Um alô aos leitores do blog

Foi só eu dar uma pausa nas publicações deste blog que:

  • Uma tragédia ambiental sem precedentes aconteceu na cidade histórica de Mariana (e segue acontecendo até hoje, no percurso do rio Doce a caminho do mar capixaba)
  • Teve atentado terrorista em Paris
  • Eduardo Cunha se vingou das investigações da Lava Jato e aceitou pedido de impeachment contra a presidente Dilma
  • Houve outros desdobramentos da Lava Jato, com apreensões até na casa do presidente da Câmara, que é alvo de processo de cassação
  • Já teve ruptura simbólica do vice Michel Temer com a presidente Dilma
  • Já teve protesto contra governo e pró-governo
  • Teve uma coisa que nunca achei que eu fosse viver o bastante para ver — a condenação (em primeira instância) do ex-governador mineiro Eduardo Azeredo por sua participação no mensalão tucano
  • O Brasileirão terminou, com o Galo em segundo lugar, levando à troca do Levir pelo Aguirre
  • Ficamos conhecendo a microcefalia, a zika e outros tantos pesadelos trazidos pelo antes muito mais inocente mosquito da dengue
  • Caiu o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, criticadíssimo pelos militantes petistas, e Nelson Barbosa ocupou seu lugar
  • O Uber foi proibido em BH e o Whatsapp ficou horas bloqueado em todo o país
  • Houve um incêndio no prédio da estação da Luz, em São Paulo, onde também fica o Museu da Língua Portuguesa, destruído pelas chamas
duke2015

Charge do Duke publicada no jornal “O Tempo” em 22/12/2015

 

E mais uma porção de notícias graves/importantes/de grande impacto etc, tudo em um período de menos de 50 dias! =O

Cada uma dessas notícias renderia posts enooormes neste blog, com análises, opiniões, debates e tudo o que costuma rolar por aqui. Mas não fiz nada disso por um motivo muito simples: perto da grande notícia que aconteceu na minha vida, com a chegada do Luiz no dia primeiro de dezembro, todas estas listadas acima perderam qualquer significado para mim. Para falar a verdade, tenho acompanhado o noticiário só muito esporadicamente, sem me aprofundar, tanto por falta de interesse (temporária, imagino) quanto de tempo. Meu lado apaixonada-por-jornalismo fica um pouco triste por estar de fora de tantas coberturas intensas, mas o resto de mim, meus outros tantos lados, está tão preenchido com o exercício da maternidade inédita (e tão encantado com esse pequeno ser que apareceu na minha vida) que só dá de ombros.

Luiz, quando tinha 1 semana, e eu, só sorrisos :)

Luiz, quando tinha só 1 semana, e eu, só sorrisos 🙂

Dilma pode cair? Cunha pode ser preso ainda antes do Réveillon? Nem Chico Buarque é mais respeitado nas ruas apenas por defender publicamente suas ideias? Tudo isso é pequeno demais perto da ciência complicadíssima que envolve a amamentação, da alegria que eu sinto ao ouvir um simples arroto, da paz que é ver meu bebê dormindo num sono profundo, dos litros de baba que despejo admirando sua carinha linda, do misterioso buraco-negro que suga todas as horas do meu dia com as coisas mais prosaicas (e me lembra que o lado prosaico da vida é provavelmente o mais especial!).

O blog está adormecido, como anunciei por aqui em novembro, mas tenho andado com um bloquinho para todo canto, onde de vez em quando registro minhas anotações, para tentar me lembrar de todas essas aventuras quando elas já contiverem outros tipos de desafios e experiências. E tenho certeza que essas memórias ainda vão render muitos posts por aqui (quem sabe até um livro?).

Enquanto isso, o blog seguirá meio fechado, de vez em quando só com alguma nota lá na página do Facebook, no Twitter ou no Goodreads, que são mais fáceis de atualizar. Mas vou tentar cumprir três tradições de todo fim de ano: os posts de aniversário do blog e as listas de melhores livros e melhores filmes do ano. E toda vez que a saudade de publicar meus escritos for maior que a vontade ou necessidade de continuar desconectada mais um pouco, vou passar por aqui, acompanhada desta tarja:

tarja_licenca

Agora deixa eu me conectar de novo com meu bebê — não sem antes desejar a vocês um excelente Natal, com tudo o que esta maravilhosa época do ano tem direito 😉

IMGP2530

faceblogttblogPague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

Cena da Virada Cultural em Belo Horizonte

Artistas homenageiam Fernando Brant na praça da Estação, em 12.9.2015

Artistas homenageiam Fernando Brant na praça da Estação, em 12.9.2015. Foto: CMC

Todo mundo que vi, até agora, curtiu bastante a Virada Cultural de Beagá nesta edição de 2015. A programação foi muito variada, os palcos estavam todos cheios, não houve confusão.

Eu estive no show de abertura, na praça da Estação, em que vários artistas mineiros, da velha e da jovem guarda, se reuniram para prestar uma homenagem ao compositor Fernando Brant. Foi muito legal! Abaixo, a melhor música de todas, “Para Lennon e McCartney”, interpretada por Affonsinho, que jogou um solo de guitarra de Jimi Hendrix no meio e até levantou os fãs de Sepultura (os “camisas-pretas”), que estavam ouvindo meio desanimados até então, no fundo da praça.

Pena que eu estava perto demais da caixa de som e o áudio no meu celular não ficou muito limpo, mas acho que já dá para sentir o clima:

E você, esteve em algum show da Virada Cultural? O que achou? Qual foi seu favorito? Compartilhe suas impressões, fotos e vídeos conosco 😉

Veja também:

faceblogttblogPague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

15 metas para 2015 (e inspirações para alcançá-las)

alvo

Ok. 2014 acabou, já fizemos um balanção de como foi nosso ano, de como anda a vida até aqui, de quais rumos queremos tomar daqui por diante. E, é claro, chegou aquele momento crítico em que precisamos traçar metas para cumprir nossos próximos objetivos. Hoje já é dia 4, a ressaca já passou, já comemoramos bastante, agora está na hora de falar sério: e aí, o que você vai fazer da sua vida neste ano recém-nascido? Ou vai esperar ele terminar para fazer aquelas promessas toooodas de novo? Nada disso! Aprume-se, pegue a caneta e o papel (bons e velhos) e faça já sua listinha. Não precisa ser muito grande: se tiver um único item importante em que você queira focar todas as suas energias para tornar sua vida (e a dos outros) melhor neste 2015, já será mais do que suficiente.

Para ajudar os leitores, selecionei abaixo 15 metas bacanas, que muita gente costuma eleger nesta época do ano, e escolhi posts do arquivo do blog que poderão dar uma mãozinha. Seja inspirando, seja com dicas práticas, tenho certeza de que estes posts vão te ajudar um pouquinho mais 😉

Confira:

  1. Quero cultivar uma horta dentro de casa. Leia AQUI, AQUI e AQUI.
  2. Quero perder peso ou ter uma vida mais saudável. Leia AQUI, AQUI, AQUI e AQUI.
  3. Quero trabalhar menos, ser menos workaholic ou me estressar menos no emprego. Veja AQUI, AQUI, AQUI e AQUI.
  4. Quero conseguir um emprego ou mudar para um emprego melhor. Veja AQUI e AQUI (para jornalistas).
  5. Quero aprender coisas novas, como um outro idioma. Leia AQUI.
  6. Quero mudar de apartamento. Leia AQUI, AQUI, AQUI, AQUI e AQUI.
  7. Quero mudar de cidade/Estado. Leia AQUI, AQUI e AQUI.
  8. Quero viajar mais. Leia AQUI e todos os posts desta PASTINHA.
  9. Quero ler mais e ver mais filmes. Leia AQUIAQUI e AQUI.
  10. Quero parar de fumar. Veja os seguintes posts: AQUI AQUI.
  11. Quero parar de beber. Leia AQUI, AQUI, AQUI e AQUI.
  12. Quero fazer trabalho voluntário, doações ou exercer minha solidariedade. Leia AQUI, AQUI, AQUI, AQUI e AQUI.
  13. Quero conhecer um grande amor. Leia AQUI e AQUI.
  14. Quero superar uma grande dor ou uma fossa. Leia AQUI e AQUI.
  15. Quero superar uma doença. Leia AQUI.

Você tem alguma meta que não está listada acima? Me conte qual é, talvez eu possa encontrar algum post que te ajude a superá-la 😉

Leia também:

Mais um ano que acaba (e haja notícia!)

Salvador Dali

Salvador Dali

Rio das Ostras, fogos de artifício, mar azul. Marchinhas politizadas de Carnaval. Vejo todos os filmes do Oscar. Morre jornalista Santiago Andrade. Facebook compra aplicativo WhatsApp por US$ 16 bilhões. Morrem Philip Seymour Hoffman e Eduardo Coutinho. Carnaval. Avião da Malásia desaparece com 239 a bordo. Fui para o portal. Operação Lava-Jato revela esquema de corrupção na Petrobras e ex-diretor é preso. 29 anos de idade. Eu não mereço ser estuprada. Doença em família. Semana Santa no Ceará. Morre Gabriel García Márquez, José Wilker, Luciano do Valle. Férias on the road: São Paulo, Santa Catarina, Minas. Copa do Mundo. No Mineirão. Família ganha novo bebê. Tragédia em BH, viaduto cai, 2 morrem e 22 ficam feridos. Avião é abatido com 298 passageiros na Ucrânia. Revelado aeroporto que governo de Minas construiu para família de Aécio. Morrem Ariano Suassuna, Rubem Alves, João Ubaldo Ribeiro, Plínio de Arruda Sampaio. Vexame na Seleção, 7 a 1 pra Alemanha. Galo campeão da Recopa. Morre Robin Williams, captain, my captain. Morre Eduardo Campos, ressurge Marina Silva. Roger Abdelmassih é preso. Eu me casei. Ilha Grande, paraíso. Blog no Brasil Post. Fernando Pimentel é eleito no primeiro turno e põe fim a 12 anos de dinastia tucana em Minas. Eleições do ódio. Dilma é reeleita, com vitórias em Minas (onde Aécio governou), Rio (onde Aécio mora) e Pernambuco (de Eduardo Campos). Show de Luiz Melodia. Ineditamente, executivos de grandes empreiteiras são presos por oferecerem propina. Galo campeão da Copa do Brasil vencendo por 3 a 0 seu maior rival. Chaves morre, morre Manoel de Barros. Família ganha outro bebê. Perdi 7 kg sem perder a cabeçaEstados Unidos e Cuba se reaproximam após 53 anos. Morre Joe Cocker. Natal (e aniversário do blog). Serra do Cipó. Avião desaparece na Indonésia com 162 a bordo. Ano do ebola. Ano de crise hídrica sem precedentes.

Uma coisa que não faltou neste ano foi notícia, né? A matéria prima dos jornalistas esteve mais ativa que nunca.

Fora este parágrafo de retrospectiva, pessoal, nacional e mundial, eu também quero destacar um desafio que o “Brasil Post” propôs a seus blogueiros e que publiquei por lá nesta semana: eles perguntaram para quem tiro o chapéu e para quem enterro o chapéu bem fundo em minha cabeça neste 2014. CLIQUE AQUI para ver o que respondi 😉

E você, o que achou deste 2014? Quais fatos mais marcaram sua vida, pessoalmente ou não? Para quem você tira o chapéu neste ano?

Feliz ano novo! Que sua passagem de ano seja bem alegre e divertida e que 2015 seja um ano ainda melhor e mais agitado do que foi este 😀

Leia também: