Ouça as canções do novo álbum de Affonsinho: ‘Certeza?’

O músico mineiro Affonsinho vai lançar seu novo álbum, “Certeza?”, nos dias 3, 4 e 5 de agosto, no Palácio das Artes. Até agora, se não me engano, ele já pingou cinco canções desse novo CD, uma delas com videoclipe.

É a minha favorita, pela letra e pela música, e a que dá nome do álbum. Para abrir o post:

Minha segunda favorita é “O meu pai tava triste”, que ele compôs para minha sobrinha querida, a Laurinha, de 9 anos (!). Ele explica: Continuar lendo

Anúncios

Trilha Sonora – Pra ir entrando no clima da Virada Cultural!

Fotos: Divulgação

Fotos: Divulgação

Ontem eu selecionei minhas apresentações favoritas da Virada Cultural 2015 de Belo Horizonte, que acontece neste fim de semana, 12 e 13 de setembro. Criei um cardápio pessoal e compartilhei com todos aqui.

Vocês devem ter reparado que, embora a Virada também conte com várias peças de teatro, oficinas, eventos de gastronomia, exibição de filmes e outras coisas culturais, o que mais me interessou, como sempre, foi a música.

Meu gosto é eclético, então pode agradar a muitos leitores com gostos diferentes: tem blues, jazz, rock, samba, MPB e até uma viola caipira.

De todas as minhas seleções, a única que não se trata apenas de música é a apresentação dos BeHoppers, que são, antes de mais nada, dançarinos — mas guiados por um jazz alegre da melhor qualidade.

Assim, como hoje é sexta, véspera da Virada — e de um fim de semana sem plantão, eba! –, já está na hora de entrarmos no clima. Para isso, separei abaixo algumas faixas, de cada um dos grupos que recomendei ontem, para a gente ir ouvindo e chegarmos bem afiados na hora do show ao vivo 😉 Também é bom pra ajudar os indecisos a se decidirem…

Bom proveito!

Toninho Horta cantando “Manoel, O Audaz”, que compôs com Fernando Brant:

Audergang tocando “Blues for the blues”:

Trechinho do projeto Inéditas, de tributo a Billie Holiday:

Simoninha e Max de Castro, em “Nem Vem que Não Tem”e “Mamãe Passou Açúcar em Mim”:

Frederico Heliodoro toca “Vida Nova Outra Vez”:

Chico Lobo tocando “Caipira”, de sua autoria:

Velha Guarda do Samba de BH:

Banda Take Five tocando Summertime:

Cobra Coral cantando Gatas Extraordinárias:

BeHoppers dançando When You’re Smiling:

Graveola e o Lixo Polifônico toca “Insensatez”:

Otto e Baby do Brasil tocando “Todo Dia Era Dia de Índio” (na Virada Cultural de SP que aconteceu em junho deste ano):

Shello & LoBo Blues Band tocando “My Babe’s Gone” no Uaiktoberfest 2014:

CLIQUE AQUI para acessar a programação completa e montar seu próprio cardápio 😀 E CLIQUE AQUI para baixar o PDF com a programação completa, para acessar mais fácil no seu celular na hora do evento (ou imprimir, se achar melhor).

Leia também:

faceblogttblogPague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

A boa música que não está no eixo Rio-SP (nem no nicho das Leis de Incentivo)

Fotos: CMC

Fotos: CMC

Estou numa tristeza danada. Ontem fui ao show do Affonsinho e gravei várias das músicas e lindíssimos solos de guitarra, pensando em colocar aqui no blog, mas descobri (da pior forma possível) que o áudio do meu novo celular é tenebroso. Se eu colocasse aqui, ia desmerecer o talento de um grande músico.

Mas ainda me resta descrever o que vi e ouvi lá ontem, no Teatro Alterosa. E recomendo a todos que gostam de música que leiam este post com atenção.

Estou falando de um músico que não está no mainstream, que não toca na novela da Globo, que não é do eixo Rio-São Paulo, que não procura recursos de nenhuma lei de incentivo, de qualquer esfera, que não aparece todos os dias na imprensa (e, quando aparece, costuma ser na mineira), enfim, que é totalmente independente, e, mesmo assim, já chegou a 12 álbuns, em quase 30 consolidadíssimos anos de carreira. É respeitado pelos outros músicos que o conhecem, por saber tocar bem em todas as searas que já testou: do blues à bossa nova, do rock ao samba e, agora, neste último álbum, ao folk.

Com Péricles Garcia.

Com Péricles Garcia.

Ontem ele convidou para o palco outros cinco músicos excepcionais, e presenciei eles declarando, em público, que o que o Affonsinho faz é “coisa de gênio” (disse Denise Reis), “profundamente emocionante” (disse Péricles Garcia) e que é fã do trabalho dele (disse Kadu Vianna). Também passaram pelo palco a voz maravilhosa de Mariana Nunes e a cantora Malvina Lacerda.

Bom, eu também virei fã do Affonsinho, como vocês podem ver pelos posts neste blog. Quando o conheci, na condição de cunhado, nunca tinha ouvido um CD dele, porque infelizmente até os belo-horizontinos às vezes não conhecem os feras que têm em sua cidade. Aos poucos fui indo aos shows, babando com a facilidade com que ele toca violão e guitarra, e com a voz suave que usa nas canções. E a cada show a que vou, fico feliz pelo clima ótimo, pessoas felizes, de todas as idades, comentando no fim do show o quanto foi bom terem ido até lá.

Com Kadu Vianna.

Com Kadu Vianna.

Mas, a cada show, fico indignada e meio triste por nossos talentos de Minas Gerais, que são tantos (os músicos que acompanham Affonsinho — o baixista Fred Heliodoro, o baterista Felipe Continentino e o tecladista Christiano Caldas — são bons exemplos disso, além dos convidados que subiram no palco), serem tão esmagados pelos talentos paulistanos e cariocas, em termos de recursos, tempo de mídia etc. Para resumir: um músico paulista que venha tocar em BH recebe um cachê razoável, enquanto um músico de BH que vai tocar em São Paulo não recebe nada, precisa arcar com todos os custos e tem ainda que agradecer pela oportunidade. E falo também em nome de outros Estados: quantos músicos catarinenses o Brasil conhece? E maranhenses? Os baianos que fizeram sucesso já tinham embarcado no eixo antes.

Enfim, faço minha parte ao jogar esse conteúdo na internet. Desta vez, infelizmente, sem vídeos. Mas vocês podem ver uma amostra do penúltimo show dele que vi, AQUI. E, se começarem a pipocar vídeos no Youtube, acrescento a este post. De qualquer forma, a Rede Minas vai transmitir o show inteirinho em breve, e provavelmente também vai jogar na internet. Assim que eu souber quando, aviso por aqui 😉

Só ontem fiquei conhecendo a Denise Reis, carioca, que participou em três músicas do show. Vou falar dela no próximo post!

A banda e todos os convidados, no final do show.

P.S. Só ontem fiquei conhecendo a Denise Reis, que participou em três músicas do show. Vou falar dela no próximo post!

Atualização em 24/11: achei dois vídeos do show! Vejam AQUI e AQUI.

Degustação grátis do novo CD do Affonsinho

Affonsinho e Frederico Heliodoro em apresentação do CD "Zague Zeia", em São Paulo.

Affonsinho e Frederico Heliodoro em apresentação do CD “Zague Zeia”, em São Paulo.

Já falei um bocado sobre ele aqui no blog (leiam neste, neste e neste posts). No final de maio, o Affonsinho lança seu 10° álbum em carreira solo, o “Trópico de Peixes”.

Mas ele já está oferecendo uma pequena degustação, de quatro das 12 novas canções do disco.

Escutem só:

(Com a carioca/americana, Alexia Bomtempo)

(Com a paulista Verônica Ferriani)

E uma com clipe: