Ir para conteúdo

As 6 pessoas no governo Bolsonaro que vão levar a cultura do Brasil para o buraco

OBSERVAÇÃO: Quando escrevi o post abaixo, ontem à noite, eu já achava a trupe da Cultura do Bolsonaro um show de horrores. Mas hoje acordo com esse Roberto Alvim fazendo discurso nazista. Eles sempre conseguem se superar na ruindade. Felizmente, os brasileiros ainda conseguem protestar em várias esferas e impedir que esses monstros saiam do armário. Alvim foi demitido, Bolsonaro teve que se retratar. Mas sigamos alertas, porque ainda há muitos ovos de serpente neste governo, prontos para serem chocados.

Estamos todos caindo neste mesmo buraco. Foto: Rosario Nuñez / Unsplash

Leio na “Folha de S.Paulo” que, em sua última live no Facebook, Bolsonaro apareceu ao lado do ministro da Educação (sic) e o da Cultura (sic) para anunciarem um programa de incentivo à cultura voltado para conservadores (sic).

É tanto (sic) que parece até que estou soluçando!

Aí um trecho da matéria de Gustavo Fioratti:

“Pede dinheiro para seu vizinho e vai fazer o filme que bem entender”, disse o presidente, em defesa do que Alvim considera ser “uma curadoria” do governo.

Alvim também disse que o governo vai “lançar um edital para cinema” ficando “filmes sobre a independência do Brasil e sobre figuras históricas brasileiras, alinhados ao conservadorismo nas artes” e que “dignifique o ser humano”.

Em outras palavras: se o camarada quiser fazer um filme que fale que a ditadura militar foi uma maravilha, ele vai ganhar recursos do governo federal. Se quiser fazer um filme como “Cidade de Deus”, vai ter que tentar conseguir com “o vizinho”.

Se isso não é censura prévia, me chamem de Dorotéia a partir de agora.

Mas esta matéria foi útil para uma outra coisa: ela escancara, em uma simples galeria, o baixíssimo nível das figuras que foram colocadas em cargos-chave da cultura nacional, nesta era sombria do governo Bolsonaro. Os critérios para que assumissem seus postos são, basicamente, seguirem Olavo de Carvalho, acreditarem que a Terra é plana e baterem continência para o capitão.

Eis o resumo da ópera, que passo a escancarar aqui:

SECRETARIA DA CULTURA:

SECRETARIA DE FOMENTO E INCENTIVO À CULTURA:

FUNARTE:

SECRETARIA DE DIVERSIDADE CULTURAL:

BIBLIOTECA NACIONAL:

FUNDAÇÃO PALMARES:

Só para aumentar nossa dor de barriga, vou relembrar alguns nomes que já ocuparam estas importantes cadeiras:

  • O historiador e escritor Joel Rufino dos Santos, um dos intelectuais mais importantes do Brasil, já foi presidente da Fundação Palmares (nos governos de Itamar Franco e FHC), em vez do atual homem que dá declarações racistas.
  • Gilberto Gil, um dos nomes mais consagrados da música brasileira, já esteve à frente do então Ministério da Cultura (governo Lula).
  • O polivalente Ziraldo (cartunista, chargista, pintor, dramaturgo, caricaturista, escritor, cronista, desenhista, humorista, colunista e jornalista) e o poeta Ferreira Gullar, um dos mais importantes da literatura brasileira, já estiveram à frente da Funarte (nos governos Sarney e Itamar, respectivamente).
  • Na presidência da Biblioteca Nacional, em vez do atual “aspirante a filósofo”, já tivemos os acadêmicos Muniz Sodré (professor emérito da Universidade Federal do Rio de Janeiro, considerado um dos mais importantes teóricos da comunicação e da mídia no Brasil), Eduardo Portella (que foi da Academia Brasileira de Letras, foi diretor-geral adjunto da Unesco, professor emérito da UFRJ, ministro da Cultura etc) e Renato Lessa (Professor Titular de Teoria Política, da UFF), dentre outros.

Enfim, acho que já deu para entender, né? Estamos lascados.

Temos um ministro da Educação e uma turma assustadora na Cultura que querem deturpar a história do Brasil e censurar as artes e que não têm o menor preparo (intelectual, cultural e cognitivo) para estarem à frente de pastas tão delicadas para o futuro do país.

Um país sem educação de qualidade e sem cultura em breve será um país afundado no buraco de sua própria ignorância. Ai de nós.

Leia também:

  1. Mais um caso de grave censura a uma produção cultural no Brasil fundamentalista e autoritário em que vivemos
  2. Em 1 mês de governo Jair Bolsonaro, pelo menos 40 retrocessos e absurdos; veja a lista
  3. A censura ao beijo gay dos quadrinhos e o fundamentalismo religioso no Brasil
  4. Brasil, o ex-país do Carnaval
  5. O futuro distópico de um Brasil governado por bolsonaristas e olavistas
  6. O fanatismo, o fascista corrupto, as fake news e minha desesperança
  7. O fanatismo e o ódio de um país que está doente
  8. Fanatismo é burro, mas perigoso
  9. O que acontece quando os fanáticos saem da internet para as ruas
  10. Há um Jair Bolsonaro entre meus vizinhos?

***

Quer assinar o blog para recebê-lo por email a cada novo post? É gratuito! CLIQUE AQUI e veja como é simples!

faceblogttblog

Cristina Moreno de Castro Ver tudo

Mineira de Beagá, jornalista, blogueira, poeta, blueseira, atleticana, otimista, aprendendo a ser mãe. Redes: www.facebook.com/blogdakikacastro, twitter.com/kikacastro www.goodreads.com/kikacastro. Mais blog: http://www.otempo.com.br/blogs/19.180341 e http://www.brasilpost.com.br/cristina-moreno-de-castro

Um comentário em “As 6 pessoas no governo Bolsonaro que vão levar a cultura do Brasil para o buraco Deixe um comentário

Deixe aqui seu comentário! ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: