Os gordos vivem numa ditadura

De aliceecila.tumblr.com

Imagens tiradas de aliceecila.tumblr.com

Li agora um excelente post do excelente blog “Escritos ao Vento”, da jornalista Ana Paula Pedrosa (ele está listado entre os blogs favoritos, ali na coluna da direita; não deixem de conferir todos os que estão lá! ;)). Leia TAMBÉM.

Ela fala sobre a ditadura da magreza em que vivemos nos dias de hoje. E termina relembrando uma das campanhas da Unilever sobre a “real beleza”, que é mesmo linda. Não me lembro se já postei o vídeo aqui no blog, mas não tem problema repetir:

O comentário que deixei lá no blog da Ana ficou tão grande e tão empolgado, que resolvi trazê-lo para cá. Já faz tempo que prometi abordar aqui o preconceito que os gordinhos e gordões sofrem no mundo de hoje. Chegou a hora:

“Realmente é linda essa propaganda. A Unilever/Dove tem investido nas “mulheres reais” há bastante tempo em suas campanhas e sempre achei isso fantástico, já que a maioria das propagandas de xampu mostram aqueles cabelos que parecem um tecido e a maioria das propagandas de hidratantes mostram aquelas mulheres com “barriga negativa”.

Eu também sempre preferi ter a liberdade de comer o brigadeiro quando dá vontade ou tomar a cerveja na quarta à noite do que ficar fritando com meu excesso de peso, que, pela OMS, também nem atingiu o nível do “excesso”. Também, como você, desde a adolescência ouço que estou engordando. E não é fácil a gente assumir essa postura de E.T. numa sociedade tão enlouquecida pelo assunto. Mas pessoas com essa postura são cada vez mais necessárias.

Isso porque, no mundo de hoje, quem mais sofre preconceito — preconceito mesmo, de olhares desviados a olhares retorcidos — são os “gordos”. Não os “acima do peso”, como eu, mas os gordos mesmo. Não se vê um comercial de roupa com gordos, só agora estamos começando a ver manequins nas vitrines com roupas tamanho G ou GG, muito por causa do surgimento daquelas lutadoras modelos “plus size”.

Os gordos sofrem MUITO mais do que negros, mulheres, gays, pobres, carecas, judeus, ateus, qualquer “minoria” histórica que se preze. Com uma diferença: não têm uma associação política que faça lobbies por eles no Congresso ou lute contra o preconceito que sofrem, com cartilhas, passeatas e cartas a jornais. Não, são tão oprimidos e massacrados pela ditadura da magreza que nem sequer pensam em se expor pelo direito de terem o peso que quiserem ou que sua genética permite (porque há mil estudos que contestam a tese de que todo gordo é um infartante em potencial. Tem muita gente com gordura em excesso e com a saúde impecável). E são tão oprimidos que passam 100% do tempo pensando em como se tornarem, finalmente, ex-gordos.

Isso pra não falar dos que já estão magros e ficam perseguindo uma quase-anorexia. Tem algo de muito errado num mundo que permite sites vendendo remédios para a bulimia ou defendendo a anorexia. Um mundo que permite que modelos desfilem sua suposta beleza num corpo que parece o de crianças dos lugares mais famélicos da África, só cabeça, pele e osso.

Por isso, pessoas com a nossa postura são tão importantes neste mundo, mesmo sendo E.T.s. Continuemos nessa luta! :D”

foodeverything

ruleworld

Não tenho nada contra um gordo almejar ser magro, inclusive por eventuais razões de saúde. Inclusive admiro muito as histórias daquelas mulheres e homens que estavam muito gordos e, por pura força de vontade, começaram a praticar exercícios saudáveis e acompanhados e seguir um cardápio mais nutritivo, até, aos pouquinhos, terem chegado a ficar com um peso “normal”. Só não acho saudável o gordo ser massacrado por todos os lados para fazer isso e viver infeliz, à cata do regime milagroso da vez. Ou apelar para exercícios extenuantes e errados e para alimentação de fome. Muitos acabam em depressão, na angústia eterna do regime sanfona. E nem sempre se trata de uma questão de “força de vontade”, como devem ouvir sempre. Há, sim, o fator genético. E há o hábito arraigado.

Uma pessoa que escreveu muito bem sobre o assunto foi o escritor Walcyr Carrasco, “ex-gordo”, em sua coluna da revista “Época” de 1º de julho. Aliás, as colunas dele nessa revista são muito boas. Nesta, ele também afirma que “atualmente gordos são mais discriminados que os negros” e que “ser gordo virou crime”. Também fala que a “anorexia, em vez de distúrbio, está se tornando virtude” e que “sutilmente, nos empregos, gordos perdem as vagas para magros”. Por fim, diz que “muitos gordos passam a acreditar que jamais serão amados”. “Quando encontram alguém, agem como se estivessem recebendo um favor.” Clique AQUI para ler.

Eu gostaria muito de ouvir a opinião de vocês, tanto dos gordos, quanto dos ex-gordos quanto dos magros e dos defensores da magreza. Os comentários abaixo estão aí pra isso 😉

Anúncios

23 comentários sobre “Os gordos vivem numa ditadura

  1. Eu só não me arriscaria a comparar o tamanho do preconceito – como quando você fala que eles sofrem mais preconceitos do que gays, negros, mulheres… é bem relativo, né? Nunca vi um gordo apanhar ou ser assassinado por ser gordo (e nos outros três casos, sabemos como é comum). Mas, tirando isso, concordo quando você diz que eles estão tão “à margem” que nem têm quem os defenda…

    Curtir

    • Pois é, isso é meio subjetivo e fiz mais uma provocação mesmo. Mas, embora seja incomum um gordo ser morto só por ser gordo, não são raras as agressões contra gordinhos nas escolas do mundo todo, né? São as vítimas preferenciais de bullying, tanto de crianças quanto de humoristas e afins. Perdem vagas de emprego por causa do peso (basta ver o tanto de ações judiciais por conta disso no mundo todo). Sofrem no campo amoroso, na moda, na publicidade, na mídia, nas novelas e seriados… E não têm “quem os defenda”. Ou seja, embora seja uma coisa difícil de mensurar, acho que os gordos são os que mais sofrem discriminação em mais campos diferentes da vida em sociedade nos dias de hoje…

      Curtir

  2. É exatamente isso, Cris. Eu nunca vou ser a pessoa que vai recusar uma cerveja (naquele meu sentido amplo de “uma cerveja”) com os amigos para economizar umas calorias. Nunca vou achar que sou mais feliz com 100 gramas a menos do que com um brigadeiro depois de um dia estressante. Eu sou um ET feliz.

    Curtir

  3. ola,não concordo com o seu texto , acredito que quando se e um bom profissional a obesidade não interfere em nada, e quanto ao amor… não sei de onde tiraram isso de que todo gordo sofre de amor não correspondido porque e gordo, isto e um pre-conceito se fosse assim não existiriam sites para quem gosta de gordinhos? acho que você deveria se informar mais e fazer uma nova matéria sobre este tema,acredito que exista preconceito contra pessoas feias e com certeza ate você querida já deve ter discriminado( separar,excluir,descartar) alguém por achar feio? não precisa responder nada aqui. mas você no seu interior poderá lembrar-se de alguém, imagine então uma mulher ou um homem negro gordo e gay?? ele sofrera preconceito de que tipo?igual a todas outras pessoas vitimas de preconceito.( pimenta nos olhos dos outros e refresco) as pessoas deveriam cuidar mais de suas mentes e expulsar o preconceito.

    Curtir

  4. O preconceito que sofremos pode nao ser maior do que outros tipos de preconceito porem nao podemos fingir que ele nao exister nossas criancas sofrem com ele nao somente com os colegas das escolas, mais com pais, professores, disputas de esporte, uma crianca gorda sofre porque o esporte e muito importante porem exclui essa classe, e constrangedor quando vamos enviar curriculo e o anuncio pede foto de corpo inteiro, roda de amigos sempre sofremos pois nossos belos amigos magros ficam sempre comentando que estao gordos que precisam malhar , que isso e aquilo. No onibus ninguem quer sentar do seu lado, passar na roleta do onibus. O pior que parece ser bonito falar que o outro e gordo, pois sempre rimos quando ouvimos uma piada e nao existe nada nem ninguem para protestar ou reclamar, no programa do Chaves mesmo o Brasil a mais de 20 anos ri da descriminacao que o su barriga e o inhonho sofre. Ainda assim achamos que somos evoluidos, na realidade . mundo vive numa escravidao

    Curtir

  5. desde pequeno sou gordo, motivo de piadas, zoação, antes de inventarem o bullyng zoar o gordo era normal. Eu em sala de aula queria me enturmar soltava uma piada e, claro ninguém ria e ficava aquele silencio mais constrangedor, dois minutos passava e o magrao largava a mesma piada sem tirar nem por, a sala caia na risada. Aprendi a ser zoado, ao menos fiz alguma amizade colegueira, deixava me zoar pra não ficar totalmente excluido . eu falo pelas pessoas obesas, voce vai uma loja de roupas, não compra aquela que eh legal e sim a que serve. a infância passa e eu pensava, “Beleza na adolescência vai mudar…” pois bem não muda, você pode até colocar a melhor roupa, seu melhor perfume, mas mesmo assim você ainda é alvo de zoação.Na festa onde todos estão comendo seu salgadinho ou qualquer porcaria é normal, mas quando um gordinho levanta pra beliscar algo ja vem os pensamentos negativos.” Vai comer tudo e não vai sobrar nem migalha” ou ficam com aqueles olhares maliciosos pra cima da gente. pra ficar com uma mina parece que ela esta te fazendo um favor, voce quer ser atencioso, bacana, etc e tal mas no máximo vira um “amigo”. Quando voce tem um carro até aumenta suas chances mas apenas para virar motorista,essas malditas marias gasolinas te dão moral,uma leve e fictícia chance de que você vai catar ela,mas… aquele seu amigo magro cata sua “amiga”; Depois ficam falando, ” ah que voce nao se enturma, fica isolado, ou coisa parecida. Porém esses que a sociedade julga normal não sabe e nunca saberá o que é ser um gordinho, o que um gordinho passa em um dia muitos magros nao suportariam nem 1 minuto. batalhamos para não entrar em depressão, comecei a fumar para a ansiedade diminuir, ja que ta tudo fudido mesmo o que é um peido pra quem já es ta cagado? Voces devem estar pensando, nossa que baixa alto estima, que deprê… pois é caros leitores, os gordinhos se juntam entre si, pois sabem o que cada um passou, meu melhor amigo é igual eu, se ficamos isolados ao menos estamos juntos rindo da nossa barriga. não é por falta de tentar, já que não nos enquadramos na sociedade, fazemos esportes, dietas macabras, coisas que até Deus duvida, mas nossa genética não ajuda, o tal efeito sanfona. Falam que o gordinho é todo meloso, por que? simples quando uma mulher lhe da atenção ou até fala com você, fazemos de tudo para não perder , pensamos,” quando vamos encontrar uma de novo??” mas hoje a mulher prefere o cafajeste, aquele magrão que pisa e judia. e quem roda?? ACERTOU o gordo. Festas? to fora, se é pra ficar rodado prefiro ficar em casa. o que adianta eu saber cozinhar, lavar, passar, ser carinhoso, gentil, amigo, companheiro, intelectual se sou gordo? um magro que nao sabe nem da onde o ovo da galinha veio é “o cara”. Dinheiro? até ajuda, mas quem sai ganhando são seus “amigos”, tenho carro, casa com piscina, barco som do caraio, mas NA MINHA FESTA NA MINHA CASA COM MINHAS COISAS quem pega as minas são os outros. você fica no máximo conhecido de dar uma festa bacana, elas colam em você pois sabem que tem de tudo e lá vão encontrar os caras perfeitos. Família? não posso reclamar muito, mas já passei muita tristeza de pai-mãe-tio falando do meu peso, de como devo comer, de que devo consultar endocrinologista. Putz se fosse contar quantos médicos e dietas malucas ja passei daria pra escrever um livro. Ae falam que eu nao me aceito. Claro que me aceito, só falta a sociedade me aceitar, pois o que adianta eu me aceitar e os outros não, resultado…PIMBA! rodei de novo. Posso contar nos dedos as mulheres gatas que fiquei, mas mas com muita luta e muito gasto também, porque na maioria das vezes só o refugo , se for pra gastar com mulher hoje prefiro ir ao puteiro, la eu sei que não importa minha aparência e sim minha carteira, que única coisa gorda que todos gostam é a carteira recheada. Hoje tenho 24 anos, estudo, trabalho, mas meu melhor passatempo é ficar na beira da lagoa sem ninguém pra falar o que devo comer e como devo ser, pito meu palheirinho sossegado, pesco bem tranquilo. Ainda penso em um dia namorar sério, puxa seria algo incrível, eu lembro que no tempo do Orkut de querer colocar o estatus namorando ia ser algo inexplicável. Meus namoros não deram certo porque dava atenção de mais, tomei no forebis outra vez. Mas não demorava muito e lá estava a capivara manca nos braços de um magrão.

    Curtir

    • É realmente um preconceito sem fim. Fiquei curiosa com uma coisa no seu relato: vc também chegou a namorar mulheres gordinhas? Porque elas tb podem ser gatas e, pelo menos, entendem melhor toda essa história pela qual você passa desde criança. Acho essa ditadura da magreza muito cruel 😦

      Curtir

  6. Bom achei muito interessante esse texto, e por incrível que pareça achei essa matéria por acaso enquanto procurava outra coisa relacionada a gordos. As pessoas realmente tem muito preconceito com esse publico (a qual faço parte rsrs), vivi minha vida toda, pelo menos desde que me entendo por gente, sendo um gordo!
    Cresci ouvindo as pessoas da minha família me dizendo para “manerar na boca” e perder um peso, mesmo sendo uma pessoal incrivelmente saudável e extrovertida. Confesso que apesar de gostar de mim me sentia triste por sofrer na escola o que anos depois viria a se chamar “bullyng”. Era alvo de TODOS os tipos de pessoas ao meu redor brancos, negros, mulheres, homens, crianças e adultos, sempre me sentia culpado por esse “crime”, as pessoas se sentiam no direito de me xingar e me bater nas escolas que eu estudei, se sentiam no direito de simular o impacto da minha bunda com a cadeira quando eu me sentava como se meu peso fosse forte o bastante para tira-los do chão, se sentiam no direito de rir de mim quando corria na educação física(ou fazia qualquer atividade física em publico), já achava um absurdo ser obrigado a cursar essa “matéria” ou quando era obrigado a jogar bola nessas “aulas” só pra ver colegas e professores terem seu showzinho de comedia particular.
    Contar pros meu pais?! Fácil! Quando um deles te manda bater em quem te zoua e o outro fala:
    “Emagrece que eles param!”

    Como se fosse fácil bater em tanta gente, e como se fosse fácil uma criança/adolescente emagrecer de um dia para outro.

    Quando fiz 19 anos emagreci 47 quilos espontaneamente fazendo caminhada todos os dias a noite. Passei 3 anos magérrimo, porem não gostava de mim. O lado bom é que comecei a fazer “sucesso” com a mulherada, porque ate então ser amigo de um gordo elas amam, mas namorar ou ficar só as que realmente olhavam para a personalidade (pouquíssimas) davam essa chance, cansei de ouvir “você é um cara bacana mas não é meu tipo” ou “não estou procurando nada assim por enquanto” ai era só virar as costa e ver a garota em questão aos beijos com um bombadinho qualquer . Mas mesmo com o Sex Appeal elevado não tinha a mesma auto-estima de quando era gordo. Revolvi então engordar, ganhei peso novamente e em 2 anos engordei com saúde 32 quilos.
    E hoje em dia amo ver meus amigos me chamarem de gordão, bola de fogo, gordinho fofo e felizão. Porque alem de serem apelidos carinhosos para mim, eles e eu adoramos a ideia de eu ter mais auto-estima sendo gordo do que sendo magrinho.
    Voltando a como achei o site, eu vi no blog PAPO DE GORDO, uma matéria de como suspensórios estão ajudando gordinhos a serem mais estilosos, e por incrível que pareça quando fui pesquisar mais sobre isso vi que todos os sites que falam de moda masculina não tem tópicos ou dicas para gordos, pelo contrario os looks mais interessantes desse tipo de site/blog dão a sugestão para evitar esse tipos de roupa ou estilo os homens que são mais “cheinhos”.

    Realmente nos gordos (principalmente os homens) ainda somos vistos como a parte cheia da sociedade perfeita exibida pela mídia.

    Curtir

    • Muito legal seu comentário/desabafo, Leo! Obrigada por trazer todas essas lembranças para cá 🙂
      A única coisa da qual tendo a discordar é um mísero parêntesis que você colocou em sua última frase: “principalmente os homens”. Acredito que as mulheres gordas sofrem ainda mais do que os homens, porque a cobrança da sociedade pela beleza feminina é ainda mais intensa e cruel do que a que ocorre com os homens. Vou dar um exemplo banal e ilustrativo, que está longe de encerrar a questão: existem diversos apresentadores de TV e repórteres de TV acima do peso, carecas ou “feios”, mas todas as mulheres são beldades, já reparou?
      No mais, espero que um dia essa situação ridícula de acharem normal a zoação com os gordos acabe de vez. E recomendo a leitura de mais alguns posts neste blog:
      https://kikacastro.com.br/2014/07/04/desabafo-de-um-gordinho/
      https://kikacastro.com.br/2014/07/05/desabafo-de-um-ex-zoador-de-gordinhos/
      https://kikacastro.com.br/2014/02/02/o-saudavel-que-sai-caro/
      https://kikacastro.com.br/2014/02/09/uma-musica-mais-saudavel-para-chico-buarque/
      https://kikacastro.com.br/2011/03/04/arranque-a-etiqueta-de-ti/
      Espero que goste e volte mais vezes ao blog 😉
      abraços!

      Curtir

      • Obrigado pelo carinho, li alguns outros post e estou achando o conteúdo ótimo, parabéns pelo site continue o excelente trabalho.

        Em resposta:

        Concordo com seu resposta acima, porem esse exemplo meio que se limita a esse universo, e coincidentemente a maior parte de artistas/apresentadores masculinos gordos são humoristas ou tem em si uma veia humorística mesmo que sutil, cortando as meias palavras um cara gordo tem que ser engraçado para conquistar espaço na sociedade. Fora do meio artístico mulheres gordas normalmente procuram homens magros/sarados enquanto mulheres magras procuram homens magros/sarados também, claro que com exerções nos 2 casos.
        Homens gordos normalmente não fazem esse tipo de distinção enquanto homens sarados/magros fazem distinção entre os tipos acima, claro que no exemplo masculino também há exceções nos 2 casos.

        Quando coloquei no meu comentário “principalmente os homens” me baseei em uma pesquisa que me revelou que é muito mais comum ver modelos plus size mulheres nas mídias e em desfiles e etc, como você mesma citou no post. Encontramos mulheres bonitas e gordinhas por ai que são “aceitas” no seu meio social.
        Diferente de um de cara gordo! Que se não possuir essa “veia cômica” não vai ser aceito principalmente dentre as mulheres.

        Diferente do publico masculino que é praticamente rechaçado em quase todos os sentidos como moda, alimentação, namoro, vida social e tal.

        Deixando claro que odeio generalização e meu(s) comentário(s) não tem esse objetivo.

        =D

        Curtir

      • Entendo suas colocações e nunca tinha pensado sobre isso, mas pode ser mesmo verdade. Embora eu ainda ache que as modelos plus size sejam muito discriminadas. Veja o caso desta modelo australiana que dizem que é “plus size”: http://f5.folha.uol.com.br/humanos/2014/07/1490117-modelo-considerada-plus-size-causa-polemica-ao-postar-foto-de-biquini-em-rede-social.shtml ! Fiquei chocada quando li essa matéria, porque mostra que a ditadura da magreza já extrapolou até o nicho que antes era reservado às gordinhas 😦
        No fim, também custamos a ver mulheres gordas recebendo papeis de valor em telenovelas, por exemplo, a menos que interpretem a “comédia” da história, muito parecido com o que acontece com os homens. Lembra da “Escolinha do Professor Raimundo”? Era onde cabia uma Claudia Jimenez…
        De qualquer forma, essa discussão dá muito pano pra manga. O importante é que ambos, homens e mulheres, sofrem muito quando estão acima do peso, nesta sociedade em que vivemos.

        Um abração e volte sempre!

        Curtir

  7. Pois é,Cristina! Eu também sou obeso,tenho 1,90m e peso 135 kg. Vc não faz idéia das gozações que a gente aguenta por ser gordo. Já teve lugares que eu trabalhei que o povo ficava só reparando na quantidade que eu comia. Se eu comesse uma pratada,bem cheia,o povo já vinha com aquelas piadinhas: “olha o tanto que o cara come,meu! Caraca! Por isso que ele é gordo assim!” Agora,quando é um magro que come uma pratada,ninguém diz nada! Na hora da paquera,então,é um Deus nos acuda! É aí que a gente vê o preconceito escancarado! Já teve muita mulher que não quis ficar comigo por eu ser gordo! E ainda justificavam dizendo que elas estavam apenas escolhendo o que era melhor pra elas! Diziam que era um direito delas! Concordo! Mas o direito delas acabavam onde começavam o meu! Elas não precisavam também me esculhambar! Além desses apuros,tem também as piadinhas do tipo quando a gente vai sentar: Falam que a cadeira vai quebrar,que o banco não aguenta,e por aí vai. Quando a gente entra no elevador,falam que o elevador não vai subir. Quando a gente cai,falam que vai afundar o chão. Ninguém dá carona pra mim,pq falam que eu sou muito pesado,que vou virar o carro. Ninguém deixa eu andar de moto,pq falam que eu vou afundar e quebrar a moto. Ninguém senta ao meu lado no ônibus. Quer dizer,olhando pra todas essas situações que a gente vive,a gente chega a conclusão de que o gordo sofre,sim,muito mais preconceito do que os negros e os gays. Abraços e tudo de bom!

    Curtir

  8. Oi adorei o texto, e sempre que estou “mal” procuro informações ou novas opiniões, sobre o o assunto “gordos”. Simplismente porque a cada relato que vejo, e percebo que quem é “gordo” ou quem nasce gordo como no meu caso, praticamente não se pode ter uma vida feliz, e então tento juntar forças pra continuar com essa minha luta com a balança, que praticamente vei da infância. Porque não podemos ser felizes? Bom vi um video de ex-gordo no YouTube, em que ele afirma que não existe “gordo” feliz, existe apenas lampejos de felicidade, e bem simplismente eu tive que concordar, porque nunca fui feliz, eu tenho uma boa alimentação, como só coisas saudaveis, fora as crises de tristeza e anciedade, que me fazem sair da linha rs rs, mas todos os dias passo no trânsito da minha cidade, e vou olhando aquelas pessoas na hora do almoço, comendo e bebendo suco, e refrigerantes sem nem uma preocupação, pois nem isso eu tenho direito, já não tomo refrigerante de jeito nenhum, é mais facil eu morrer de sede. Rs rs acho que essa foi minha unica vitória nessa luta. Bom eu nunca fui obeso, só fui gordo tipo meu maior peso foi 106 kilos, hj estou com 95 kl com muita luta, e sofrimento.Sofrimento do tipo dormir quase toda noite com uma forte e quase insuportável dor, que é a fome, e que toda pessoa gorda tem, as vezes acho até que uma vida dessa não vale a pena viver, uma vida de fome foi a que eu vivi, e vivo até hj. Preconceito? eu posso afirmar que ser gordo é o maior de todos. Tem gays que são aceitos por alguém, negros e mulheres tambem e etc. Mas um gordo? Não esse nem mesmo eu, deixando a hipocrisia de lado, gosto. Eu prefiro mulheres magras, acho lindo umas cheinhas, e não vejo problema. Mas o homem gordo eu posso afirmar por experiência própria. Que sofre muito mais que a mulher. As poucas namoradas que tive, ficaram comigo por eu estar em fase “boa” mais magro. E logo que eu voltava a engordarjá sentia a rejeição delas, e até ameaças que foram cumpridas. Mais acho incrível a discriminação com homens, eu sempre fui um “gordinho” um pouco acima do peso. E acho incrível a rejeição das mulheres. Sou um cara inteligente e engraçado(ou seja gordo) sou um cara bonito. Tenho carro, moto e faço(faculdade) todas minhas conquistaS. Comprei com meu trabalho, pois fui criado por mãe solteira com mais dois irmãos. Mais isso tudo se anula pelo fato de eu ser gordo. já estou com 30 anos e práticamente não sei o que é vida amorosa. e todas as mulheres dizem “vc é legal, mas não é legal pra mim” mulheres gordas sempre tem os homens que gostam, e quase sempre são os magros e sarados como meu amigo, que é sarado mas não gosta de mulher “gorda” gosta de mulher obesa, tipo duas vezes o peso dele. E ele não é uma exceção, conheço muitos Assim. E pra mim sinceramente toda mulher que alega gostar de gordinho esta mentindo. Mulher gorda gosta; de magro ou sarado, mulher magra gosta de; homens magros ou sarados. Mas os homens. .. gostam de mulher magra ou mulher gorda ( gostosa). Logo se vê que um gordinho está fadado a solidão. Isso se ele não obter outros artifícios como $ , cargo em empresa e etc. Acho que eu estou preconceituoso porque já me passaram a ideia de que uma pessoa gorda não vale nada, e o pior é de eu sempre me colocar no lugar das mulheres que me dão um fora, e achar que elas tem razão em não querer nada comigo, que sou uma exelente pessoa pra ficar com um cara magro casado, ou ladrão magro, como já aconteceu cmg. uma mulher “gorda pode pensar em um amigo como um provavel pretendente, mais um homem gordo nunxa vai se sentir um pretendente em potencial de uma Mulher.

    Curtir

    • Oi, Silva! Obrigada por escrever sua história aqui. Fico triste a cada relato que leio, espero que esse preconceito mude logo. Mas não desanime, viu? Vc já tem muitas conquistas de que se orgulhar!! E um dia com certeza tb vai achar a mulher certa, que te valorize.

      Curtir

  9. Infelizmente luto desde de criança para ser um ET feliz é muito difícil porque viivemos numa diitatura da magreza percebo que somos influenciados pelo senso comum e mesmo que haja uma aceitação da nossa própria imagem as pessoas em nossa volta tem uma visão distorcida sempre a gordura está associado ao ruim em questão de saúde posso afirmar que estou 100% mesmo estando acima do meu peso e que vive a minha volta sempre relaciona gordos com pessoas relaxadas,isso me mata !!! Ninguém sabe o q a pessoa passa esses julgamentos acabam me deixando muito triste

    Curtir

  10. BOM,primeiro conto à autora do texto como cheguei ao seu blog. Eu estava lendo mais um dos blogs que discorrem sobre a discriminação em relação à mulher. Era mais um post fantástico, que fazia mais uma análise embasada em fatos históricos que dão suporte ao machismo do nosso cotidiano. E aí, fiquei pensando que de uns anos pra cá a luta das mulheres pela igualdade de direitos vem surtindo efeito. A sociedade continua patriarcal, mas muitos já conseguem enxergar a mulher de uma maneira diferente da de antes. Estamos progredindo. E aí eu pensei “embora necessário, já li muitos textos a respeito disso” e procurei na minha mente algum assunto para ler , algo que não estivesse tão em pauta mas que também precisa da mesma atenção como a que é dada à questão da mulher e do negro!

    Resultado: lembrei de quando eu era criança, gordinha. Lembrei do quanto eu me sentia humilhada diante de meus colegas só caçoavam de mim. E percebi o quanto a esse assunto não é chamado atenção. Na televisão o papel dos gordos é sempre o mesmo. Por um lado são pessoas que provocam risadas a todo o público(porque são sempre relacionadas ao ridículo), são extrovertidas, amigas, conselheiras, mas por outro nunca é atraente ou conquistadora. SEMPRE é solteira, tenta conquistar um sujeito mas ele nunca dá bola e ainda caçoa dela, e se ela consegue namorar é no ultimo dia da novela porque finais geralmente são felizes. É a mesma situação do moleque negro morador de favela e da mulher negra (e gorda ) empregada doméstica.

    Curtir

Deixe aqui seu comentário! ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s