Para que as crianças aprendam desde cedo a valorizar o cabelo que têm

Foto: Pixabay

Foto: Pixabay

Mais uma vez, me vi na obrigação de compartilhar aqui um dos textos da escritora e jornalista Sílvia Amélia.

Ela escreveu sobre um assunto que já abordei aqui no blog: a importância de valorizarmos os diversos tipos de cabelos e pararmos com essa história (idiota) de que um tipo de cabelo é “bom” e o outro é “ruim”. História que, infelizmente, é imposta às crianças desde bem pequenas.

Calma, vou compartilhar o texto inteirinho da Sílvia. Mas quero destacar um dos itens que ela elencou na reflexão da vez:

“Você fala para uma criança de cabelos lisos “nossa, seu cabelo é lindo” diante de uma criança de cabelos cacheados?”

E aí? Já fiz isso alguma vez? Várias vezes? Será que não está na hora de mudar esse comportamento ridículo? Como essa criança deve ter se sentido com a comparação nonsense?

Agora vamos ao texto na íntegra, que vale a leitura do início ao fim:

silvia

CLIQUE AQUI para ler até o fim.

 

Leia também:

faceblogttblog

Anúncios

‘Pelos direitos das meninas’, por Sílvia Amélia de Araújo

Tenho três sobrinhas e espero algum dia ainda ter o privilégio de ter uma filha. E quero ajudar a construir entre essas meninas da família, que são as mais próximas, a consciência de que podem ser livres. L-i-v-r-e-s. Para casarem ou não. Na igreja ou não. Para morarem sozinhas ou não. Para terem profissões em que há pouco espaço para as mulheres — ou não. Para serem as melhores em suas áreas profissionais. Para gostarem de homens, de mulheres, de nada, do que quiserem. Para seguirem a moda, serem vaidosas, ou não. Para terem uma religião o não. Para terem filhos ou não. Etc.

A leitura do texto que a Sílvia Amélia (que tanto cito aqui no blog) escreveu deveria ser obrigatória. Mas é bom que não seja: até nisso devemos ter liberdade, né? Então fica como sugestão para que todos os pais, mães, tios, professores, avós, irmãos, primos e amigos de meninas — e as próprias meninas! —  leiam com muita atenção e repassem adiante, numa grande corrente do bem (corrente também não cai bem nesse contexto de liberdade… Que seja uma roda do bem! ;)).

Em tempo: o Dia Internacional das Meninas foi comemorado em 11 de outubro agora tendo o Brasil na situação vergonhosa de ser um dos 50 piores lugares do planeta para as meninas, segundo a ONG Save The Children. Bora melhorar esse futuro das minhas sobrinhas e do meu filho, pessoal!

Agora vamos ao texto que realmente interessa: Continuar lendo

15 textos sobre a ‘reforma’ do ensino médio

Este slideshow necessita de JavaScript.

Como sempre faço [veja exemplos lá embaixo] quando um assunto merece aprofundamento que não posso oferecer só com um post do blog, selecionei alguns textos que acho importantes para esta discussão da reforma do Ensino Médio, implementada pelo governo Temer na base da canetada. É difícil medir, mas talvez este tenha sido o maior retrocesso dentro as dezenas de retrocessos deste já longo governo de Michel Temer.

Sempre que eu vir algum texto que complemente o debate, vou acrescentar aqui. Vocês vão ver que destaquei várias reflexões da jornalista Sílvia Amélia, que admiro muito. Aliás, recomendo que sigam o perfil de Facebook dela, que é cheio de preciosidades!

Mas vamos aos textos:

Continuar lendo

“Sentaço” em homenagem a Letícia Sabatella

Na semana passada, fomos invadidos por duas notícias muito malas, que chegaram também pelas redes sociais.

  • A primeira: Grazi Massafera estava com as axilas maldepiladas em um evento de que participou. E nem foi a primeira vez que “noticiaram” isso.
  • A segunda: Letícia Sabatella bebeu demais e “deu vexame” (nas palavras do colunista-pop), tendo que ser carregada para se levantar do chão.

03_sabatella_div

Não vi o que Grazi, linda, deslumbrante e querida por milhares de fãs, disse sobre essa notícia idiota. Toda mulher agora tem que se depilar com cera, e ficar sem nem um micropêlo, pra não incomodar os olhares dos machões? AQUI procês, ó! 😛

esqueceram-de-se-depilas

Já Letícia, também linda, deslumbrante, e com mais de 50 mil fãs só no Facebook, resolveu mostrar uma banana pra esses moralistas de plantão. No dia 5 de novembro, ela escreveu em seu Facebook:

“Que auê por causa de uma noitada de cantoria e pisco sauer com os amigos! Deitar no chão de tanto rir, e beber do céu as estrelas! Quem não precisa rir de si mesmo de vez em quando? Me recuso a sentir vergonha com esta pedra(bosta) moralista com que tentam me atingir. A vocês, queridos acusadores, ofereço Um Brinde!”

A publicação já teve mais de 20 mil curtidas, mais de 1.900 compartilhamentos, e rendeu até um evento no Facebook, Deitaço no asfalto com Letícia Sabatella, que, até a noite de domingo, já tinha 17 mil participantes. Minha veterana de faculdade Sílvia Amélia foi quem criou o grupo e diz TUDO na descrição:

“A atriz Letícia Sabatella saiu com amigos e bebeu, e cantou e se divertiu. E até deitou com eles no chão no meio de uma crise de riso. Ou seja, teve uma experiência feliz daquelas que todo mundo deveria experimentar na vida. Mas algo tão simples assim teve cobertura de parte da imprensa como se fosse um “vexame” e provocou comentários dos moralistas, sempre de plantão. Esse evento organizado por feministas pretende reunir admiradoras e admiradores de Letícia Sabatella que adorariam beber, bater papo, rir e deitar no asfalto com ela!”

Fico feliz que esses colunistas que adoram apontar o dedo para as celebridades (e levaram muitas delas ao inferno, como Amy Winehouse) estejam recebendo essa resposta criativa, imediata e SÓBRIA dos leitores. Não queremos mais ler isto, baby.

Grazi, Letícia e mulheres em geral: depilem como, onde e quando quiserem, bebam o quanto quiserem, continuem rindo de si mesmas! Não devemos satisfações a ninguém, não. E, se o machismo apertar, o bom humor será ainda o melhor remédio 😉

 

Eu chorando de rir depois de levar um tombo, em foto tirada por amigos, em abril de 2010. Arquio pessoal :)

Eu chorando de rir depois de levar um tombo, em foto tirada por amigos, em abril de 2010. Não cheguei a deitar, mas estou sentada no chão, e fica como solidariedade à grande Letícia, que também prefere rir dos momentos divertidos da vida 🙂 Foto: Arquivo pessoal

Leia também: