Por qual 2017 você torce? Veja meus votos para o ano novo!

Este slideshow necessita de JavaScript.

2016 está acabando e, como de costume, estamos naquelas de “ufa, demorou!”, “que ano péssimo!”, “já vai tarde”, “acaba logoooo” etc. Notem que não estou desprezando as mil e uma tragédias que aconteceram neste ano — de um golpe político no Brasil, com retirada do poder de uma presidente que não cometeu qualquer crime, a atentados terroristas, guerra na Síria, pacotaços tenebrosos do governo Temer e tristezas sem fim como a queda do avião com o time inteiro da Chapecoense. Mas vale a pena lembrar que, em 2015, tivemos a maior tragédia ambiental do país e estávamos, também, nesse clima da charge do Duke:

duke2015

Será que no apagar das luzes de 2017 também estaremos nessa agonia?

Por mais otimista que eu seja, tendo a achar que sim. Porque estou presenciando o Brasil dando passos galopantes para trás, em retrocessos sem fim.

O noticiário em geral está tão angustiante que cheguei a escrever, outro dia, que só os alienados são felizes. Frase no mínimo curiosa vinda de uma jornalista — que é apaixonada por jornalismo.

Um amigo, o Kenji, respondeu: “Felicidade é uma construção pessoal”.

Danei a pensar. Realmente, por mais terrível que esteja o país, a política, a economia, por mais tragédias, acidentes e guerras escabrosas em todo o mundo, ainda é possível sermos felizes no dia a dia, com a gente mesmo, em nosso pequeno círculo de amores e amigos, na vizinhança, no trabalho, no bairro, no trajeto para os lugares que frequentamos. Ser feliz é um esforço e uma construção que, embora esteja relacionado ao todo, não depende exclusivamente dele.

Com tudo isso em mente, comecei a fazer alguns votos para um 2017 melhor. Alguns desses votos são mais ambiciosos, mas outros são prosaicos, dependem mesmo da atitude de cada um de nós. Sempre que me lembro de um novo voto, acrescento lá no Twitter, com a hashtag #votosdakika.

Veja alguns desejos que tenho para 2017: Continuar lendo

Anúncios

15 textos sobre a ‘reforma’ do ensino médio

Este slideshow necessita de JavaScript.

Como sempre faço [veja exemplos lá embaixo] quando um assunto merece aprofundamento que não posso oferecer só com um post do blog, selecionei alguns textos que acho importantes para esta discussão da reforma do Ensino Médio, implementada pelo governo Temer na base da canetada. É difícil medir, mas talvez este tenha sido o maior retrocesso dentro as dezenas de retrocessos deste já longo governo de Michel Temer.

Sempre que eu vir algum texto que complemente o debate, vou acrescentar aqui. Vocês vão ver que destaquei várias reflexões da jornalista Sílvia Amélia, que admiro muito. Aliás, recomendo que sigam o perfil de Facebook dela, que é cheio de preciosidades!

Mas vamos aos textos:

Continuar lendo