Resposta aos solidários desta vida de apontamentos

Hoje acordei e vi o céu azul, pela primeira vez em muitos dias. Está calor. Não precisei do despertador. A casa tem mais vida. E nunca tive tanta vontade de escrever aquele meu poema. Ia colocá-lo aqui no blog, mas, por precaução, dei uma busca para ver se já não tinha sido publicado. Tinha

***

Então aproveito para colocar algo que eu queria desde a semana passada. Um retorno aos que colaboraram com a campanha “Ação pela vida”, organizada pela minha colega Claudia Rolli e por sua família, para tentar salvar o pai dela, Noé Rolli.

Lembram?

É, aliás, o 11º post mais lido da história deste blog, com 320 acessos diretos (fora os que leram pela home, que são bem mais).

Pois bem, toda a história dessa campanha está relatada no blog deles. Um resuminho: a família conseguiu o dinheiro e/ou apoio necessário para fazer os transplantes multiviscerais em Indianópolis, EUA. Ele ficou muito mal, tiveram que fazer uma mobilização lá para encontrar doadores e conseguiram. A cirurgia durou mais de doze horas. Foram usadas 150 bolsas de sangue e outras 100 de plasma.

Agora ele tem novos fígado, intestino, pâncreas, estômago e rim. E está em fase de recuperação, mas passando bem.

Termino com a mensagem da família Rolli:

“Esperamos que este aprendizado também possa servir a todos os aflitos: não se renda, não desista, não deixe se abater, procure e aceite uma mão amiga e nunca deixe de acreditar que a vida, com todas as suas dificuldades e os seus desafios, sempre vale a pena. Toda a estrutura, a tecnologia e os extraordinários avanços científicos envolvidos neste processo pareciam inatingíveis para nós a poucos meses atrás, não só pela fabulosa soma de dinheiro exigida, o que seria um fator mais que importante para desistir, mas também pelas delicadas condições físicas do Noé. Passo a passo, com muita determinação e a fundamental colaboração da família e a generosidade e solidariedade de centenas de amigos e de anônimos desinteressados, chegamos até aqui.”
Anúncios