O sotaque de Beagá e os turistas que nos visitam com suas bolachas

Já que ontem fiz uma verdadeira exaltação a Belo Horizonte, hoje vou trazer uma pequena piada-homenagem a nosso lindo sotaque (modéstia à parte!). Encontrei neste Facebook AQUI:

biscoito

 

A verdade é que aqui a gente fala “biscoito” mesmo, pelo menos em Beagá. Mas “trem” serve pra qualquer coisa, então, inclusive, por que não, para os biscoitos 😉

(Bolacha é só aquela coisa que a gente dá na cara de alguém muito folgado 😛 )

Os dois termos constam no Dicionário atualizado de paulistanês, com tradução direta do mineirês, que publiquei aqui no blog em 2011, com muita ajuda dos leitores. Não viu ainda? CLIQUE AQUI e bom aprendizado! 😉

Naquela mesma época, fiz um Manual de Guerra aos mineiros que acabaram de chegar a São Paulo. Imagino que muita coisa tenha mudado desde então, mas acho que algumas dicas ainda podem ser úteis até hoje. Se conhece alguém que está de mudança para a Terra Cinza, compartilhe com ele ou ela!

Não vou detalhar mais nada sobre nosso querido sotaque, porque acho que o assunto merece muito mais que um post, talvez uma coleção de enciclopédias completa, com 60 volumes. Só uma coisinha que não posso deixar de comentar: NINGUÉM FALA “BELZONTE” POR AQUI!!!!!!! N-I-N-G-U-É-M! PAREM COM ISSO!!!! É FEIO!!! E IRREAL!!!!

Feito o desabafo aos gritos, dou o toque cordial aos forasteiros: é muito mais comum a gente chamar Beagá de Beagá. Ou o “Belorizontch”, se quisermos usar a palavra completa. MAS NUNCA BELZONTE!!!!!!

Publico este post no finalzinho das férias escolares e queria compartilhar por aqui que, embora a cidade tenha se esvaziado bastante, nós também recebemos muitos turistas, e acho que esse movimento de visitantes está cada vez maior 🙂 Vejo pela quantidade enorme de pessoas que chegaram ao blog em busca do Guia Turístico de Belo Horizonte com 90 dicas de passeio. Uma coisa é certa: há muito o que fazer e muito sotaque bonito para se ouvir por aqui 😀

Espero que os turistas de outros Estados e cidades tenham se divertido e aproveitado bastante. Quem quiser enviar um relato de como foi a experiência de passear por BH, ou alguma história legal que tenha vivido aqui, pode me mandar por email e eu terei prazer em publicar aqui no blog.

Leia também:

faceblogttblogPague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

Anúncios

Minhas notas para a Copa do Mundo 2014

alma-lavada

Agora que a Copa acabou, é hora de fazer avaliações (e de sentir alguma nostalgia também, vai). O presidente da Fifa já deu nota 9,25 para o Mundial no Brasil, a Dilma já lançou o bordão “Copa das Copas“, e outros já tinham dito algo parecido, entre turistas e jornalistas do mundo todo. Os estádios, construídos ou reformados para o evento, também foram bem avaliados em geral.

Então é minha vez de dar notas também, eba! Vejam só minhas principais notas e as explicações entre parêntesis:

  • Copa do Mundo no Brasil = 10 (e o caos que todos alardeavam não houve!)
  • Seleção alemã = 10 (em todos os quesitos: qualidade em campo, simpatia, respeito aos brasileiros etc; mereceram o título e era previsível a surra que deram no Brasil — tanto que até eu previ 😀 )
  • Hospitalidade brasileira = 9 (-1 por cair em algumas provocações infantis)
  • Brasileiros nos estádios = 5 (-5 pelos imbecis vaiadores de hinos e de chefes de Estado)
  • Torcedores argentinos = 2 (-8 pelas provocações, alimentação de uma rivalidade que nem era bilateral, alimentação de ódio, desrespeito e cenas de racismo que vi ou foram noticiadas)
  • Seleção argentina = 7 (a campanha foi na base do sufoco, embora tenha jogado pau a pau com os alemães no tempo normal do jogo da final, desaparecendo na prorrogação; eles também entraram na provocação de sua torcida)
  • Messi = 6 (nem Maradona acha que ele merecia o prêmio de consolação que levou; a nota vai mais para a Fifa, no caso)
  • Seleção brasileira = 1 (maior vexame da história do futebol brasileiro)
  • Simpatia dos jogadores da Seleção brasileira = 9 (só perderam para os alemães nesse quesito porque saíram fugidos depois de levar 7 a 1)
  • Felipão = 1 (pelo menos chegou às quartas)
  • Paula Lavigne = 0 (atitude mais vergonhosa do que os 7 a 1 dos canarinhos)

Concordam com minhas notas? Quais são as suas? Coloque aí nos comentários 😉

CLIQUE AQUI para ler as notas para a Copa em Beagá (e no Mineirão), especificamente.

P.S. Propositalmente, abordei apenas o aspecto futebolístico nas notas acima. Não quero discutir problemas estruturais ou antigos do Brasil (como os que explicam a triste tragédia da queda do viaduto em Beagá, que tirou o gosto de festa da minha boca na fase final da Copa) num post sobre esporte.

Leia os outros posts sobre a Copa do Mundo: