Ouro Preto em 21 fotos + uma dica de hospedagem e uma de refeição

Este slideshow necessita de JavaScript.

Aqui em casa a gente ama Ouro Preto e, sempre que temos uma folguinha de dois dias juntos (o que é raro), damos um jeito de escapar para lá.

O turista que vai a Ouro Preto encontra dez milhões de sites com informações preciosas e, lá chegando, também acha guias turísticos aos montes, dispostíssimos a mostrarem todas as maravilhas históricas desse patrimônio da humanidade, que muitas vezes é mais valorizado pelos gringos do que pelos próprios mineiros, infelizmente.

Por isso, não serei mais uma a dedicar um post só para os museus e igrejas sensacionais que podem ser visitados na antiga Vila Rica.

Quero, aqui, compartilhar apenas algumas fotos que fizemos em nosso mais recente passeio. E aproveitar para trazer duas dicas de brinde: uma de hospedagem e outra de refeição.


#1 HOSPEDAGEM

Não deixe de experimentar a pousada do Sesc, Estalagem de Minas Gerais. Fica fora da cidade de Ouro Preto, então, se sua intenção for apenas bater perna por lá, talvez o mais indicado seja uma hospedaria de centro. Mas se quiser unir o turismo cultural e as compras ao descanso em meio a muito verde, o Sesc é uma ótima pedida.

Tem o melhor custo-benefício da cidade, principalmente se você for comerciário e tiver a carteirinha do Sesc. A diária em período de férias, que é o mais caro, sai a R$ 200 de sábado para domingo, no quarto do prédio novo (com aquecedor e varanda com linda vista para as montanhas), incluindo café da manhã e jantar fartíssimos. De domingo pra segunda, R$ 160, com café. Tem também o chalé, que tem dois andares, comportando dois casais ou uma família maior, por exemplo. O almoço e demais refeições que você quiser fazer são cobrados à parte, mas em valor bastante justo. O frigobar do quarto é limpo, para você ficar à vontade para colocar o que quiser lá dentro.

O Sesc promove atividades para as criança e o restante da família e tem trilhas muito agradáveis para fazer caminhadas em meio à natureza, com esquilos, jacus e passarinhos. À noite, é uma delícia tomar um vinho na lareira comunitária ou na varanda do quarto mesmo. Se não estiver tão frio, a melhor pedida é ir lá para o alto ver o sol se pondo. Só a piscina de lá que deixa a desejar, porque é muito-muito gelada, mesmo para o verão. Eles podiam aproveitar e estender o aquecimento solar para as piscinas (fica a sugestão!).

Outra coisa legal é que eles têm vans gratuitas que vão e voltam do Sesc até o centro de Ouro Preto em vários momentos do dia. Assim, podemos ir passear na cidade, almoçar por lá e até tomar umas cervejas, sem termos que nos preocupar em pegar no volante depois. Mais informações AQUI.


#2 ALIMENTAÇÃO

Em nossa primeira viagem em família para Ouro Preto, descobrimos por acaso um restaurante que começa numa portinha na rua, ao som de um piano bem tocado, continua escada abaixo num ambiente bastante escuro, parecendo um pub, e termina num quintal iluminado ao fundo, sempre com um jazzinho tocando no ambiente. É o Escadabaixo.

Viramos fãs de lá e, desde aquela primeira vez, sempre que vamos a Ouro Preto damos um jeito de almoçar ali. O cardápio tem várias opções deliciosas e também uma carta de cervejas artesanais diversificada (mas a gente sempre acaba optando pela Ouropretana, pra prestigiar a marca da cidade). O atendimento também é excelente. Nossa mesa favorita é a que fica bem no corredor, entre a parte escura e o quintal dos fundos, em frente à cozinha. Ali é claro, bate um solzinho agradável, e a música ambiente é sempre da melhor qualidade.

Fica na rua Direita, 122. Mais informações AQUI.

 

No mais, boa viagem! Não deixe de voltar aqui depois para contar como foi sua experiência nesta cidade mágica 😉


Leia também:

***

Quer assinar o blog para recebê-lo por email a cada novo post? É gratuito! CLIQUE AQUI e veja como é simples!

faceblogttblog

 

Anúncios

Museu das Minas e do Metal: um passeio revelador

Como contei no post da quinta-feira passada, andei turistando por Beagá, em companhia de amigas vindas do Rio. Além de levá-las para o passeio obrigatório no Mercado Central, com direito a almoço delicioso no Casa Cheia, também fomos à feira hippie, ao Parque Municipal, ao CCBB e, por fim, paramos no Museu das Minas e do Metal, também na Praça da Liberdade, que eu ainda não conhecia.

Como é bom turistar na própria cidade! Você também quer fazer isso? Baixe agora, gratuitamente, o Guia Turístico com 90 dicas de passeio em BH e região 😉

Como eu ia dizendo, acabei conhecendo junto com as turistas um dos museus do circuito cultural da Praça da Liberdade, que eu ainda nunca tinha visitado.

De cara, fiquei impressionada: um museu que trata de um assunto tão pouco popular — pedras e metais — estava BEM CHEIO no último domingo. Movimentadíssimo mesmo!

Fiquei feliz por constatar que é mesmo um espaço muito bacana e que bom que esteja sendo bem aproveitado pela população. Afinal, é gratuito!

O que vi lá? Dezenas de pedras preciosas lindas, com várias explicações a seu respeito, além de obras interativas, como o scanner que aponta quantos gramas de metal existem hoje no meu corpo (mais de 1 kg!).

Fiz bem poucas fotos do passeio, só para ilustrar: Continuar lendo

Imperdível! Últimos dias de Los Carpinteros em Beagá

De cara, já confesso minha ignorância: nunca tinha ouvido falar do coletivo cubano Los Carpinteros.

Nem mesmo tinha lido na imprensa sobre a exposição que está no CCBB desde o início de fevereiro.

Foi por acaso, ao decidir mostrar o lado turístico de Beagá para a amiga carioca que estava hospedada em casa, que fui parar nesta exposição interessantíssima que mistura carpintaria, arquitetura e design.

Lá, vi violões simulando as fases da lua, vi outros instrumentos musicais derretendo, vi referências políticas, frases bem-humoradas, duas camas de solteiro entrelaçadas como se fossem um viaduto, e mais uma porção de objetos reinventados de maneira, acima de tudo, irreverente. Mas também imaginativa e instigante. Em tempos de tanto mau humor, achei essa exposição cheia de um frescor muito bem-vindo.

Aí estão algumas poucas fotos que fizemos durante o percurso de uma hora: Continuar lendo

Um guia de Beagá feito por 4 blogueiras da terrinha

Há alguns dias fui convidada pela jornalista Daniela Fagundes, do portal Méliuz (uma startup de Belo Horizonte que criou um programa de fidelidade diferente), para participar de um guia turístico da minha cidade do coração, feito a quatro mãos, junto com outras blogueiras da cidade. E vale dizer: blogueiras muito feras, do Conexão Paris, do 360meridianos e do Eu Sou À Toa.

Ela me chamou por causa do “Guia Turístico de Beagá e arredores – 90 indicações de lugares e passeios“, que publiquei em junho de 2014 e ainda está disponível para download aqui no blog.

Ontem a Daniela me mostrou o resultado de sua proposta: quatro posts sobre Belo Horizonte e ainda um pequeno guia, de 23 páginas, que os leitores que se cadastrarem podem baixar gratuitamente.

Continuar lendo

Contribuição de leitor: música em homenagem a BH

Como vocês sabem, eu adoro publicar contribuições de leitores aqui no blog. Quase sempre, o que chega são contos, crônicas ou artigos de opinião. Mas desta vez recebi uma contribuição diferente: o leitor Cláuton Quintão da Costa enviou uma música que ele mesmo compôs em homenagem a nossa querida Beagá.

Ouça abaixo:

Continuar lendo