Minhas notas para a Copa do Mundo 2014

alma-lavada

Agora que a Copa acabou, é hora de fazer avaliações (e de sentir alguma nostalgia também, vai). O presidente da Fifa já deu nota 9,25 para o Mundial no Brasil, a Dilma já lançou o bordão “Copa das Copas“, e outros já tinham dito algo parecido, entre turistas e jornalistas do mundo todo. Os estádios, construídos ou reformados para o evento, também foram bem avaliados em geral.

Então é minha vez de dar notas também, eba! Vejam só minhas principais notas e as explicações entre parêntesis:

  • Copa do Mundo no Brasil = 10 (e o caos que todos alardeavam não houve!)
  • Seleção alemã = 10 (em todos os quesitos: qualidade em campo, simpatia, respeito aos brasileiros etc; mereceram o título e era previsível a surra que deram no Brasil — tanto que até eu previ 😀 )
  • Hospitalidade brasileira = 9 (-1 por cair em algumas provocações infantis)
  • Brasileiros nos estádios = 5 (-5 pelos imbecis vaiadores de hinos e de chefes de Estado)
  • Torcedores argentinos = 2 (-8 pelas provocações, alimentação de uma rivalidade que nem era bilateral, alimentação de ódio, desrespeito e cenas de racismo que vi ou foram noticiadas)
  • Seleção argentina = 7 (a campanha foi na base do sufoco, embora tenha jogado pau a pau com os alemães no tempo normal do jogo da final, desaparecendo na prorrogação; eles também entraram na provocação de sua torcida)
  • Messi = 6 (nem Maradona acha que ele merecia o prêmio de consolação que levou; a nota vai mais para a Fifa, no caso)
  • Seleção brasileira = 1 (maior vexame da história do futebol brasileiro)
  • Simpatia dos jogadores da Seleção brasileira = 9 (só perderam para os alemães nesse quesito porque saíram fugidos depois de levar 7 a 1)
  • Felipão = 1 (pelo menos chegou às quartas)
  • Paula Lavigne = 0 (atitude mais vergonhosa do que os 7 a 1 dos canarinhos)

Concordam com minhas notas? Quais são as suas? Coloque aí nos comentários 😉

CLIQUE AQUI para ler as notas para a Copa em Beagá (e no Mineirão), especificamente.

P.S. Propositalmente, abordei apenas o aspecto futebolístico nas notas acima. Não quero discutir problemas estruturais ou antigos do Brasil (como os que explicam a triste tragédia da queda do viaduto em Beagá, que tirou o gosto de festa da minha boca na fase final da Copa) num post sobre esporte.

Leia os outros posts sobre a Copa do Mundo:

Anúncios