Em um trajeto de uma hora, TAM “some” com mala

Todo mundo aqui acompanhou minha saga com a Olympikus, com direito a quatro capítulos e um epílogo surpreendente (e positivo).

Pois bem, agora quem está vivendo uma saga é a minha mãe, com a TAM. Divido aqui para alertar os leitores que costumam viajar de avião e ouvir de vocês se já passaram por isso e o que recomendam.

O fato é que, em agosto, ela e minha irmã fizeram uma viagem internacional. Lá, como todo mundo costuma fazer, acabaram comprando várias coisas que seriam para presentes ou que simplesmente são bem mais baratas do que aqui.

Vieram para o Brasil por uma companhia aérea estrangeira, onde não tiveram qualquer problema. Chegando ao aeroporto de Congonhas, em São Paulo, tiveram que pegar as malas para despachar pela TAM, que faria o restante da viagem até Belo Horizonte, por ser parceira da companhia internacional. Até aquele momento, as malas estavam em ordem — e elas sabem bem disso porque as abriram para pegar uns presentes que compraram para mim.

Chegando ao aeroporto de Confins, a surpresa: uma das malas sumiu. Chegou bonitinha ao Brasil, mas, numa viagem de uma hora, no trecho minúsculo SP-BH, foi desaparecida!

E aí se inicia a saga: a TAM disse que geralmente leva 30 dias para encontrar malas, a seguradora ligou todo santo dia e chegou a dizer uma vez que a mala fora encontrada, a TAM desmentiu e ficou nesse jogo de empurra exasperante.

Quando as duas já tinham contatado a empresa quase que diariamente e estavam decididas a entrar na Justiça, a mala foi entregue.

Com 40 dias de atraso.

Pior: estava toda remexida, violada e com os seguintes itens sumidos (percebidos até agora):

  • 1 cadeado codificado que estava fechando a mala
  • 1 vidro de perfume marca Paris Hilton (novo)
  • 1 par de tenis marca ASICS (novo) , masculino, tamanho 10
  • 4 pares de meias esporte da marca Tommy Hilfiger (novas)
  • 1 top de ginástica branco da marca ADIDAS (novo)
  • 1 camiseta feminina da marca Hollyster (nova)
  • 1 pacote de chocolate da marca GODIVA
  • 2 pacotes de chocolate da marca Lindor
  • 1 frasco grande de sabonete líquido
  • 1 pacote de canetas com 12 unidades 😯
  • 1 necessaire com um conjunto de cremes da marca Mary Key
  • 1 par de óculos de grau com lentes Varilux
  • 1 porta retrato de 10X15 cm que veio quebrado

Além disso, o puxador da mala está estragado, falta uma das rodinhas, a parte inferior da mala chegou bastante arranhada e um dos apoios de metal da mala está amassado e parcialmente solto.

Rodinha quebrada.

Um dos itens quebrados

Puxador estragado

Base arranhada

Apoio de metal amassado e meio solto

Não se tratam de coisas absurdamente caras, até porque minha família não tem essa grana sobrando, mas são coisas que elas escolheram com carinho para alguém e foram furtadas por alguém dentro de um dos dois aeroportos. Simples assim.

Fica a dica: evitem a TAM mesmo em viagens domésticas porque não parece ser uma empresa séria.

Alguém mais já passou por esse tipo de apuro com empresas aéreas? O que vocês fizeram?

Anúncios