Ir para conteúdo

A recuperação da Covid-19 e as experiências dos outros

Quem me ajudou a me recuperar da COVID-19 nessa semana em isolamento total: esses três livros, um xarope pra tosse, um antialérgico e a dipirona em dois momentos de mais dor. Fora isso, a cama, muita água e o carinho, ainda que privado de abraços, do Beto e do Luiz.

 

Como contei para vocês na última quarta, a Covid-19 me pegou pela primeira vez, depois de mais de dois anos de pandemia.

Até aquele dia, eu tinha experimentado os seguintes sintomas: muita coriza, tosse, dor de cabeça, dor no corpo, cansaço, sonolência, perda do olfato e a tristeza por ter que ficar isolada e atrapalhar a rotina do meu marido e do meu filho.

Na quinta e sexta eu me senti melhor, até voltei ao trabalho em home office, e ontem eu voltei a me sentir muito cansada, passei o dia todo praticamente na cama. Neste domingo, continuo com coriza, mas bem menos, e tosse, que às vezes ataca forte. O olfato eu praticamente já recuperei todo.

Como a Covid-19 ainda é uma doença misteriosa até para a ciência, achei muito importante trocar experiências com os amigos nesses dias. Fiz uma pequena enquete no Instagram e recebi respostas interessantes, que compartilho com vocês.

Dos 49 amigos que responderam, 20 tiveram Covid-19 uma vez (a amiga que respondeu que teve três ou mais disse que marcou a opção errada), ou 41% do total3 tiveram duas vezes (6%) e 26 não tiveram até hoje (53%):

 

Fiquei feliz em saber que mais da metade não pegou a doença mesmo depois de todo esse tempo. É a vacinação surtindo efeito, né! Muitos dos que se infectaram também já tinham se imunizado, inclusive alguns com três doses, como eu – mas nenhum de nós teve que ser internado, o que também mostra a eficácia da vacina contra a forma grave da doença.

Perguntei ainda quais os sintomas que eles tiveram. São mais ou menos os mesmos, mas esta doença é muito maluca, porque causou até umas coisas diferentes como perda de cabelo, ouvido tampado e manchas na pele que coçavam:

 

 

Por fim, perguntei o que eu mais queria saber: em quanto tempo as pessoas ficaram boas? Teve gente que falou que alguns sintomas, como o cansaço, duraram “meses”. Desanimador… Mas a maioria falou entre uma semana e um mês:

 

 

Agora é torcer para que eu também esteja 100% daqui a alguns dias, porque a vida segue!

 

Cristina Moreno de Castro Ver tudo

Mineira de Beagá, jornalista, blogueira, poeta, blueseira, atleticana, otimista, aprendendo a ser mãe. Redes: www.facebook.com/blogdakikacastro, twitter.com/kikacastro www.goodreads.com/kikacastro. Mais blog: http://www.otempo.com.br/blogs/19.180341 e http://www.brasilpost.com.br/cristina-moreno-de-castro

Deixe aqui seu comentário! ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: