Ir para conteúdo

Duas cenas de machismo em um dia qualquer – e a vingança de uma mulher

Cena 1:

Vou a uma loja do Ponto Frio. Precisamos de um colchão. “Procure o Luan, do setor de móveis.” Encontramos o rapaz, explicamos o que queremos. Ele responde, olhando apenas para meu namorado. Faço perguntas que ele ignora. Ele pede ao meu namorado para experimentar o colchão, não faz o mesmo comigo. Peço pra ele fazer um cartão anotando os preços dos colchões, para avaliarmos. Ele faz e entrega nas mãos do meu namorado, deixando minha mão estendida, no vácuo; nem sequer me olha. Parece que meu namorado é o consumidor, aquele que tomará as decisões e fará o pagamento, e eu sou apenas um acessório do consumidor. Fico indignada com o tratamento, vamos embora dali.

A vingança: vamos a uma loja da Ortobom, no mesmo piso do shopping, onde somos atendidos cordialmente por um senhor de jaleco e óculos que se apresenta como seu Dimas. Ele atende aos dois igualmente, pede que experimentemos o colchão juntos, responde às perguntas dos dois. Depois de mais uma pesquisa, voltamos até o senhor Dimas e fazemos questão de comprar com ele, mesmo o colchão ali sendo um pouco mais caro que o do Ponto Frio. Antes de preencher a nota fiscal, ele pergunta em nome de qual dos dois deve registrar a venda.

***

Cena 2:

Na saída do shopping, ruela congestionada. Que dá em outra rua, também toda travada. Quero virar naquela rua, mas o carro que está subindo resolveu parar no meio do caminho, deixando um longo espaço à frente, livre. Dou uma buzinadinha educada, indicando pra ele o espaço à frente, para que ele subisse e eu pudesse fazer a curva. Ele me vê, mas ignora.

A vingança: entro na pista do acostamento, faço uma curva rente ao carro dele, em manobra apertada mas rápida e precisa, e ele fica, junto com a mulher, me olhando sem entender. Encaixo meu carro na frente dele, naquele mesmo espaço livre, com perfeição. Desconcertado por ter sido “trapaceado” por uma ótima mulher ao volante, ele desata a buzinar, altíssimo, patético, como se fosse um crime eu ter passado à frente dele e aproveitado o escasso espaço da rua engarrafada. Dou um “joinha” pela janela, nem me digno a olhar para o motorista, que ainda segue buzinando até o sinal abrir e eu sair dali para a avenida, às gargalhadas.

***

Pequenos machismos estão em todo lugar, são banais, aleatórios, cotidianos, repetidos. Cabe a nós, mulheres não-sexistas, sabermos nos posicionar diante deles. Pequenas vinganças são bem-vindas nesses casos. Nem que seja pra nossa própria satisfação — e dos que assistem à cena ao nosso redor.

Cristina Moreno de Castro Ver tudo

Mineira de Beagá, jornalista, blogueira, poeta, blueseira, atleticana, otimista, aprendendo a ser mãe. Redes: www.facebook.com/blogdakikacastro, twitter.com/kikacastro www.goodreads.com/kikacastro. Mais blog: http://www.otempo.com.br/blogs/19.180341 e http://www.brasilpost.com.br/cristina-moreno-de-castro

6 comentários em “Duas cenas de machismo em um dia qualquer – e a vingança de uma mulher Deixe um comentário

  1. Não duvido que em muitas situações seja pior com as mulheres, mas esses animais do trânsito agiriam assim com qualquer um. É o que tenho visto todos os dias nas ruas de BH.

    Curtir

  2. Eu acho que no caso do rapaz da Ponto Frio, uma boa seria voltar e falar essas coisas aí pra ele, pra ele entender que a atitude dele fez perder uma venda. Enfim, a pessoa precisa ficar sabendo, se não não sei se é exatamente uma vingança. Mas de qualquer forma curti o post, a do carro foi ótima, a maioria dos homens dirige mal pra caralho haha

    Curtir

Deixe uma resposta para Cristina Moreno de CastroCancelar Resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: