De fazer inveja aos homens-bomba

Todos estão tentando entender de quem foi a culpa por uma tragédia tão grande como esta de Santa Maria. Os envolvidos ficam jogando a culpa uns para os outros. O acidente/crime acendeu um debate em todo o país. Estamos todos de olho em nossas boates, de nossas cidades. Elas são seguras? Têm saída de emergência? Extintor de incêndio? E os demais locais fechados de grande aglomeração? Lembro de duas matérias que fiz em que o Ministério Público se mostrou preventivo: quando pediu o fechamento da Igreja Mundial do Poder de Deus, que chegava a atrair 15 mil fiéis mesmo tendo capacidade para 8.040, e quando mandou vistoriar todos os túneis de São Paulo. Agora a Câmara estuda uma lei nacional que obrigue as boates e terem cuidados anti-incêndio, como já se obriga todos os lugares a terem rampas e vagas para pessoas com deficiência, por exemplo. Mas isso é para o futuro. E o acidente de Santa Maria, quem responderá por ele? O Corpo de Bombeiros e a prefeitura, que permitiram seu funcionamento? O Ministério Público? Os donos da boate? Ou o cara que soltou o fogo de artifício? O texto abaixo toma uma posição.

homem bomba

Texto escrito por Beto Trajano:

Existem poucos locais tão favoráveis a um atentado terrorista quanto uma boate. Os chamados inferninhos são ótimos lugares para não ir. Muita gente concentrada em um ambiente pequeno e abafado. É um cenário perfeito para um terrorista colocar em prática seu objetivo. Como agem os homens-bomba? Eles são piromaníacos e usam o poder da pólvora para tentar matar o máximo possível de pessoas em uma explosão, e se matam também.

O homem-bomba de Santa Maria – integrante de uma banda – não tinha a intenção de matar, mas de divertir uma multidão de estudantes.

O problema é que ele se esqueceu de combinar com os deuses da explosão. Então fez uma a baita cagada e misturou dois elementos, que exterminaram um número considerável de pessoas: pólvora e fumaça tóxica. O cara fez um ataque químico com um artefato e não carbonizou ninguém, nem dilacerou nenhum corpo. Saddam Hussein o contrataria na certa.

Na calada da madrugada, o terrorista do Rio Grande provocou a morte de jovens por intoxicação e esqueceu de se suicidar. Agora deve mofar na cadeia. Para mim, o rapaz que estourou aquele rojão é o único culpado.

Anúncios