Um filme pra ver…

Para ver no cinema: O ARTISTA (The Artist)

Nota 9

O filme é uma homenagem ao cinema e, mais especificamente, ao clássico “Cantando na Chuva”, como percebi ao final.

Mas também é uma homenagem, por que não dizer, a todas as coisas maravilhosas do passado que acabam varridas para debaixo do tapete com as novas tecnologias e o tal do “progresso”. Como a vitrola, o disco de vinil, a película 35 mm, a orquestra acompanhando um filme mudo, o amor platônico, o sapateado — em breve, quem sabe, o jornal impresso.

Tecnologia nova é bom, facilita a vida, agiliza tarefas, mas empoeira coisas que deveriam ficar lustrosas para sempre, por seu charme e sua eficiência, por todas as alegrias que já despertaram, pela capacidade que têm de tocar na alma humana.

O filme é uma homenagem aos dinossauros de outras épocas, que merecem nossa eterna admiração e respeito, mesmo que achemos razoável a lógica de que o mundo deve deixar os caminhos abertos para os jovens. Eu defendo, na verdade, que os caminhos sejam largos o suficiente para que jovens e velhos possam compartilhá-los, com a ousadia e a disposição de uns e a sabedoria e experiência de outros.

É também essa a tese desse ótimo “O Artista”, na pele dos dois protagonistas. Que é um filme mudo e preto e branco, como os de antigamente, numa era digital e com o modismo do 3D. Mas que usa bem como poucos a interferência do som na trama, nos momentos exatos, criando vibração, tensão e êxtase, como poucos. É uma homenagem, é uma defesa e uma ótima história e interpretação, tudo ao mesmo tempo.

Anúncios

Acertei 6 dos 14

Neste ano meu desempenho foi bem pior! Mas, como se diz, “azar no jogo…” 😀

Os acertos foram:

  1. Melhor filme: O Artista
  2. Melhor atriz: Meryl Streep
  3. Melhor atriz coadjuvante: a mais que merecida Octavia Spencer (foto acima)
  4. Melhor roteiro original: Meia-noite em Paris
  5. Melhor filme estrangeiro: A Separação
  6. Melhores efeitos visuais: A Invenção de Hugo Cabret

Mas foram bons acertos, eu achei, hehe.

Comentários:

  • Colin Firth é um dos sujeitos menos carismáticos do cinema. Por outro lado, viva Billy Crystal!
  • Não entendo mesmo como J.Edgar não concorreu por melhor ator e melhor maquiagem, pelo menos. E como Histórias Cruzadas ficou de fora de melhor roteiro adaptado.
  • Neste ano o páreo mais duro foi o das melhores atrizes. Putz, só fera!
  • Não é porque é brasileira, mas a música de Rio é bem melhor que a dos Muppets. Pena que não tinha a menor chance mesmo.
  • Embora o páreo também fosse duro, ainda acho que o Scorsese merecia levar neste ano. E, embora a Meryl seja mesmo uma das melhores atrizes de todos os tempos, ela já tinha duas estatuetas em casa e acho que este era o ano de Glenn Close, de novo injustiçada.
  • “O Artista” como melhor filme foi o prêmio mais previsível do século. E olha que nem assisti ao filme ainda.
  • Ver o Oscar, como sempre, me deixou doida pra assistir a vários filmes (fiz uma lista de sete urgentes). Claro que esse é um dos objetivos da transmissão, né 😉

Minhas apostas para o Oscar 2012

Como eu disse no ano passado, adoro fazer apostas para o Oscar.

Em 2011, acertei 8 dos meus 14 palpites, mas foram bons acertos 😉

Minhas apostas são um pouco de chute, já que não vi todos os filmes, e um pouco de torcida, porque alguns filmes eu adoraria ver premiados, apesar de achar que não têm tanta chance. E não entendo porque J. Edgar não concorre a nada (nem o Leonardo DiCaprio, ótimo ator, nem a excelente maquiagem!). Quem souber me explica?

Vamos ver quantos vou acertar neste ano!

  • Melhor filme: O Artista
  • Melhor ator: George Clooney
  • Melhor atriz: Glenn Close (ou a Maryl Streep)
  • Melhor atriz coadjuvante: Octavia Spencer (perfeita! Mas a Jessica, do mesmo filme, também merece)
  • Melhor ator coadjuvante: Jonah Hill (ou Max Von Sydow)
  • Melhor diretor: Martin Scorsese (difícil esta, viu. Todos ótimos e premiáveis. O Terrence e o Michel têm até mais chances, mas eu torço pelo Scorsese)
  • Melhor roteiro adaptado: A Invenção de Hugo Cabret
  • Melhor Roteiro Original: Meia-noite em Paris
  • Melhor filme estrangeiro: A Separação
  • Melhor Canção Original: Real in Rio 🙂
  • Melhores efeitos visuais: A Invenção de Hugo Cabret
  • Melhor maquiagem: Albert Nobbs
  • Melhor fotografia: A Árvore da Vida
  • Melhor figurino: A Invenção de Hugo Cabret
  • Melhor animação, trilha sonora original, direção de arte, documentário, documentário-curta, montagem, curta, curta animado, edição de som, mixagem de som: –

Quais são suas apostas? 😀