Ir para conteúdo

‘Apresentando os Ricardos’: a estrela que só queria um lar

Vale a pena ver no Amazon Prime Video: APRESENTANDO OS RICARDOS (Being the Ricardos)
Nota 7

Lucy e Desi, o casal Ricardo de “I Love Lucy”

 

Três atores que já têm estatuetas do Oscar na prateleira estão neste filme e concorrem, mais uma vez, por suas atuações. Nicole Kidman, que já foi indicada outras 4 vezes e levou em “As Horas”; Javier Bardem, que já foi indicado outras 3 vezes e ganhou em “Onde os Fracos Não Têm Vez”; e J.K. Simmons, que foi indicado uma única vez antes, pelo excelente “Whiplash“, do qual já saiu vencedor.

Estamos falando de três monstros da atuação, que seguram este filme muito mais que a direção ou o roteiro de Aaron Sorkin (tão melhor em “A Grande Jogada” e “Os 7 de Chicago“). Mais uma vez estamos diante de personagens reais, mas o roteiro desta vez me pareceu mais confuso, com muitos nomes que eu não conhecia e custei a me inteirar ao longo das duas horas de filme.

Seja como for, ficamos conhecendo melhor Lucille Ball, a atriz que cativou milhões de norte-americanos com seu programa de comédia “I Love Lucy”, que peitou grandes executivos da TV, e acabou “acusada” de ser comunista no auge da Guerra Fria, quando os estúdios de cinema eram alvo constante de buscas pelo FBI. Essa mulher nos é apresentada numa semana crucial de sua vida, mas a história é costurada com os anos anteriores, em que ela conhece seu marido Desi Arnaz, vive reviravoltas na carreira e consegue ganhar a CBS com seu próprio sitcom.

A personalidade perturbada de Lucille Ball vai se revelando aos poucos.

Mas a semana não era crucial pelo motivo que parece à primeira vista, e só vamos descobrir isso ao final do filme. Enquanto isso,  vamos sendo conduzidos por uma personagem que, num primeiro momento, parece arrogante e antipática, e aos poucos vai se revelando admirável e corajosa.

Ela penou muito, mas acaba ali naquele ano de 1960 exatamente como descreve: “Eu sou paga uma fortuna para fazer exatamente o que eu amo fazer. Trabalho lado a lado com meu marido, que está genuinamente impressionado comigo”. Ainda assim, está infeliz e preocupada. Por quê? Por causa de uma palavrinha recorrente na história: lar.

E essa revelação é a parte pungente da trama, muito mais que a velha guerra fria, a velha perseguição aos comunistas, ou a velha disputa pelo estrelado em Hollywood.

O mérito maior é de Nicole Kidman, mais uma vez espetacular em sua atuação, em sua transformação em outra pessoa. A ponto de Lucie Arnaz, filha da Lucille Ball de verdade, ter escrito que a atriz “se tornou a alma de sua mãe”. E a alma de mais um filme.

 

Assista ao trailer legendado:

 

P.S. O nome do filme é bem ruim tanto no original em inglês quanto na tradução em português. Né?

 


Leia também:

***

Quer assinar o blog para recebê-lo por email a cada novo post? É gratuito! CLIQUE AQUI e veja como é simples!

faceblog
ttblog

Cristina Moreno de Castro Ver tudo

Mineira de Beagá, jornalista, blogueira, poeta, blueseira, atleticana, otimista, aprendendo a ser mãe. Redes: www.facebook.com/blogdakikacastro, twitter.com/kikacastro www.goodreads.com/kikacastro. Mais blog: http://www.otempo.com.br/blogs/19.180341 e http://www.brasilpost.com.br/cristina-moreno-de-castro

Deixe aqui seu comentário! ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: