O construtor e o lobista

Este slideshow necessita de JavaScript.

Texto escrito por José de Souza Castro:

 

A. falou:

– Acho que vou à falência.

– Isso é ruim – comentou B., sem o menor sinal de simpatia. – Como foi que aconteceu?

– Fui contratado para edificar o novo edifício da escola na Rua 94.

– O orçamento não cobre as despesas? – perguntou B..

– Não é nada com o orçamento.

– Dificuldades com os operários?

– Não. Dificuldades com os fiscais.

– Como assim?

– Perseguem-me o tempo todo. Fazem-me desmanchar o trabalho assim que principio.

– Por quê? Você não segue as especificações?

– Claro que sigo, mas não se trata disso. É uma questão de hostilidade latente. Agarram-se a qualquer ninharia para me embaraçar, atrasando e fazendo parar o trabalho.

B. fez ouvir um murmúrio de simpatia. Seus olhos, especulativos e duros, conservavam-se fixos em A.

– Reclamei do inspetor – continuou este último – e ele me disse: “Por que não vai falar com B.?”

– Não gosto disso – observou B..

Mas A. não lhe deu atenção. E continuou:

– Um amigo meu disse a mesma coisa: “Ora, seu tolo, vá ver B.” E aqui estou eu.

– Que quer que eu faça? Continuar lendo

Anúncios