Urge vender logo o pré-sal para as multinacionais

Charge de Latuff

Charge de Latuff

Texto escrito por José de Souza Castro:

Como se esperava, passado o governo petista, a Petrobras volta a ser o sonho dos investidores no Brasil e no mundo. Lula ainda não foi preso, como alguns chegaram a divulgar que ele seria na segunda-feira, 17 de outubro. Ao invés disso, na parte da manhã, a estatal informou ao mercado um novo recorde na produção de petróleo e gás em setembro. Há alguns anos, fatos relevantes só eram divulgados após o fechamento do pregão da Bovespa, mas parece que isso também mudou.

E as ações da Petrobras valorizaram durante o dia 2,85% (PETR3) e 3,94% (PETR4). Festa na Bovespa…

Para quem acompanhou o noticiário da segunda-feira, chamou a atenção o fato de que o novo recorde na produção total de óleo e gás na área do pré-sal, com alta de 7,3% sobre agosto, mês em que se registrara também recorde, não foi destaque na imprensa. No R7, portal da TV Record, o pré-sal só entrou no sétimo parágrafo. Curiosidade: a fonte da notícia é a Reuters, uma agência internacional.

No Valor e no G1, do Grupo Globo, o pré-sal deu as caras no quarto parágrafo. Na Folha/UOL e Portal Brasil, no terceiro parágrafo. Ninguém achou necessário pôr o pré-sal no título, nem mesmo o site da Petrobras. Neste site, ficou também no terceiro parágrafo: Continuar lendo

Anúncios