Os 20 filmes mais importantes do Oscar 2019: resenhas e trailers

Foi dada a largada!

Hoje a Academia divulgou os “nominees” de 2019, finalmente. Confesso que não gostei muito das indicações deste ano que já vi, principalmente pela moral que o filme “Nasce uma Estela”, que achei bem fraco, ganhou, entrando em 9 categorias. E também porque acho que “Tully” merecia aparecer pelo menos no páreo de melhor atriz. Mas ainda tenho muitos filmes para ver e quero encontrar alguns do nível de “Infiltrado na Klan“, “Green Book” e “Bohemian Rhapsody“, todos nota 10, pela frente 😉

Tenho apenas um mês e dois dias até a cerimônia do Oscar, marcada para 24 de fevereiro, para assistir aos principais filmes, listados abaixo. No meu tradicional desafio, selecionei para ver os oito filmes que concorrem à categoria principal, além dos que concorrem a melhor direção, melhores atores e atrizes e melhores roteiros. São, ao todo, 20 filmes, dos quais, até hoje, só assisti a 5.

Faltam, portanto, 15 filmes para eu ver nos meus raros momentos de folga – média de 1 a cada 2 dias. Tentarei ver antes do dia 24/2 pelo menos os 10 principais que faltam, ou 1 a cada 3 dias. Ai, como ADORO esta época do ano…! 😀

Será que vou dar conta neste ano mais uma vez? Espero que sim, porque isso vai fazer aumentarem minhas chances de acertar os sorteados. No ano passado, acertei 15 de 16 categorias, só as principais. Vocês acompanharão tudinho neste post, porque vou acrescentando as resenhas em forma de link na lista abaixo, à medida que for assistindo.

Veja abaixo as resenhas e trailers dos filmes que já vi:

PRINCIPAIS FILMES DO OSCAR 2019:

  1. Roma (10 indicações), nota 9
  2. A Favorita (10 indicações), nota 7
  3. Nasce uma Estrela (9 indicações), nota 6
  4. Vice (8 indicações), nota 6
  5. Pantera Negra (7 indicações)
  6. Infiltrado na Klan (6 indicações), nota 10
  7. Bohemian Rhapsody (5 indicações), nota 10
  8. Green Book – O Guia (5 indicações), nota 10
  9. O Primeiro homem (4 indicações), nota 7
  10. O Retorno de Mary Poppins (4 indicações), nota 8
  11. Poderia Me Perdoar? (3 indicações)
  12. Guerra Fria (3 indicações), nota 8
  13. Se a rua Beale falasse (3 indicações)
  14. A balada de Buster Scruggs (3 indicações), nota 8

VEREI TAMBÉM SE SOBRAR TEMPO:

  1. Duas Rainhas (2 indicações, figurino e maquiagem)
  2. No Portal da Eternidade (1 indicação, a melhor ator)
  3. A Esposa (1 indicação, a melhor atriz)
  4. No coração da escuridão (1 indicação, de melhor roteiro)
  5. O Incríveis 2 (1 indicação, melhor animação)
  6. Christopher Robin (1 indicação, efeitos visuais), nota 7

Começa a contagem regressiva! Tic-tac, tic-tac…

Leia também:

***

Quer assinar o blog para recebê-lo por email a cada novo post? É gratuito! CLIQUE AQUI e veja como é simples!

faceblogttblog

Anúncios

‘Nasce uma Estrela’: Cinderela do universo pop musical

Assista se tiver tempo: NASCE UMA ESTRELA (A Star is Born)
Nota 6

No dia 6 de janeiro saberemos se Bradley Cooper conquistará seu primeiro Globo de Ouro como diretor em seu filme de estreia nessa função, “Nasce uma estrela”. O baita ator também concorre por seu papel na pele do músico Jack. E a cantora Lady Gaga concorre por sua atuação como Ally. Eles mereceriam uma das maiores premiações do cinema? De certa forma, sim. O problema de “Nasce uma estrela” não é a atuação dos dois ou a direção estreante de Cooper. É a história em si, que, apesar disso, tem tanto apelo que já está em sua quarta versão no cinema (a primeira, de 1937, que levou o Oscar de melhor roteiro; a segunda, de 1954, que teve Judy Garland como protagonista e seis indicações ao Oscar; e a terceira, de 1976, com Barbra Streisand no papel principal e Oscar de melhor canção original). Não sabemos ainda se esta versão de “Nasce Uma Estrela” será indicada ao Oscar, mas imagino que ao menos uma das várias canções originais compostas pela dupla Cooper-Gaga seja nomeada.

Mas, como eu ia dizendo, o problema deste filme, que me levou à mediana nota 6, não é nem a atuação nem a direção, mas a história em si. Digamos que a primeira metade do filme é tão enjoativa que a sensação não foi de dejá-vù com um filme, mas de já ter visto aquilo antes em dezenas de outras produções. Pra citar duas bem clássicas: Cinderela e Uma Linda Mulher. É aquela empoeirada história do homem bacanudo que meio que salva a donzela empacada em uma vida difícil. No caso, um super astro de rock dando um baita empurrãozinho na carreira de uma cantora de boteco drag, que não conseguia ir além.

Nesta metade do filme, somos bombardeados com frases de efeito, como as cenas de pessoas dizendo que Ally tem algo a dizer, que as pessoas querem ouvir a mensagem que ela quer passar etc. Tudo com músicas pop que considero apenas medianas, para meu gosto pessoal (e que vão piorando à medida que Ally-Gaga vai ficando mais famosa, coincidência ou não). Não é como, digamos, em “La La Land“, que tem premissa parecida, mas lindas canções.

Mas a nota ao mesmo tempo acima da média se deve à segunda metade do filme, que trabalha com sensibilidade um tema árduo como o alcoolismo, drama presente também em muitos outros filmes, e que fez parte da vida pessoal de Bradley Cooper. O filme deixa de ser um conto de fadas para se tornar uma tragédia da vida moderna.

No fim das contas, provavelmente será mais um filme com estatuetas de prêmios importantes na prateleira, tanto por seus méritos quanto por seus defeitos.

Assista ao trailer do filme:

Leia também:

***

Quer assinar o blog para recebê-lo por email a cada novo post? É gratuito! CLIQUE AQUI e veja como é simples!

faceblogttblog