Todos os debates têm o mesmo script

debate0110

Foto: João Godinho / O Tempo

Não sei se a culpa é do engessamento das fórmulas propostas pelas emissoras de tevê ou se é do roteiro traçado pelos marqueteiros, também rígido, dentro de um figurino, com a construção clara de um personagem, mas o fato é que, sempre que vejo um debate, sinto uma sensação de dejá vù nauseante.

Por isso, a partir de agora, não vou mais chamá-los de debates. Ninguém debate nada ali, de verdade. Todos repetem um script decorado previamente, que tentam encaixar nos temas que presumem que serão abordados, de um jeito ou de outro. Vou chamar de filmete.

E, também neste post, não vou tratar dos filmetes entre candidatos à presidência. A existência de uma caricatura como Levy Fidelix entre os debatedores tira os filmetes do rumo fleumático, mas tampouco gera debate: vira zona. E este post será sobre os filmetes, não sobre as zonas.

Por isso, meu foco é o encontro de candidatos ao governo de Minas. Assisti a todos os “debates” entre Pimentel, Pimenta, Tarcísio e Fidelis — a bem da verdade, trabalhei cobrindo a maioria deles –, então posso dizer que praticamente os decorei. E não foi nada difícil: são todos idênticos.

Por isso, se você não pôde assistir a nenhum deles, não se preocupe. Segue, abaixo, o roteiro que escrevi, resumindo tudo o que foi dito (repetido) em todos eles, sem exceção. Espero que seja didático e útil a todos. Atenção: não se tratam de aspas literais, mas de uma sátira baseada em memórias reais:

BLOCO 1 – Cada um pergunta a quem quiser, sobre o tema que quiser.

— A quem você quer perguntar, Pimenta?

— A Pimentel. Pimentel, por que você disse que foi o melhor prefeito de Beagá? De onde tirou isso? (Observação do script: esta pergunta tem que ser repetida 10 vezes).

— Não cabe nesse debate esse tipo de juízo de valor sobre os candidatos. Estamos aqui para apresentar propostas. Etc.

— Pimentel mente, mente, mente, descaradamente. (Observação do script: usar tom exaltado) Etc.

(Observação do script de Pimentel: usar tom conciliador e meio desdenhoso)

(…)

— A quem você quer perguntar, Pimentel?

(Observação do script: a qualquer um, menos Pimenta)

BLOCO 2 – A pessoa escolhe o tema sobre o qual quer falar.

— Fidelis, qual o seu tema?

— Vamos falar de moradia. Hoje a política habitacional do Estado é levar policiais com cassetetes e bombas para desocupar ocupações legítimas. Qual a sua proposta para combater o déficit habitacional, candidato X?

Candidato X (pode ser qualquer um) tem que responder encaixando, de alguma forma, a importância do direito à propriedade.

(…)

Candidato X pergunta a Fidelis sobre segurança.

— Eu acho que temos que mudar o conceito de que segurança pública se faz com repressão. Segurança pública precisa ser garantia de direitos, não de repressão. Precisamos de polícia cidadã e desmilitarizada, não de mais armas  nas ruas. Etc.

Candidato X contesta e diz que precisa equipar, sim, as polícias. Etc.

(…)

— Tarcísio, qual o seu tema?

— Mineração. Meu tema predileto. É preciso aumentar os royalties da mineração. Todas as nossas riquezas estão sendo roubadas do Estado. Etc.

(Observação do script: Ou então falar dos altos impostos no Estado, que expulsam as empresas para outros Estados, tirando empregos de Minas. Etc.)

QUALQUER BLOCO / CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Pimentel culpa governo do Estado, que “em 12 anos não fez nada”. Diz que governo Dilma fez dever de casa e ganhou até estrelinha. E que Dilma é ótima, votem nela.

Pimenta culpa governo federal, que “cobra juros de agiota”, e diz que governo do Estado fez dever de casa e ganhou até estrelinha. Aproveita pra dizer que Pimentel mente, mente etc. E que Aécio é ótimo, votem nele.

Tarcísio diz que eleitor precisa votar numa terceira via, ver a história de quem nunca se envolveu em corrupção, diz que fez grandes maravilhas por Juiz de Fora. E que Marina Silva é ótima, votem nela.

Fidélis diz que ninguém presta, são todos iguais, o sujo falando do mal lavado, e seu partido não aceita financiamento privado, que é a base da corrupção. E que a frente de esquerda é ótima, votem nela para deputados.

E assim acaba o filmete, todos nós suando em bicas e exaustos, enquanto os candidatos devem se juntar para uma rodada de chopp.

Hoje à noite será o último “debate” presidencial na TV. Quem de vocês, caros leitores, pode escrever um script-resumão para eu colocar depois aqui no blog? 😉

Leia também:

Anúncios