“Carecas são pessoas muito sortudas”

Acho que essa idade em que estou é a que começa a preocupar os homens quanto à calvície. Tenho um monte de amigos já usando a famosa Finasterida, para inibir a queda dos cabelas e aquelas temidas “entradas”. Bobagem! Sempre falei aos meus amigos e namorados: se for ficar calvo, melhor rapar tudo de uma vez. Vai ficar estiloso e ainda economizar xampu pro resto da vida.

E há quem seja ainda mais favorável à calvície, quase com nojo de cabelos. Vejam só o trecho que li ontem do livro “Festa no Covil” (muito bom; quando eu acabar de ler, coloco a resenha aqui no blog), cujo narrador é uma criança:

“Os chapéus também servem pra isso, pra esconder o cabelo. E não só quando o penteado é feio, porque sempre é bom esconder o cabelo, até com penteados que todo mundo acha bonitos. O cabelo é uma parte morta do corpo. Por exemplo: quando você corta o cabelo, não dói. E, se não dói, é porque está morto. (…) O cabelo é que nem um cadáver que você carrega na cabeça quando está vivo. Além do mais é um cadáver fulminante, que cresce sem parar, o que é muito sórdido. Vai ver que quando você vira cadáver o cabelo deixa de ser sórdido, mas antes ele é, sim. É isso que os hipopótamos anões da Libéria têm de melhor, que eles são carecas.

Por isso eu não uso cabelo. O Yolcaut me rapa  com uma máquina quando ele começa a crescer. É uma máquina igual aos cortadores de grama do Azcatl, só que pequena. E o cabelo é que nem as ervas daninhas, que devem ser combatidas. Às vezes o Yolcaut fica bravo porque eu peço pra ele cortar meu cabelo muitas vezes. Definitivamente os carecas são pessoas muito sortudas.”

😀

Anúncios