Injustiçados – o Caso Sombra

Sérgio Gomes, o Sombra, do caso Celso Daniel (Foto: Reprodução/TV Globo)

Sérgio Gomes, o Sombra, do caso Celso Daniel (Foto: Reprodução/TV Globo)

Texto escrito por José de Souza Castro:

Em janeiro de 2002 foi assassinado o prefeito Celso Daniel, de Santo André. Ele tinha sido escolhido coordenador da campanha de Lula à presidência da República, cujo primeiro turno estava marcado para o dia 6 de outubro. A campanha começaria oficialmente 90 dias antes das eleições. O assassinato serviu para acirrar a disputa.

De um lado, a Polícia Civil e a Polícia Federal, as quais, após exaustivas investigações, concluíram que se tratava de um crime comum praticado por um bando de assaltantes. Para alívio do PT de Lula. De outro, o Ministério Público e a imprensa correndo atrás de um crime político ligado a suspeita de corrupção na prefeitura petista de Santo André, para gáudio do PSDB de José Serra.

Quem viveu no período deve se lembrar disso.

No ano passado, um dos principais denunciados pelo MP, o empresário Sérgio Gomes da Silva, cognominado pela imprensa de “Sombra”, foi condenado a 15 anos, 6 meses e 19 dias em regime fechado. Seu advogado, Roberto Podval, recorreu. Sérgio aguardava em liberdade a decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo, mas morreu antes disso, nesta semana, de câncer. Continuar lendo

Anúncios