Publieditorial: o WordPress, que já é bom, pode ficar ainda mais profissional

 

 

Já contei aqui no blog algumas vezes sobre como fui parar neste universo mágico da blogosfera, em março de 2003. Quando paro para pensar em tudo o que já vivi, como blogueira, em mais de 16 anos… é coisa pra burro! Mais tempo do que tenho de jornalista profissional.

Muita coisa mudou de lá pra cá, mas, definitivamente, o que mais mudou foi a tecnologia (voltarei a abordar este assunto na semana que vem, inclusive). E tem outra coisinha: se naquele tempo os blogs eram praticamente diários virtuais, com todo o intimismo e o amadorismo inerentes a isso, hoje o que mais tem por aí é blogueiro profissional, gente que vive – e sobrevive, ganhando dinheiro para se sustentar – apenas de seu blog. Isso sem falar em empreendedores e pequenos empresários que preferem a plataforma dos blogs para venderem seu produto, justamente por serem mais dinâmicos e fáceis de atualizar do que os sites convencionais.

A primeira plataforma que usei para publicar meu primeiro blog foi o Blogger, que era vinculado ao site da Globo e foi extinto em junho de 2015, levando consigo diversos sites, provavelmente milhares, que estavam hospedados lá. Por sorte, eu tinha feito backup do meu blog tempos antes.

Também já tive a experiência de postar usando a ferramenta do UOL para blogs, que nem sei se é a mesma que existe hoje. Assim como o Blogger, ela era bem rudimentar, só com o básico do básico mesmo.

Muita coisa mudou de 2003 pra cá, mas o que mais mudou foi a tecnologia… Fotos: Pixabay

Foi aí que, em dezembro de 2010, resolvi criar este blog no WordPress, plataforma que já estava em seu auge. O WordPress é incomparavelmente melhor que qualquer outro editor de textos on-line com o qual eu já tenha trabalhado, incluindo editores de sites dos jornais em que já trabalhei.

Por quê? Porque ele tem inúmeras ferramentas, é bem mais completo, e ainda assim é simples de manusear, mesmo se você não for um expert em programação (como é o meu caso, que não sei nada de programação).

Vejam o meu caso: pouco mais de três anos depois que criei este blog, saí fuçando nos templantes prontos e ferramentas do WordPress e já fiz uma primeira mudança no visual do blog. Seis meses depois, mudei radicalmente, para a versão que se mantém até hoje. Além disso, de lá pra cá, acrescentei vários widgets ao meu template, mudei bastante meu menu principal, criei muito mais páginas fixas, criei o censo do blog, coloquei links para as redes sociais etc.

E já fiz muito mais usando o WordPress: página de formulário de contato, enquetes, contagem regressiva no topo do blog, vários tipos de galerias de imagens (inclusive um dos meus posts mais acessados é uma galeria gigante) e mais um bocado de coisas. Tudo sozinha, e sem conhecimento prévio de programação e desenvolvimento de sites.

Apesar de parecer muito, a verdade é que eu mexo muito pouco no meu blog, e aproveito pouco as potencialidades do WordPress, que hoje em dia inclusive permite instalar diversos plugins para quem paga o seu plano de negócios. Ou seja, daria para eu fazer muito mais coisas ainda do que já fiz.

É que eu (ainda) não vivo de blog e ele (ainda) não ocupa todo o meu tempo dedicado a trabalho, então me sobra pouco tempo para olhar para ele com esse olhar profissional.

A boa notícia é que hoje existem diversos serviços de hospedagem de WordPress, em que você paga um valor fixo mensal e recebe benefícios em segurança, SEO (para melhorar as chances de seus posts aparecerem no topo das buscas do Google), integração com redes sociais e performance.

Uma dessas empresas é a Home Host, com sede no Rio de Janeiro e atuação no mercado desde 2006. Você cria sua página no WordPress, faz a escolha do layout e é responsável pelo que mais interessa: o conteúdo. Ou seja, é você que vai manter seu blog ativo, incluindo imagens, textos e fotos. Mas, estando hospedado no Home Host, você poderá, dentre outras coisas: tirar dúvidas com o suporte técnico deles, criar contas de e-mail com seu domínio, acessíveis via webmail e pelo smartphone, instalar uma loja virtual no seu site, com módulos de frete, correios e transportadoras,

Quanto mais rápido a página carrega, melhor ela aparece nas buscas do Google.

integrar sua página a todas as redes sociais (Facebook, Twitter, Instagram, Youtube e outras), para aumentar o tráfego no seu site, criar bancos de dados e receber as atualizações automáticas do WordPress.

Além disso, a Home Host otimiza o carregamento do seu site e, como aprendi outro dia no curso Cresça com o Google, quanto mais rápido uma página carrega, melhor ela aparece nas buscas do Google.

Enfim, acredito que esse tipo de serviço possa ser muito útil, especialmente a quem tem interesses comerciais em seu blog, em quem pensa em usar ferramentas de marketing digital para que ele seja mais buscado e mais acessado e, com isso, o produto que você oferece no seu blog atinja um público cada vez maior.

Ficou interessado em saber mais? CLIQUE AQUI e conheça o serviço melhor. Há planos mensais a partir de R$ 17. Tipo o preço de uma cerveja artesanal 😉

 


Este vídeo explica passo a passo o que é o WordPress:


Leia também:

***

Quer assinar o blog para recebê-lo por email a cada novo post? É gratuito! CLIQUE AQUI e veja como é simples!

faceblogttblog

Anúncios