A fase do ‘não’, com as rejeições do bebê, e as ‘três letrinhas’ esperadas

A primeira palavra que Luiz aprendeu a falar não foi nem “mamãe” nem “papai”. Foi “não”.

Antes ele até soltava as onomatopéias dele, fazia os barulhinhos, soltava um “mamamamama” e um “dadái” (que suspeitamos ser papai), mas a primeira palavra palavra mesmo, certinha, do jeito como falamos para sempre, foi o “não”.

Não sei se algum dia vai chegar a fase do “sim”, mas Luiz está firme e forte na fase do “não”.

— Quer papar, filho?

— Não! (fala reforçando com o dedinho indicador prum lado e pro outro)

— Vamos tomar banho?

— Não!

— Luiz quer dormir?

— Não!

Faço um teste para ver se ele entende mesmo o que quer dizer não:

— Vamos brincar então?

E ele bate as palminhas, feliz.

É, ele sabe mesmo o que é não.

E isso representa toda uma fase que ele está vivendo e que vem com um monte de recusa. Principalmente na hora de comer. Ele, que sempre foi bom de garfo e estava até conseguindo comer sozinho, todo bonitinho, sem bagunça, agora deu para enrolar, rejeitar uma porção de comidas que sempre adorou, dá um trabalhão danado!

Estávamos preocupados com isso nas últimas semanas, até que li um textinho que deu um certo alívio. Dizia mais ou menos o seguinte:

“Seu filho devorava mandioquinha na semana passada e nesta não quer comer de jeito nenhum? Passou a rejeitar tudo quanto é comida? Não se preocupe, isso é normal nessa idade de 1 ano a 1 ano e meio. Ele está muito mais interessado em explorar o mundo do que em comer. E não vai passar fome por isso! Lembre-se que, a partir de agora, é normal engordar 1,5 kg a 3 kg POR ANO! Não é mais aquele quilo mensal dos primeiros meses de vida… Etc”

O que não falta é texto para nos falar o que é bom ou ruim, o que é certo ou errado, depois que viramos mães. Mas o que achei mais legal nesse pequeno textinho foi que ele caiu como uma luva justo no dia em que eu estava mais estressada com as rejeições do Luiz. Toda a descrição bateu com o que eu vivia NAQUELE momento. Me identifiquei totalmente.

E pensei: se existe a fase do não, com certeza vai existir a fase do sim em algum momento. E ela será muito bem-vinda!

Enquanto ela não chega, tento me policiar para dizer menos nãos ao meu filhote, dizer mais sins – no espírito da musiquinha “Três letrinhas”, de Morais Moreira e Galvão, de preferência na linda voz de Marisa Monte:

Anúncios

Deixe aqui seu comentário! ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s