A fase do ‘não’, com as rejeições do bebê, e as ‘três letrinhas’ esperadas

A primeira palavra que Luiz aprendeu a falar não foi nem “mamãe” nem “papai”. Foi “não”.

Antes ele até soltava as onomatopéias dele, fazia os barulhinhos, soltava um “mamamamama” e um “dadái” (que suspeitamos ser papai), mas a primeira palavra palavra mesmo, certinha, do jeito como falamos para sempre, foi o “não”.

Não sei se algum dia vai chegar a fase do “sim”, mas Luiz está firme e forte na fase do “não”.

— Quer papar, filho?

— Não! (fala reforçando com o dedinho indicador prum lado e pro outro)

— Vamos tomar banho?

— Não!

— Luiz quer dormir?

— Não!

Faço um teste para ver se ele entende mesmo o que quer dizer não: Continuar lendo

Anúncios