Mais algumas razões do Golpe Paraguaio no Brasil

golpe

Texto escrito por José de Souza Castro:

Em fevereiro de 2015, alertei aqui que a presidente Dilma Rousseff podia sentir na pele o golpe Paraguaio. Ou seja, que ela poderia ser derrubada pelo parlamento, com as bênçãos dos Estados Unidos.

Agora leio AQUI um artigo do geógrafo norte-americano Brian Mier, editor da “Brasil Wire“, em que aponta fortes indícios dessa ajuda de Tio Sam, e conclui:

“Apesar de que talvez não haja provas concretas suficientes e disponíveis para fazer um argumento totalmente convincente sobre o envolvimento dos Estados Unidos no golpe de 2016 contra Dilma Rousseff, certamente existem provas suficientes para se especular sobre esta possibilidade. Será que os Estados Unidos se beneficiam com as novas políticas deste governo? Com certeza. Ele tem motivos para apoiar o golpe? Sim. Elementos do estado expandido norte-americano, como a imprensa burguesa, solaparam os pilares do governo Brasileiro? Sim. Será que o governo dos Estados Unidos foi diretamente envolvido nesta desestabilização? Neste momento as únicas provas concretas são as correspondências do Departamento de Estado dos EUA implicando Sergio Moro, embora o nível deste envolvimento ainda não seja claro. Entretanto, sob o risco de ser acusado de um teórico de conspiração, eu previno que com a passagem de tempo, como no caso do Golpe de 1964 no Brasil e do golpe de 1973 em Chile, mais e mais provas de envolvimento dos Estados Unidos na mudança de regime de 2016 vão subir até a superfície.”

Um ponto significativo do artigo são os interesses em jogo que poderiam levar a Casa Branca a agir no e contra o Brasil. Transcrevo, também com as devidas correções de erros gramaticais observados na tradução: Continuar lendo

Anúncios