Ir para conteúdo

Os deputados e seus carrões alugados por nós

Texto de José de Souza Castro:

Ler jornal todo dia é um exercício diário de indignação. Motivos não faltam. No “Hoje em Dia” desta terça-feira, a manchete (“Motoristas devem R$ 1 bi ao Estado”) é um contraponto à notícia postada mais discretamente ao lado, na primeira página: “Deputados gastam R$ 2 milhões com carros”.

Na primeira, o leitor é informado que proprietários de 642.354 veículos não pagam há mais de cinco anos IPVA, Seguro Obrigatório e Taxa de Licenciamento, e que o Detran mineiro vai iniciar a caçada aos devedores, esperando arrecadar um bilhão de reais para os cofres públicos.

Pode-se imaginar que a maioria dos devedores desses impostos e taxas não pagou porque tinha outras prioridades para seus escassos recursos, inclusive pagar o financiamento, em 60 prestações mensais, que fez com um banco para comprar o veículo.

E que a maioria desses contribuintes relapsos descende daqueles inconfidentes que, no passado, deram o pescoço à forca em protesto, sobretudo, pelos impostos cobrados em Minas Gerais pela Coroa Portuguesa. Impostos que representavam 20% do que ganhavam com a extração do ouro e com tudo mais que produziam.

Bem menos que o percentual de impostos pagos agora pelos brasileiros ao governo federal, aos estados e às prefeituras. A de Belo Horizonte, por exemplo, leio hoje no mesmo jornal, espera para este ano receita de R$ 8,66 bilhões, valor 15,4% maior que o de 2011. E bem maior que o do reajuste do salário da classe média que consegue comprar carro. E das aposentadorias.

Por que o governo precisa arrecadar tanto? Porque gasta muito. E gasta com besteiras. Como mostra o repórter Ezequiel Fagundes. Ele fez um levantamento da prestação de contas da verba indenizatória paga aos 77 deputados estaduais. E descobriu que a tal verba indenizatória – que deveria se destinar aos contribuintes, não aos deputados, para fazer jus ao nome – somou, desde fevereiro passado, mais de R$ 2,18 milhões, só para pagar o aluguel de carros para 61 deputados. “Apenas 16 não registraram gastos com locação de veículos”, afirma Fagundes, que está a nos dever os nomes desses bravos 16.

Os 61 que se locupletaram com a tal indenização – começo a implicar com essa palavra – alugaram carros de luxo em tempo integral, com direito a motorista pago pela Assembleia. “Eles alugam o carro e depois a Assembleia Legislativa reembolsa o dinheiro dentro da cota ‘locação e fretamento de veículos’ da verba indenizatória”, explica Fagundes. Essa verba indenizatória – ela indeniza o quê, mesmo? – é de 20 mil reais mensais para cada deputado, o que dá 18,48 milhões por ano para o contribuinte pagar. Desses 20 mil, o deputado que quiser pode gastar até 7 mil reais para alugar até dois carros por mês.

[Deputado não é bobo. Se ele fosse enfiar a mão no próprio bolso, não gastaria 7 mil reais por mês com aluguel de carro. Com esse dinheiro, ele poderia comprar um bom carro, que no fim de um ano seria seu, não do locador. Mas dinheiro do contribuinte é dinheiro de bobo.]

Eu preferia divulgar aqui os nomes dos deputados que não nos fizeram de bobos locupletando-se de uma lei aprovada por eles mesmos ou por seus pares. A lista abaixo dos que se locupletaram foi extraída da reportagem (que evidentemente não teve espaço para publicar os de todos eles). A lista traz o nome do deputado, de seu partido, e do veículo alugado (alguns, mais de um):

Alencar da Silveira (PDT) – Land Rover modelo Discovery 4.

Sargento Rodrigues (PDT) – Hyundai IX 35

Doutor Viana (DEM ) – Hyundai Santa Fé

Durval Ângelo (PT) – Toyota Corolla

José Henrique (PMDB) – Nissan Sentra

José Maia (PSDB) – Honda Civic

Rômulo Viegas (PSDB) – Honda Civic e Fiat Linea

Tadeu Leite (PMDB) – Hyundai Tucson e Honda City.

Duarte Bechir (PMN) – Toyota Corolla e Fiat Uno

João Vítor Xavier (PRP) – Chevrolet Vectra

Gustavo Valadares (DEM) – Chevrolet Vectra

Tenente Lúcio (PDT) – Chevrolet Vectra

Para concluir: quem seriam os outros 49 deputados que alugaram carrões, certos de que pagaríamos sem reclamar? Algum leitor sabe?

Cristina Moreno de Castro Ver tudo

Mineira de Beagá, jornalista, blogueira, poeta, blueseira, atleticana, otimista, aprendendo a ser mãe. Redes: www.facebook.com/blogdakikacastro, twitter.com/kikacastro www.goodreads.com/kikacastro. Mais blog: http://www.otempo.com.br/blogs/19.180341 e http://www.brasilpost.com.br/cristina-moreno-de-castro

9 comentários em “Os deputados e seus carrões alugados por nós Deixe um comentário

    • Eu nem questiono tanto assim o motorista, pois ele pode ser necessário em vários casos de visitas, para o nobre deputado não precisar se preocupar com lugar para estacionar, por exemplo, em eventos, reuniões etc. Claro, poderia haver funcionários da Assembleia não dedicados a um deputado em particular, que cumpririam essa função, mas a questão dos carros é um absurdo devido aos valores envolvidos. Muitas empresas costumam reembolsar seus funcionários por despesas com carros particulares, pagando por quilometragem um valor que cobre combustível e desgaste do carro. A Assembleia não poderia fazer algo assim? (E com valores de mercado, claro, senão não adianta nada!)

      Curtir

  1. O povo só paga imposto. Não sabe de nada. Os jornais devem noticiar tudo e de maneira integral. Como não há transparência, a imprensa deve suprir a falha. Os 16 deputados que não registraram gastos com veículos não fizeram mais que a obrigação. Não são mais honestos por isso. Haja vista o aumento de seus salários.

    Curtir

Deixe aqui seu comentário! ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: