Contribuição de leitor: ‘A Morte do Escritor’

O conto a seguir foi enviado pelo escritor Junior Salvador, que acaba de lançar o livro Vidas Breves. Se você curtir o texto abaixo, que está presente no livro, pode ler mais do mesmo autor, clicando AQUI. Você também escreve contos, crônicas, poemas, resenhas, análises…? Envie para meu e-mail e seu texto poderá ser publicado aqui no blog, na seção de textos enviados pelos leitores 😉

 

“Nesta madrugada fui acometido do pior dos males: solidão. No quarto escuro, sentado diante de meu laptop, ouvia apenas o soprar do vento, lentamente chocando-se contra as paredes frias. Na tela resplandecia a ausência completa de tudo, estava vazia como os cômodos da casa. O ar gélido que entrava por debaixo da porta fazia com que meus pés congelassem. Sentei-me para escrever por volta das vinte e três horas. A tela continuava em branco às cinco e meia. Após iniciar, apagar e reescrever várias histórias, saí do meu estado de transe quando o sol da manhã apontou no horizonte e sua luz bateu contra a janela entreaberta, refletindo nas arestas da persiana.

A luz teimava em entrar pelas frestas e pequenos feixes cortavam a escuridão da madrugada solitária que se esvaía. Era possível ver a poeira dispersa no ar. Quando respirava, acontecia uma revolução no espaço. As partículas moviam-se desvairadas, uma ao encontro das outras, depois tudo se acalmava. Passei algum tempo brincando com a poeira, passando meus dedos pelo feixe de luz, apenas para ver como os grãos reagiriam ao movimento do ar. Na minha cabeça, a lembrança dela começava a ficar ainda mais forte. Continuar lendo

Anúncios