Los escarabajos (e a música latina)

Quando fui a Paraty, para o festival de jazz do ano passado, mandei no email para amigos e família o seguinte trecho:

“Enquanto eu conhecia o chopp Caborê, produzido na própria cidade, um trio de músicos andinos começou a tocar canções latino-americanas na flautinha e violão. Uma mistura de Jethro Tull com flamenco. No final, passaram vendendo o CD da banda (“Amillarai”) e, como eu estava sem dinheiro, ofereci duas cervejas em troca (R$ 6, bom negócio). Daí eles se sentaram na mesa com a gente e começaram a contar a maravilhosa vida itinerante que levam (não são hippies, parecem mais aqueles ciganos nômades de filme europeu). No final, a gente já estava trocando dicas de músicas e de lugares para ser visitados (anotem aí a dica de bandas que puseram no meu guardanapo: Illapu, Los Jaivas — essa eu já conhecia por causa do Augusto –, Inti-illimani, Quila Payun e Victor Jara — este último é considerado um herói da resistência chilena, ai, como somos ignorantes na história deste continente…!).”

É isso: aqueles nômades dos países vizinhos me mostraram como há um mundo inexplorado, em paisagens e músicas, a conhecer aqui por perto.

Minha amiga Naty, que é uma aventureira nata, já conheceu boa parte deles, em viagens pela Bolívia, Peru, Amazonas e, mais recentemente, Argentina.

Hoje ela voltou da Patagônia e me entregou um presente que é a minha cara: um CD de uma banda chamada La Fragua que toca músicas dos Beatles com instrumentos inusitados como sikus, charangos, ronrocos, toyos, cajóns e outros.

E eles mostram que a ignorância em relação aos vizinhos é um problema mais dos brasileiros do que dos hablantes de lengua española, já que, como os caras que conheci em Paraty, sabem muito da nossa música. A versão de Julia, por exemplo, começa com o Samba de uma nota só, do Tom Jobim.

De um modo geral, as versões ficaram delicadas, bem gostosas de ouvir. Tipo esta do Blackbird, que não tem no CD, mas achei no Youtube:

Anúncios

4 comentários sobre “Los escarabajos (e a música latina)

  1. Que bom que gostou, Cris! Nao tinha como nao me lembrar de vc qdo vi esse CD! 🙂
    Tomara que na minha proxima aventura vc esteja comigo pra descobrirmos juntas alguns outros sons…

    Curtir

  2. E o pior é que não é só com música, é com tudo. Sempre que posso, dou uma folheada nos jornais dos vizinhos. Os maiores não são muito diferentes dos nossos grandes em termos de qualidade, às vezes até ganham – mas cobrem o Brasil com mais frequência do que os nossos os cobrem, o que significa mais ou menos que eles sabem mais sobre nós do que nós sobre eles. Sem falar que a Argentina tem um jornal como o “Perfil” e o Peru tem uma revista como a “Etiqueta Negra” – coisas que aqui no Brasil simplesmente não existem.

    Curtir

    • Pois é, sinto falta de conhecer melhor sobre o resto da América Latina. É como se eles conhecessem tudo, se considerassem irmãos, e nós fôssemos um continente à parte. Acho isso ruim. O problema não começa nem nos jornais, mas no ensino das escolas. Aprendi quase nada sobre a história latina e sei um bocado sobre a europeia… Que sentido faz isso?

      Curtir

Deixe aqui seu comentário! ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s