Conheça a mais nova prática abusiva dos médicos na praça!

Astaffolani/ Wikimedia Common

 

Minha amiga Ana Paula Pedrosa fez uma excelente reportagem, publicada no jornal “O Tempo” de ontem, cuja leitura recomendo: “Médicos recusam pré-natal se grávida não pagar o parto“.

Já falei aqui no blog, quando eu ainda estava grávida, sobre a polêmica em torno da cobrança de taxa extra para que o médico que fez o pré-natal esteja disponível na hora do parto da paciente. Extra por ser um médico que já recebe pelo plano de saúde. É polêmico porque o Conselho Federal de Medicina já se posicionou a favor, enquanto a Agência Nacional de Saúde Suplementar já disse que a prática é ilegal.

(Eu, pessoalmente, paguei para ter minha médica presente no meu parto e pagaria de novo se engravidasse mais uma vez. Mas porque minha experiência particular me levou a entender esse honorário pela disponibilidade da minha médica, que passou toda a madrugada acordada ao meu lado e cancelou várias consultas na manhã seguinte ao nascimento do Luiz.)

A reportagem da Ana, no entanto, não é sobre essa taxa extra. É sobre algo muito mais antiético, condenado até pela representante do Conselho Regional de Medicina que ela ouviu: Continuar lendo

Anúncios