Prisão de Guido Mantega, um ponto fora da curva

Guido Mantega, em foto de Marcelo Casal Jr./ Agência Brasil (06/03/2013)

Guido Mantega, em foto de Marcelo Casal Jr./ Agência Brasil (06/03/2013)

Texto escrito por José de Souza Castro:

A prisão de Guido Mantega pela Polícia Federal, cumprindo ordens do juiz Sergio Moro, foi um ponto fora da curva. O juiz se viu obrigado a cancelar a prisão poucas horas depois. Motivo: a forte reação pelo fato de a PF ter ido ao Hospital Sírio-Libanês para buscar o ex-ministro da Fazenda dos governos Lula e Dilma, onde ele acompanhava a mulher para uma cirurgia que poderia livrá-la do câncer.

Foi um ato monstruoso, declarou o blogueiro Fernando Brito, logo repercutido em diversos blogs. Não havia urgência na prisão, pois a ordem de Moro fora assinada na manhã de 16 de agosto. Ou seja, 22 dias antes. Por que esperar, para que a prisão fosse feita exatamente dentro do Hospital Sírio-Libanês?

Se não é o produto de uma “fábrica de monstruosidade em curso, que repugnaria qualquer tribunal onde houvesse um mínimo de humanidade”, como escreveu Brito, foi um ato deliberado de sabotagem da Polícia Federal a Sérgio Moro.

Se sabotagem, o responsável será punido, mas dificilmente o distinto público ficará sabendo. Continuar lendo

Anúncios