Um disco obrigatório para passar no vestibular

panis

A Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) divulgou sua lista de leituras obrigatórias para o vestibular deste ano. Entre os livros, há alguns clássicos que se repetem concurso após concurso, como “Esaú e Jacó”, de Machado de Assis, “Memórias de um Sargento de Milícias”, de Manuel Antônio de Almeida (foi leitura obrigatória na UFMG no vestibular de um dos meus irmãos, ainda nos anos 90!), e obras de Fernando Pessoa, Gregório de Matos, Murilo Rubião, Lya Luft, Nelson Rodrigues e Jorge Amado. Também foram pedidas uma obra de Tabajara Ruas e outra de Lídia Jorge, menos assíduos em vestibulares. Mas o mais legal e inusitado foi o pedido de “leitura” do disco “Panis et Circencis”, o clássico da Tropicália e da Música Brasileira.

Posso estar enganada, mas nunca tinha ouvido falar de uma universidade pedir a leitura de um álbum em seu vestibular, até este momento. Palmas à UFRGS! Discos são tão importantes quanto livros e é tão fundamental que os universitários tenham uma cultura musical quanto que tenham uma cultura literária (e também deveriam ter a cinematográfica e várias outras).

Danei a pensar em quais outros discos poderiam entrar numa lista como esta. Que tal “Cabeça Dinossauro”, dos Titãs? Ou “Acabou Chorare”, dos Novos Baianos? “Chega de Saudade”, de João Gilberto? “Expresso 2222”, do Gil? “Falso Brilhante”, da Elis? “Clube da Esquina”? E outros tantos do Caetano, Chico, Mutantes, Secos & Molhados, Paralamas, Legião, Tim Maia, Tom Zé, Jorge Ben, Tom Jobim, Vinícius, Chico Science, Marisa Monte, Cartola, Milton, Cazuza, Raul, Bethânia, Gal, Dorival, Paulinho, Sepultura, Raimundos, Skank, Affonsinho…?

E que tal também uma porção de discos clássicos de músicos ou bandas de outros países, que deveriam ser de conhecimento universal?

Passou da hora de as universidades fazerem provas mais inteligentes, arejadas e originais. Afinal, se a prova é para selecionar cabeças pensantes, essas cabeças têm que ir muito além de conhecer a obra do Machado de Assis, não? Por isso, repito: palmas à UFRGS! Que seja imitada por outras instituições!

Só pra fechar: se vocês fossem montar uma dessas listas de leituras obrigatórias, quais obras escolheriam, dentre todos os tipos de obras artísticas? Comentem aí 😉

Anúncios