Também está órfão do Google Reader? Conheça as 7 alternativas que testei

Nem faz tanto tempo assim que comecei a usar o Google Reader. Foi em 2009, pela mesma época em que a Ana criou um tutorial explicando como se usa ele, no blog “Novo em Folha“, que eu ajudava a editar.

Hoje considero essa uma das ferramentas mais essenciais para os jornalistas, tanto repórteres quanto redatores e editores. Lembra da máxima de que todo jornalista deve ler os jornais impressos e principais revistas semanais do país (e, em alguns casos, até de outros países)? Pois é, ainda deve mesmo. Mas, além disso, é preciso estar ligado nas notícias que saem pela internet. E elas estão não apenas nos sites de notícias, mas também nos blogs (como aqui ;)).

Pelo Google Reader, eu podia acompanhar todas as notícias do meu interesse – sem enlouquecer –, devidamente organizadas em pastinhas temáticas, e saber delas assim que fossem publicadas (com um pequeno delay). Isso era essencial no tempo em que fiquei na internet, por exemplo (G1), e cadastrei os “feeds” dos sites concorrentes, mas também do MPE, MPF, TJ, TST, STF, ALMG, TCU… todas essas sopas de letrinhas que compõem nossos órgãos oficiais, em todas as esferas, que também estão cheios de notícias importantes. Na “Folha”, quando eu cobria transporte ou ambiente, também tinha uma lista de blogs ligados ao assunto. Agora, na redação de Economia e Tecnologia de “O Tempo”, fico ligadíssima o dia inteiro nos feeds ligados à área.

Não sei se o interesse é tão amplo, mas tenho certeza que pelo menos vários jornalistas ficaram órfãos quando o Google anunciou o fim do GReader. Eu fiquei. E, desde então, tenho experimentado várias alternativas para buscar um bom substituto. Nenhum me pareceu tão bom quanto, principalmente pela falta da ferramenta de busca entre os feeds, que é fundamental para meu trabalho. Só por causa dela, acabei me fixando no “The Old Reader”, que tem a desvantagem de ser o mais lento de todos. Mas a grande maioria escolheu o Feedly, que já recebeu mais de oito milhões de novos usuários desde o anúncio do Google Reader. Meu amigo Alexandre Giesbrecht explica como migrar para lá.

Se você também está em dúvida, talvez a matéria que fiz para a edição de hoje do jornal te ajude. Escolha logo, porque amanhã é o último dia para a migração. Na segunda-feira, adiós Google Reader! 😦

CLIQUE AQUI para ler.

Atualização em 2 de agosto: hoje descobri o InoReader! Rápido para importar o XML de outros leitores de feeds, rápido de navegar, simples, clean, COM BUSCA INTERNA DE FEEDS (o maior defeito do Feedly, disparado!) e SEM PAUS E TRAVAS TODA HORA (o maior defeito do The Old Reader, disparado!). Trata-se do Reader DEFINITIVO na minha vida agora! Mais que recomendo! (Pena que não descobri a tempo pra matéria… =/)

reader

Clique aqui para ver o infográfico em tamanho maior.

Anúncios

4 comentários sobre “Também está órfão do Google Reader? Conheça as 7 alternativas que testei

  1. Oi Cristina, obrigado pela matéria! Fiquei um tempão para achar alguma indicação de agregador que tivesse a função de busca interna (que para mim é muito útil). Desde que o Google Reader acabou eu usei o Feedly, o Digg Reader e o AOL Reader, todos sem a função de busca interna. Acabei me acomodando sem a função de busca e hoje, procurando na internet, achei sua dica do InoReader. Obrigado!

    Curtir

Deixe aqui seu comentário! ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s