Quando dois rios se separam para sempre

Irmãos gêmeos que eram os melhores amigos do universo e, sem maiores explicações, se tornam diferentes, cada vez mais diferentes, até que a diferença pareça um abismo intransponível, de mágoas e rancor, que separa os dois.

Esse é o verdadeiro tema do livro “Dois Rios”, a separação e a (re)união e como as duas coisas podem se alternar sem mais nem menos, num processo cada vez mais irrevogável.

Permeando a história dos gêmeos Joana e Antônio, surge a interferência da francesa Marie-Ange: uma história de amor, com os bônus da paixão correspondida e os ônus da desilução e da fossa. Ainda assim, com direito aos arrebatamentos de uma linguagem até cafona, tudo faz parte do mesmo tema: união X separação.

O livro é bem escrito e devorável rapidamente, com uma fluidez impressionante. São tempos que se alternam, o presente e o passado, mas sempre mantendo um suspense que nos remete ao futuro: o que há de acontecer agora? O que explica essa separação? E a outra separação? E a união?

Essa narrativa cheia de reviravoltas se torna ainda mais instigante por ser dividida em duas partes, cada uma com um narrador com estilos de escrita completamente diferentes (e também com razões individuais para as coisas relembradas, com versões diferentes, nos lembrando de que não há uma só verdade no mundo). Enquanto Joana escreve tudo o que vive no tempo presente, referindo-se a Marie-Ange, sua salvadora, na terceira pessoa, Antônio escreve no passado, mas dirigindo-se sempre a Marie-Ange na segunda pessoa, como se ela fosse a leitora de seus relatos.

É que Joana está extasiada com o que vive e Antônio é só saudade do que viveu. Mas ambos são dominados por um passado (e um segredo) ocorrido em uma ilha e são levados a essas memória pela experiência em outra ilha, a léguas de distância daquela.

Enfim, sempre sou da opinião de que não se pode contar muito, para não estragar o livro*. Mas este vale pela narrativa, pelos personagens e por tudo o que traz de reflexão sobre tantas coisas. A jovem autora, Tatiana Salem Levy (muito elogiada e premiada, e recentemente escolhida pela Granta), certamente entende do que fala. Já deve ter vivido um grande amor, uma grande desilusão amorosa e uma separação (com irmão, amigo, namorado, o que for) importante.

Quem também já viveu logo percebe.

“Dois Rios”
Tatiana Salem Levy
Record
220 págs.
De R$ 25,11 a R$ 34,90.
* Quem já leu o livro, favor entrar em contato comigo, porque preciso discuti-lo urgentemente! Inclusive porque, apesar de tão bom, parece ter uma falha imperdoável no rumo da história**.
** Adendo de 14h: não há falha nenhuma; a história é perfeita e estou me sentindo bastante lerda por não ter percebido de cara… Mesmo assim, ainda quero discutir com quem tiver lido o livro 😉
Anúncios

Deixe aqui seu comentário! ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s