Ir para conteúdo

Das desculpas e des-culpas

Foi só por ler as cartas dos leitores no caderno Equilíbrio, da “Folha” de hoje, que fui ler a coluna da atriz Denise Fraga, publicada na edição de terça passada.

O que os leitores disseram despertou meu interesse:

“Quantas tragédias evitamos com um sincero pedido de desculpas”, disse o leitor Marcus Machado.

“Acredito na força de uma palavra certa e dita com o coração”, complementou o leitor Ricardo Gagliardi.

Muitas vezes na minha vida já tive que pedir desculpas. Uma das mais graves foi quando briguei com uma grande amiga, de infância, meio levada por uma dessas “reações de grupo”, que todo mundo que tem um grupo tende a cometer, estupidamente, pelo menos uma vez na vida. Nada que o amadurecimento não resolva — porque todos já fomos adolescentes idiotas algum dia.

Ela tinha todos os motivos do mundo para me odiar e, assim que percebi meu erro, eu tive muito trabalho em fazê-la perceber que meu pedido de desculpas era sincero. Foram vários esforços da minha parte e muita boa vontade da parte dela. Hoje, felizmente, somos amigas de novo, acho que com a mesma intensidade que antes, embora com outras cabeças.

Também já desculpei toda sorte de mancadas, mesmo de pessoas muito queridas. De ex-namorado que ficou com outra, a amiga que ficou com o sujeito que, naquele momento, eu achava que era o amor da minha vida (claro que não era, mas na hora doeu).

Por outro lado, já me afastei de alguns amigos pelo simples fato de que, em vez de se desculpar por terem me machucado, ou deram de ombros, ou vieram com um “desculpa” torto, acompanhado por um “mas não fiz nada de errado”. Dói em dobro.

O texto da Denise Fraga é singelo, quase infantil. Brinca com o poder das palavras. Mas acerta ao dar importância e destaque à sinceridade delas.

É possível lê-lo AQUI. Um trechinho:

“Por conta desses pequenos deslizes, descobri o poder da desculpa no trânsito. Emparelho o carro, abro o vidro e, quando o sujeito já está crispado para começar a querela, falo a palavra mágica: desculpa.

É impressionante o poder que essa palavra tem quando dita assim, no meio do ciclone. Às vezes até recebo uma buzinada atrás, mas vale a infração. É divertido ver a revolução muscular no rosto do cidadão.”

Pedir desculpas é um gesto de humildade. De reconhecer um erro idiota e oferecer sua amizade, de coração e mente abertas, para o ofendido da vez. É dizer: “Errei mesmo, pisei na bola, mas quero recompensar. Vamos tomar um chopp e discutir como posso te ajudar a esquecer isso?”. É telefonar, interfonar, demonstrar que aquela pessoa tem alguma importância para você e, portanto, vale o esforço de fazer com que reconquiste sua confiança.

Não é só a palavra morta, a palavra vazia que pede, tão-somente, que se “tire a culpa”. Desculpar-se não é um ato de expiação dos próprios demônios (ou culpas), mas de libertação dos demônios deixados, com marca de fogo, em quem se gosta. Assumir a responsabilidade por eles para que, com alegria, o perdão seja possível.

***

Adendo no dia 24.08.2012: segue uma mãozinha para os burocratas mais empacados 😀

Cristina Moreno de Castro Ver tudo

Mineira de Beagá, jornalista, blogueira, poeta, blueseira, atleticana, otimista, aprendendo a ser mãe. Redes: www.facebook.com/blogdakikacastro, twitter.com/kikacastro www.goodreads.com/kikacastro. Mais blog: http://www.otempo.com.br/blogs/19.180341 e http://www.brasilpost.com.br/cristina-moreno-de-castro

6 comentários em “Das desculpas e des-culpas Deixe um comentário

  1. Humilhei minha mulher por que ele é gordinha.?
    Humilhei minha mulher por que ela é gordinha,mas estou arrependido,quero que ela treine apenas e faça dieta,até por que ninguém quer um bucho do lado né,e mulher engorda facilmente,quanto mais passa a idade o metabolismo fica mais lento,eu falo pra ela que quero que ela treine e faça dieta e ela fica reinando,dai eu já falei pra ela que irei abandona-la e não irá mais ter volta,eu tenho o corpo malhada e definido e então não acho justo ter uma mulher gorda ao meu lado,ela era linda perfeita e corpinho cheio de curvas,mas agora está ficando gorda e eu não estou gostando então to metendo pressão mesmo,e acho que não estou errado,ela deve se cuidar até por causa da saúde,só me arrependo de te-la humilhado,o que vocês acham que eu devia fazer? se ela não quiser mudar devo larga-la?

    Só que de repente tudo mudou e minha mulher saiu de casa arrasada. Eu estranhei porque ela não tinha aparecido e fiquei buscando por ela. Até que um dia encontrei com uma mulher magra, bonita e bem vestida na calçada, eu estava indo tomar chopp com os meus amigos e me encantei por ela. Até que o inusitado aconteceu, ela tropeçou, caiu no chão e eu corri pra ajudá-la. Mas quando nos entreolhamos, percebi que ela era muito parecida com alguma conhecida. Estava maquiada, usando um vestido preto e um salto alto. Aí eu perguntei quem era ela. Aí ela se revelou e eu fiquei surpreso. Era a minha esposa, ela própria. Ela me explicou que praticou exercícios todos os dias, fez caminhada, corrida e o resultado emagreceu 38 quilos. Eu fiquei impressionado e a elogiei, mas ela deu risada e disse que eu nunca a elogiei, que eu só criticava e que eu só percebi agora depois que ela mudou. A partir daí nos conversamos durante horas, pedi uma chance a ela, pedi pra ela voltar pra nossa casa, que assim que eu faria tudo diferente. Mas não teve jeito, ela foi irredutível e não aceitou. Disse que agora prefere viver a vida de solteira com as amigas dela e a partir daí eu não farei mais parte da vida dela. Disse também que matou aquela gordinha que ela era. Ela resolveu seguir com a vida dela. Levei um fora, mas passei a entender e aprendi a lição! Mas eu vou lutar pelo amor e pela beleza dela. O que vocês acharam disso?

    Curtir

  2. Minha história é assim. Recentemente terminei meu relacionamento com minha namorada, conversamos e entramos nesse entendimento de se afastarmos. Foram 4 anos de namoro muito bons, porém, cometi muitos erros tratei ela mal por diversas vezes, discutia com ela por nada, xingava, eu fazia uma tempestade num copo d’água.
    Mais eu me arrependia e tudo ficava bem depois e ela perdoava. Existiu os erros dela no começo do namoro ela saio escondida algumas vezes e a gente acabava brigando. No primeiro ano de namoro ela saio escondida e pediu para o vizinho me dizer que o vô dela estava no hospital, eu todo preocupado fui correndo até lá e nada daquilo era verdade ela inventou essa mentira para sair com as amigas. Fiquei furioso e dormir na casa dela pra esperar ela chegar quando ela chegou e viu que eu estava lá se escondeu mais a encontrei, e fiquei mais nervoso com isso, acabei cometendo o primeiro dos maiores erros que pude cometer. eu agredi ela!
    E depois disso aconteceu outras vezes, ela errava e ao invés eu procurar resolver na conversa partia pra agressão verbal e em alguns casos a física, era um tapa, um chute. Ela errava e eu errava em cima disso. Só que quando eu acordei e vi oque eu estava fazendo era tudo errado, talvez já era tarde. E acabamos terminando. Eu sinto muito por isso eu amo ela muito. E por esse motivo do ano passado eu já vinha me reeducando, respeitando ela mais, sendo oque eu não fui anos atrás, me afastei de amigos ruins. Mais eu ja tinha matado praticamente o amor que ela sentia por mim. E hoje tenho toda a convicção onde errei e estou mudando e quero mostrar isso pra ela. Só não sei se ainda tenho chance!
    Mas infelizmente esse ano está sendo pior pra ela. Por esse motivo ela acabou sendo dispensada do trabalho, foi estuprada por um cara e por conta disso ela foi expulsa e renegada pelos pais que deveriam tê-la apoiado. Como não tinha mais pra onde ir, ela acabou por algum tempo, morando na rua debaixo de um viaduto. Entrou em depressão, tentou o suicídio diversas vezes e o mais trágico se jogou na frente de um caminhão, mas sobreviveu e ficou internada numa clínica psiquiatra e ingerindo calmantes contra a depressão e a insônia. Mas hoje agora pouco fiquei sabendo por alto que ela está recuperada, tentando recomeçar a vida, está frequentando um grupo de apoio só para mulheres e está morando com umas três amigas num apartamento com quem ela divide. E até frequenta a igreja todos os domingos. Eu quero muito estar perto dela, apoiá-la, mas eu sei que ela não me quer por perto, mas as vezes o destino nos pega de surpresa. Eu me encontrei com ela por acaso no shopping. Eu estava sentado com um amigo no banco e ela estava com duas amigas passeando. Aí quando ela me viu, ficou pálida feito cera e pediu pra ir embora porque não estava se sentindo bem. Mas eu fui atrás dela, tentei falar com ela, mas não adiantou. Ela não queria papo comigo, pois já estava muito nervosa. Mas insisti e acabei chegando ao ponto que eu não deveria ter chegado. Peguei ela pelo pulso e de repente ela deu um grito, pedindo pra eu soltá-la, que eu estava machucando ela, mas eu não soltava e ela implorando pra eu soltá-la, ela tentava livrar o pulso dela das minhas mãos. Olha, eu juro que não queria fazer isso, mas eu estava desesperado e acabei fazendo pra que ela pudesse me notar, ao menos me escutar o que eu tinha pra dizer e acabei fazendo tudo errado outra vez: “Por favor, Vinicius! Me solta, por favor! Eu não estou brincando! Eu juro que se for pra começar com tudo isso outra vez eu juro que faço uma besteira muito grande que eu nem sei do que sou capaz de fazer!”. As amigas dela entraram no meio da discussão e uma delas perguntou se eu não tinha ouvido o recado mandando eu soltá-la agora. Eu soltei e em poucos segundos percebi o tamanho da besteira que tinha feito. Deixei marcas no punho dela, ficaram vermelhos, eu tinha apertado com muita força, pois estava com a intenção de detê-la e ela ficar parada num segundo. Aí minha namorada caiu no choro compulsivamente e repetiu “De novo, não! De novo, não! Meu Deus! Eu não sei ainda o que eu fiz pra merecer isso? Que droga!”. As amigas dela disseram que o problema está em mim e não nela. As pessoas viram tudo, algumas delas foram consolar a minha ex namorada, perguntando se estava tudo bem, aí ela confirmou que eu tinha a agredido de novo e não a deixava em paz. Meu amigo então ficou chocado com o que viu e disse que eu não aprendi nada na minha vida: “Tá vendo os estragos que você causa? Tudo o que você resolve é sempre na base da violência! Ao invés de melhorar as coisas, você só piora! Você tenta várias vezes se acertar com ela, conversando com calma, mas não, sempre partindo pra ignorância e pra agressão! Ela não merece mais isso tudo não o que você fazia com ela!”. Ele ainda terminou a nossa conversa dizendo que não dá mais pra ser amigo de alguém assim tão descontrolado e que se eu não mudar não vou dar certo com ninguém como não deu com a minha ex. Pronto, nossa amizade acabou por esse motivo! Eu tinha esse temperamento horrível por conta daqueles amigos que eu tive e esse amigo que era tão legal comigo se afastou de mim por não aprovar mais essa minha atitude. Quando cheguei em casa minha mãe disse que tinha um recado da minha namorada pelo whats. Eu abri o áudio e o que ela disse me fez perder as esperanças:
    “Eu sei que o nosso relacionamento não foi a das melhores! Na verdade eu fui a responsável por tudo o que aconteceu entre a gente e eu causei isso tudo! Eu fui a culpada pelo fim do nosso namoro! Eu fiz você explodir, a chegar a esse ponto que você chegou, eu fiz você errar, pois errei primeiro e eu mereci tudo isso. E eu acho que poderia haver um novo recomeço entre a gente, eu vou passar uma borracha nisso tudo, fazer com que nós ficamos bem de novo e que tudo fique bem entre a gente. Seguinte, eu vou te dar uma chance, vou te perdoar, mas agora tudo diferente, eu vou fazer tudo o que você quiser, eu vou te obedecer, pode fazer o que quiser comigo, me castiga, me xinga, me humilha, me bata, que eu mereço, eu sei que você quer me pôr na linha, pode até me proibir de ter contato com as minhas amigas, não me importo mais com isso, eu estou nas suas mãos! Eu mereço ser punida de uma forma terrível! Você venceu desta vez!”.
    Eu gelei e tremi, não tinha entendido nada. Eu também quero voltar com ela, mas ela entendeu tudo errado, porque eu não quero mais cometer esses erros novamente, mas pelo visto ela acha que eu não mudei e que eu vou fazer isso novamente. Ela fez essas exigências malucas porque no fundo ela ainda está com medo de que eu volte a cometer os mesmos erros e que eu vou encontrar uma nova situação pra fazer aquilo de novo, desconfiar dela e partir pra agressão, mas eu prometi a mim mesmo que nunca mais iria fazer. Acho que ela não percebeu o quanto eu tinha mudado e acho que ela não quer acreditar. Estou com mais medo ainda porque se ela voltar comigo na primeira oportunidade eu vou agredi-la novamente e ela ainda disse que merecia. Não, a culpa não foi dela, foi minha, ela não merece isso, não. Não quero mais que isso aconteça. Mulheres assim como ela merecem ser tratadas, respeitadas e valorizadas com muito amor e carinho. E agora o que eu faço pra me livrar dessa difícil situação que estou passando? E a verdade é que ela não aceita voltar comigo de jeito nenhum, que não dava mais e que ela prefere viver a vida dela longe de mim.

    Curtir

Deixe aqui seu comentário! ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: