Ir para conteúdo

Samuel Brandão, o Junin, 25 anos depois

Conversei com o Samuel Brandão e ele contou o que fez nos últimos 25 anos, desde o lançamento do filme “Menino Maluquinho”, e relembrou a época das gravações. Leia abaixo (e CLIQUE AQUI se quiser ler sobre os outros personagens).

Samuel Brandão, que fez o Junin, em cena do filme lançado em 1995 e hoje.

1. Hoje você mora em qual cidade? Está com quantos anos?

Estou com 34 anos e moro em SP 🙂

2. Nesses 25 anos você chegou a trabalhar como ator em algum outro momento? E hoje trabalha com quê? Conte um pouquinho da sua jornada profissional.

Pouco depois do filme participei de peças publicitárias e espetáculos teatrais, e fiz faculdade de teatro na UFMG. A partir dos 11 anos me apaixonei pela programação e, ainda na adolescência, fiz pequenos trabalhos na área. Estudei computação, e hoje sou responsável técnico e sócio da Lets.events, empresa que oferece soluções tecnológicas para eventos digitais e presenciais.

3. E como anda a vida pessoal? Já é casado? Tem filhos? O que aconteceu de mais marcante nos últimos 25 anos? E nos últimos 5, desde a última vez que nos falamos?

25 anos é muito tempo, aconteceu tanta coisa marcante! Me formei em teatro, mas aprendi a programar sozinho e fiz desta minha profissão. Morei em Milão por quase 7 anos, onde estudei computação formalmente, conheci dezenas de pessoas com histórias de vida únicas, escutei suas dores e alegrias, vi e reconheci o preconceito que tinham sofrido. Namorei à distância por 4 anos, me casei em Gênova, me casei novamente no Brasil (com a mesma pessoa!), adotei 4 gatos, me mudei de casa tantas vezes e hoje (parece que) me estabeleci mesmo em SP. Ano passado eu e minha esposa passamos 1 mês na China estudando Kung Fu com o grão Mestre do nosso estilo (começamos a praticar há aproximadamente 2 anos). Viajamos sinceramente sem muitas pretensões, mas voltamos com a faixa preta e o título de instrutores! A experiência na China foi incrível!

4. O que achou de ter participado do filme na época, quando criança, e hoje, já adulto, 25 anos depois? Que mensagem gostaria de deixar sobre o filme neste aniversário de 25 anos?

Participar do filme foi a melhor experiência da minha infância. O set de filmagens, a turma, as gravações, para mim era tudo uma grande brincadeira. Não sentia que trabalhava, não sentia que atuava, eu apenas brincava. Tive o maravilhoso privilégio de gozar de uma infância permeada por afeto, brincadeiras e despreocupações, uma infância maluquinha. Nunca me faltou nada. Desejo que um dia vivamos em um mundo onde todas as crianças saibam o que é brincar despreocupadamente, sem fome, com um lar estável, apoio psicológico e emocional e acesso a educação de qualidade.

CLIQUE AQUI para ler sobre os outros personagens.

%d blogueiros gostam disto: