Ir para conteúdo

Minhas apostas para o Oscar 2021

No clima do Oscar!

Neste ano, consegui assistir a 12 filmes indicados ao Oscar 2020 (embora minha meta fosse ver os 17 principais), nas categorias mais importantes da maior premiação do cinema (melhor filme, direção, atuações e roteiros, dentre outras).

Dentre os realmente mais importantes, não faltou ver nenhum. Todos com 5 ou mais indicações eu consegui assistir. Depois tento ver os demais, porque a cerimônia já é neste domingo, 25 de abril, e amanhã tenho plantão, então não devo ver nenhum outro antes dela.

E, assim, mantenho a tradição do blog, eu vou fazer minhas apostas para meu bolão do Oscar — que não levam em conta apenas o meu gosto pessoal, traduzido nas notas que dei para cada filme, mas também o que considero que a academia vai preferir. Teve ano em que acertei em 15 de 16 categorias, hein! 😉 Quanto será que vou acertar neste ano?

Aí estão minhas fichinhas, pela ordem da premiação:

  1. Ator coadjuvante – Daniel Kaluuya, em Judas e o Messias Negro.
  2. Maquiagem – Apesar de não ter visto dois dos concorrentes, vou arriscar em Pinóquio, porque a maquiagem foi um dos únicos pontos fortes desse filme chatinho.
  3. Figurino – Vou de A Voz Suprema do Blues.
  4. Som – Como escrevi lá no post de O Som do Silêncio: “Sério, se este filme não ganhar o Oscar de melhor som, desisto de tentar entender de cinema. A experiência que este filme nos proporciona com os sons é sublime”.
  5. Trilha sonora – Só vi três dos filmes, mas vou arriscar no lindinho Soul.
  6. Design de produção – Vou de Mank.
  7. Animação – Só vi dois dos concorrentes, mas vou de novo pôr minhas fichinhas em Soul, do genial Pete Docter.
  8. Atriz coadjuvante – Não vi as atuações nem de Maria Bakalova nem de Glenn Close neste ano. Achei Olivia Colman e Amanda Seyfried apenas razoáveis. Então vou torcer para a excepcional Youn Yuh-jung, de Minari.
  9. Edição  Como escrevi no post de Os 7 de Chicago, a edição desse filme é “brilhante”. Vou apostar nele, embora o efeito causado pela edição de Meu Pai também seja muito impressionante.
  10. Roteiro original – Neste ano o páreo está duríssimo. Em “Judas“, escrevi que o roteiro foi “excepcional”. Em Minari, disse que foi um roteiro “mágico e cheio de afeto”. Em O Som do Silêncio, escrevi que o roteiro foi “delicado e cheio de reflexões”. E amei Os 7 de Chicago, que escrevi ter um roteiro “brilhante”. Mas vou apostar no roteiro cheio de reviravoltas, de suspense, além de um toque de leveza em meio a um tema dramático, de Bela Vingança!
  11. Fotografia – Mank.
  12. Canção original – Vou apostar em Fight for You, que conversa mais com nosso tempo. De Judas!
  13. Direção – Acho que Chloé Zhao vai ganhar, mas, como escrevi no post de “Nomadland“, minha torcida ela não tem.
  14. Ator – Vou com Anthony Hopkins, embora todos os outros estejam muito maravilhosos.
  15. Atriz – Não vi duas das concorrentes. Mas vou apostar em Viola Davis, que brilha em seus 20 minutinhos de tela. (Ó, mas Carey Mulligan também está demais!)
  16. Melhor Filme do Ano – Tenho certeza que minha escolha não vai levar o prêmio de melhor do ano, pelo que acompanho de premiações passadas. Mas vou votar com o coração, no único nota 10 que eu dei até agora: “Os 7 de Chicago!”

P.S. Pela primeira vez, tive que deixar de apostar na categoria de melhor roteiro adaptado. Isso porque, dos cinco concorrentes, só vi dois filmes, então meu julgamento ficou muito prejudicado. E, como de outras vezes, deixo de fora também os documentários, curtas, efeitos visuais e estrangeiros, por também não ter visto nenhum dos indicados nessas categorias.


E você? Concorda com minhas notas para cada um dos filmes? E com minhas apostas nestas 16 categorias acima? Participe do bolão aí na parte de “Comentários” do blog! Depois da cerimônia vou publicar aqui o resultado da premiação e meu desempenho 🙂 

 

Transforme sua TV em smartTV com o aparelho da Amazon Fire TV Stick.

Clique aqui para ver filmes pelo Amazon Prime


Leia também:

***

Quer assinar o blog para recebê-lo por email a cada novo post? É gratuito! CLIQUE AQUI e veja como é simples!

faceblog
ttblog

Cristina Moreno de Castro Ver tudo

Mineira de Beagá, jornalista, blogueira, poeta, blueseira, atleticana, otimista, aprendendo a ser mãe. Redes: www.facebook.com/blogdakikacastro, twitter.com/kikacastro www.goodreads.com/kikacastro. Mais blog: http://www.otempo.com.br/blogs/19.180341 e http://www.brasilpost.com.br/cristina-moreno-de-castro

3 comentários em “Minhas apostas para o Oscar 2021 Deixe um comentário

    • Eu não acho o Oscar comercial, não. Pelo contrário, alguns filmes que estão no páreo, como “Meu Pai”, “Nomadland” e “Mank” dificilmente bateriam recordes de venda nos cinemas, se os cinemas estivessem abertos. O Oscar ainda é uma oportunidade de ver grandes filmes fora do mainstream, como o coreano “Minari”, que é lindo. E ainda tem filmes mais populares, mas de temas tão importantes até hoje (quando George Floyds seguem sendo assassinados por policiais), como “Os 7 de Chicago” e “Judas e o Messias Negro”.

      Curtir

  1. Meti minha colher de pau onde não devia. Induzido por algumas críticas ao Oscar que tenho lido ao longo dos anos. Desculpe pela ignorância.

    Curtir

Deixe aqui seu comentário! ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: